Quinto Volúsio Saturnino (cônsul em 56)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o cônsul em 56. Para o cônsul em 92 e seu filho, veja Quinto Volúsio Saturnino (cônsul em 92).
Quinto Volúsio Saturnino
Cônsul do Império Romano
Consulado 56 d.C.
Nascimento 25 d.C.
Morte 69 d.C.

Quinto Volúsio Saturnino (em latim: Quintus Volusius Saturninus; 25[1]69 (44 anos)[1]) foi um senador romano eleito cônsul em 56 com Públio Cornélio Cipião[2]. Era neto de Lúcio Volúsio Saturnino[3], cônsul sufecto em 12 a.C., e filho de Lúcio Volúsio Saturnino, cônsul sufecto em 3. Seu pai recebeu um funeral de estado durante o reinado de Nero[4]. O pontífice Lúcio Volúsio Saturnino era seu irmão mais velho e Volúsia Cornélia, sua irmã[5].

Carreira[editar | editar código-fonte]

A partir de evidências epigráficas de 40 até 60[6], sua família era proprietária de um columbário na Via Ápia[7]. Tácito o descreve como um homem de "status aristocrático".

Depois de seu consulado, em 56[8], Saturnino foi admitido em alguns dos mais prestigiosos colégios romanos: sodais augustais, sodais tícios e os irmãos arvais[9]. Em 61, Saturnino foi nomeado governador da Gália Bélgica e ficou responsável pela realização de um censo na Gália entre 61 e 63 com Tito Sêxtio Africano e Marco Trebélio Máximo. Saturnino e Africano eram rivais e ambos detestavam Trebélio, que se aproveitou da rivalidade entre os dois para conseguir obter melhores resultados[10]. Com base nas evidências epigráficas, os Hórreos Volusianos foram construídos por seu avô ou pelo próprio Saturnino[11].

Família[editar | editar código-fonte]

Saturnino se casou com uma romana chamada Nônia Torquata[12]. Os dois eram parentes distantes pois um ancestral paterno dela, Lúcio Nônio Asprenas, cônsul em 36 a.C., teve uma filha chamada Nônia Pola que se casou com avô de Saturnino, o cônsul sufecto em 12 a.C.[13]. Os dois tiveram pelo menos quatro filhos[1]: Lúcio Volúsio Saturnino, cônsul em 87, Quinto Volúsio Saturnino, cônsul em 92, Volúsia Torquata, esposa de Tito Sêxtio Mágio Laterano, cônsul em 94, e Volúsia Cornélia.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Cônsul do Império Romano
Vexilloid of the Roman Empire.svg
Precedido por:
'Nero I

com Lúcio Antíscio Veto
com Numério Céstio (suf.)
com Públio Cornélio Dolabela (suf.)
com Lúcio Aneu Sêneca (suf.)
com Marco Trebélio Máximo (suf.)
com Públio Palfúrio (suf.)
com Cneu Cornélio Lêntulo Getúlico (suf.)
com Tito Curtílio Mância (suf.)

Quinto Volúsio Saturnino
56

com Públio Cornélio Cipião
com Lúcio Júnio Gálio Aniano (suf.)
com Tito Cúcio Cilto (suf.)
com Lúcio Dúvio Ávito (suf.)
com Públio Clódio Trásea Peto (suf.)

Sucedido por:
'Nero II

com Lúcio Calpúrnio Pisão
com Lúcio Césio Marcial (suf.)


Referências

  1. a b c D.C. O’Driscoll. «Genealogy of Volusius Saturninus» (em inglês) 
  2. CIL IV, 3340, Pompeia (Itália); CIL IV, 3340, Pompeia (Itália); CIL IV, 3340, Pompeia (Itália); AE 1974, 275, Pompeia (Itália); CIL VI, 2002, Roma (Itália); CIL X, 1574, Putéolos (Itália); CIL VI, 2037 = CIL VI, 32352, Roma (Itália); CIL VI, 2043, Roma (Itália)
  3. Tácito, Anais III.30
  4. Joyce Reynolds, "Roman Inscriptions 1966-1970", Journal of Roman Studies, 61 (1971), pp. 142-144
  5. Barbara Levick, Tiberius the Politician (London: Routledge, 1999), p. 53
  6. Susan Treggiari. «Family Life Among the Staff of the Volusii» (PDF) (em inglês). University of Ottawa. p. 1 
  7. Treggiari, Family Life among the Staff of the Volusii - Transactions of the American Philological Association
  8. Tácito, Anais xiii. 25
  9. CIL VI, 2037 = CIL VI, 32352, Roma (Itália); CIL VI, 2043
  10. Tácito, Anais xiii. 19, xiv. 46
  11. Rickman, Roman Granaries and Store Buildings, p.169
  12. Susan Treggiari, "Family Life Among the Staff of the Volusii", Transactions of the American Philological Association (1974-), 105 (1975), p. 393
  13. Syme, The Augustan Aristocracy, p.56

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Rudolf Hanslik, "Q. Volusius Saturninus", 20 RE, vol. IX. A.1, Stuttgart, 1961, col. 1863.
  • Der Neue Pauly, vol 12/2, Stuttgart, 1999, col. 324.