Ray Taylor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ray Taylor
Nascimento 1 de dezembro de 1888
Perham, Minnesota, EUA
Nacionalidade Estados Unidos Norte-americana
Morte 15 de fevereiro de 1952
Hollywood, Califórnia, EUA
Ocupação diretor de cinema
Atividade 1926-1949
IMDb: (inglês)

Ray Taylor (1 de dezembro de 188815 de fevereiro de 1952) foi um diretor de cinema e produtor estadunidense. Ele dirigiu 159 filmes entre 1926 e 1949, muitos deles seriados, e o primeiro filme a dirigir foi o seriado de 1926 Fighting With Buffalo Bill.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ray Taylor começou sua carreira de show-business como um ator e encenador de teatro regional, uma carreira que foi interrompida pelo serviço de exército na Primeira Guerra Mundial. Após sua dispensa aventurou-se em Hollywood, onde conseguiu um emprego com a Fox Film e trabalhou como assistente de direção, muitas vezes com John Ford. Na década de 1920, Taylor foi para a Universal Pictures, onde teve a oportunidade de se tornar um diretor. Sua proficiência impressionou os executivos da Universal o suficiente para uma promoção aos filmes e seriados. Quando o cinema sonoro estreou, Taylor - ao contrário de muitos de seus colegas da era silenciosa – não teve problemas de adaptação às técnicas de filmes sonoros, e de fato sua carreira caminhou mais rápido.

A Universal o colocou na direção em todos os seriados Westerns, e eventualmente o colocou à frente de um dos seus seriados mais populares e carinhosamente lembrados, os seriados sobre Flash Gordon. No entanto, devido a um agravamento de seu problema com a bebida, seu trabalho pelo final dos anos 1930 e início dos anos 1940 foi muitas vezes errático. O diretor William Witney relatou ter obtido seu primeiro crédito como co-diretor no seriado da Republic Pictures, The Painted Stallion, em 1937, porque um dia Taylor estava tão bêbado na hora do almoço durante as filmagens que precisou ser levado para casa, e Witney foi chamado para substituí-lo e terminar o filme.

Taylor formou uma equipe com o igualmente prolífico, mas mais confiável, Ford Beebe, durante seus últimos anos na Universal. Quando o gênero serial começou a diminuir, Taylor voltou a fazer westerns e eventualmente foi contratado pelos Producers Releasing Corp. (PRC), para tentar dar um verniz profissional para seu antigo cowboy Lash La Rue. Quando a série e a estrela da PRC foram para as produções de Ron Ormond, Taylor foi com eles. Taylor retirou-se do negócio em 1949 e morreu em 1952. está sepultado no Forest Lawn Memorial Park (Hollywood Hills).[1]

Seu filho, Ray Taylor Jr., tornou-se assistente de diretor.[2]

Filmografia parcial[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Articles on Films Directed by Ray Taylor, Including: Flash Gordon (Serial), Flash Gordon Conquers the Universe, Danger Island (Serial), Treat 'em Roug, Hephaestus Books, 2011

Ligações externas[editar | editar código-fonte]