Referendo sobre a Independência da Nova Caledónia em 2018

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gnome globe current event.svg
Este artigo ou seção é sobre um evento atual.
A informação apresentada pode mudar com frequência. Não adicione especulações, nem texto sem referência a fontes confiáveis. (editado pela última vez em 12 de novembro de 2018)
             Flag of FLNKS.svg             
Referendo sobre a Independência da Nova Caledónia em 2018
Independência da Nova Caledónia
4 de novembro de 2018
Tipo de eleição:  Referendo sobre a independência
Demografia eleitoral
Hab. inscritos:  174 995
Votantes : 141 099
  
80.63%  
Votos válidos: 138 934
Votos nulos: 2 165
Nova Caledónia
Referendo sobre a Independência da Nova Caledónia em 2018
  Sim
  Não
Resultados[1][2]
Sim
  
43.60%
Não
  
56.40%

O referendo sobre a independência da Nova Caledónia (oficialmente em francês: Référendum de 2018 sur l'indépendance de la Nouvelle-Calédonie), realizado em 4 de novembro de 2018,[3][4] foi um referendo de independência no qual os eleitores puderam escolher entre permanecer na França ou se tornar um país independente.[5][6]

Anunciado na noite do dia das eleições, o resultado foi de 56.40% para manter o status quo e de 43.60% a favor da independência. A participação foi de 80.63% (141.099) dos 174.995 eleitores elegíveis para votar neste referendo. Inelegíveis para votarem no referendo, conforme concordado no Acordo de Nouméa, foram 17% do total de 210.105 eleitores registrados da Nova Caledónia.

Antes da votação, o governo e as autoridades da França Metropolitana declararam que reconheceriam e cumpririam os resultados do referendo. Apesar do fracasso da moção, os novos caledonianos terão, nos termos do Acordo de Nouméa, a oportunidade de votar novamente em 2020 e 2022, se um terço do Congresso da Nova Caledônia, a legislatura local, concordar em permitir que esses votos sejam realizados.[5][7]

Pergunta[editar | editar código-fonte]

A pergunta para o referendo foi "Você quer que a Nova Caledônia atinja a soberania plena e se torne independente?" (no original, Voulez-vous que la Nouvelle-Calédonie accède à la pleine souveraineté et devienne indépendante?).[8]

Sondagens[editar | editar código-fonte]

Empresa de pesquisa Data Tamanho da amostra A favor Contra Indecisos ou
Sem opinião
Liderança
Harris Interactive 12–22 set 2018 1,038 34 66 32
Quidnovi 1–15 ago 2018 731 20 69 11 49
I-Scope 30 jul–8 ago 2018 628 28 63 9 35
Quidnovi 4–15 jun 2018 739 15 65 21 50
Quidnovi 16–26 abr 2018 712 15 58 27 43
I-Scope 16–25 abr 2018 682 22.5 59.7 17.8 37.2
I-Scope 23 mar–4 abr 2017 514 24.4 54.2 21.4 29.8

Resultados[editar | editar código-fonte]

Os resultados oficiais de 284 estações de voto do processo participativo foram os seguintes:[1]

Independência da Nova Caledónia
Inscritos Sim Sim Não Não Total Votos válidos Brancos e nulos
174 995 60 573 78 361 141 099 138 934 2 165
«Você quer que a Nova Caledônia atinja a soberania plena e se torne independente?»
Votos
«Sim»
(43,60 %)
Votos
«Não»
(56,40 %)
Maioria absoluta

Por província[editar | editar código-fonte]

Nas províncias do Norte e Loyalty Islands, o "Sim" ganhou, mas na província do Sul o "Não" ganhou e, como houve mais eleitores nessa província, consequentemente, houve mais votos e, no geral, acabou resultando na vitória do "Não" e na permanência da Nova Caledónia na França.[1]

Província Sim (%) Sim (número de votos) Não (%) Não (número de votos) Número total de pessoas Eleitores registrados (%)
Província do Sul 26.29 24195 73.71 67847 112712 83.01
Província do Norte 75.82 25747 24.18 8209 40047 86.01
Província Loyalty Islands 82.18 10631 17.82 2305 22236 58.89

Reações[editar | editar código-fonte]

O presidente francês Emmanuel Macron, que visitou a ilha em maio de 2018, afirmou que o resultado mostrou "confiança na república francesa", e que está "orgulhoso por termos finalmente passado juntos por esse passo histórico", acrescentou.[9]

Aloisio Sako, um dos principais membros da independente FLNKS, mostrou-se otimista com o que considerou uma derrota para o seu lado, dizendo: "Estamos a poucos passos da vitória e ainda há dois votos por vir".[10]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Government of New Caledonia. «Référendum Nouvelle-Calédonie» (PDF). Consultado em 5 de novembro de 2018. 
  2. «Território francês da Nova Caledónia rejeita a independência». Público. Consultado em 5 de novembro de 2018. 
  3. PIR Editor. «New Caledonia, French Leaders Look To Finalize Plans For 2018 Referendum | Pacific Islands Report» (em inglês). www.pireport.org. Consultado em 5 de novembro de 2018. 
  4. Willsher, Kim (19 de março de 2018). «New Caledonia sets date for independence referendum». The Guardian (em inglês). Consultado em 5 de novembro de 2018. 
  5. a b «Nova Caledônia decide sobre independência da França». G1. 3 de novembro de 2018. Consultado em 6 de novembro de 2018. 
  6. Bassets, Marc (5 de novembro de 2018). «Nova Caledônia recusa se separar da França». El País. Consultado em 6 de novembro de 2018. 
  7. Lyons, Kate (16 de julho de 2018). «"New Caledonia Referendum: Call to Reject 'Colonising Power' France"» (em inglês). The Guardian. Consultado em 5 de novembro de 2018. 
  8. «Histoire & enjeux - Référendum NC 2018». www.referendum-nc.fr (em francês) 
  9. «New Caledonia: French Pacific territory rejects independence» (em inglês). BBC News. 4 de novembro de 2018. Consultado em 5 de novembro de 2018. 
  10. «New Caledonia referendum leaves independence movement hopeful» (em inglês). France 24. 5 de novembro de 2018. Consultado em 6 de novembro de 2018. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]