Reticulócito

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hemácias à esquerda e reticulócitos à direita, com o RNA precipitado formando grânulos

Reticulócitos são eritrócitos (ou hemácias) imaturos. Como as hemácias, os reticulócitos não apresentam núcleo e são chamados assim por causa da malha reticular de RNA ribossômico, que se torna visível à microscopia quando corada com azul de cresil brilhante.

Contagem de reticulócitos[editar | editar código-fonte]

A contagem é feita em porcentagem em relação às hemácias circulantes que já não estão no estado de reticulócito.

Método automático[editar | editar código-fonte]

Atualmente, para contar reticulócitos, são usados contadores automatizados usando laser com corante fluorescente que marca o RNA e DNA. Isso diferencia os reticulócitos das hemácias (que não contêm RNA nem DNA).

Método manual[editar | editar código-fonte]

Pode também ser usado o método de coloração pelo azul de cresil brilhante e fazer uma contagem, tirando-se uma porcentagem em relação às hemácias presentes no campo microscópico. Os reticulócitos são as hemácias com pontos em seu interior.

Interpretação[editar | editar código-fonte]

Uma pessoa normal apresenta de 0,5 a 1,8% de reticulócitos circulantes. Porém, a interpretação é feita em valores absolutos, isto é, multiplica-se o valor obtido em porcentagem na contagem de reticulócitos pelo número de hemácias total do paciente.

Se uma pessoa tem anemia, a porcentagem de reticulócitos será aumentada se a medula óssea tiver capacidade de produzir novas hemácias e se uma pessoa com anemia tiver uma porcentagem normal, isto significa que a medula óssea não está produzindo novas hemácias a fim de corrigir esta anemia. Pode-se concluir que o reticulócito expressa a produção medular de novas hemácias.

O termo reticulocitose refere-se ao aumento de reticulócitos no sangue.

Índice de produção de reticulócito[editar | editar código-fonte]

O médico usa-o no diagnóstico da anemia para saber se a medula óssea está produzindo novas hemácias em resposta ao estado anêmico.

Se a produção de reticulócitos não aumenta em resposta à anemia, então esta deve ter uma causa aguda com tempo insuficiente para a compensação, ou então deve haver algum defeito na produção de hemácias pela medula óssea. Defeitos medulares incluem deficiências nutricionais (deficiência de ferro, folato, ou vitamina B12) ou eritropoietina insuficiente, o estímulo para produção de novas hemácias.

A produção de reticulócitos deverá crescer entre 2 a 3 dias de uma hemorragia aguda, e atingir o pico entre 6 a 10 dias.

Quando o paciente tem hematócrito abaixo do normal, a porcentagem de reticulócito não é confiável, por estarem exauridas suas hemácias.

O cálculo do Índice de Produção de Reticulócitos (IPR), em função da sua contagem e em situação normal, é dado por:

IPR=

Contagem Corrigida de Reticulócitos
___________________________________
  Tempo de maturação em dias


Para se definir a contagem corrigida de reticulócitos, importante em pacientes anêmicos, usa-se a fórmula a seguir:


Contagem corrigida de reticulócitos =


% de reticulócitos x HT do paciente
___________________________________
             HT normal*


  • O hematócrito normal é 40% para mulher e 45% para homem

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Adamson JW, Longo DL. Anemia and polycythemia. in: Braunwald E, et al. Harrison's Principles of Internal Medicine. (15th Edition). McGraw Hill (New York), 2001.
  • Hoffbrand AV, et al. Essential Haematology. (Fourth Edition) Blackwell Science (Oxford), 2001.