Ricardo Guilherme Dicke

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ricardo Guilherme Dicke
Nascimento 16 de outubro de 1936 (86 anos)
Raizama, Chapada dos Guimarães, Mato Grosso,Brasil
Morte 09 de julho de 2008 (71 anos)
Cuiabá
Alma mater Universidade Federal do Rio de Janeiro
Ocupação escritor, artista plástico, escritor

Ricardo Guilherme Dicke (Raizama,16 de outubro de 1936Cuiabá, 9 de julho de 2008)[1] foi um escritor e artista plástico brasileiro.[2][3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de pai alemão e mãe brasileira, mais velho de sete filhos, Dicke nasceu em Vila Raizama, na Chapada dos Guimarães. Mudou-se para Cuiabá aos cinco anos e ao Rio de Janeiro aos 29 anos. Estudou filosofia na UFRJ, especializando-se em Merleau-Ponty e fez mestrado em filosofia da arte. [4] Dicke publicou seu primeiro livro, Caminhos de Sol e de Lua, no começo da década de 1960. Em 1968 publicou "O Deus de Caim"; o livro ficou em quarto lugar no Prêmio Walmap de Literatura do ano anterior; do júri participavam Guimarães Rosa, Jorge Amado e Antonio Olinto. [5] Entre 1973 e 1975 ,trabalhou como revisor no jornal O Globo. Voltou a Cuiabá, onde trabalhou como professor e seguiu escrevendo romances.

Apesar de pouco divulgada em vida, a obra de Dicke tinha apreciadores famosos, como Glauber Rocha e Hilda Hilst, que o considerava um "gigante" da literatura brasileira.[6]

Morreu em 9 de julho de 2008, em Cuiabá. Deixou publicações inéditas.[7][8]

Publicações[editar | editar código-fonte]

  • Caminhos de Sol e Lua
  • O Deus de Caim (1968)
  • Como o Silêncio (1968)
  • Caieira (1978)
  • Madona dos Páramos (1981)
  • Último Horizonte (1988)
  • A Chave do Abismo (1986)
  • Cerimônias do Esque­ci­men­to (1995)
  • Rio Abaixo dos Vaqueiros (2001)
  • Salário dos Poetas (2001)
  • Conjun­ctio Oppositorum no Grande Sertão (2002)
  • Toada do Esquecimento & Sinfonia Equestre (2006)
  • A Proximidade do Mar e a Ilha” (2011- póstumo)
  • O Velho Moço e Outros Contos”, (2011- póstumo)
  • Cerimônias do Sertão”(2011- póstumo)
  • Os Semelhantes (2011- póstumo)

Referências