Ricardo Mansur Filho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ricardo Mansur Filho
Nome completo Ricardo Mansur Filho
Nascimento 15 de outubro de 1975 (40 anos)
São Paulo
Nacionalidade  Brasil
Ocupação empresário e esportista

Ricardo Mansur Filho (São Paulo, 25 de outubro de 1975), mais conhecido como Rico Mansur, é um socialite, jogador de polo[1] e empresário[2] brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

É filho da empresária Patrícia Rollo e de Ricardo Mansur, ex-proprietário das redes de lojas de departamentos Mappin e Mesbla, e do Banco Crefisul (todos falidos em 1999)[3] .

Pólo[editar | editar código-fonte]

Rico Mansur está classificado pela Confederação Brasileira de Polo com um handicap de 7 goals[4] .

Em abril de 2007, sua equipe conquistou o terceiro lugar no Campeonato Mundial de Pólo, disputado em Miami Beach, EUA.[5]

Em março de 2013, foi confirmado como reforço do Corinthians. [6]

Notoriedade[editar | editar código-fonte]

Sua notoriedade na mídia, entretanto, originou-se muito mais por conta do sobrenome famoso e pelos relacionamentos sucessivos com várias celebridades, entre elas Gisele Bundchen, Isabeli Fontana e Luana Piovani[7] . Rico Mansur admitiu em entrevista que possui uma "relação de amor e ódio" com sua fama de bon vivant e que o sobrenome costuma pesar sobre seus ombros: "é muito fácil falarem que sou playboy, que vivo jogando pólo. Eles não sabem o quanto me esforcei para chegar onde estou"[8] .

Em 2012, foi anunciado na imprensa que Rico Munsur estava noivo da modelo gaúcha Cintia Dicker, no entanto, o noivado foi desfeito em dezembro do mesmo ano.


Referências

  1. Melissa Cerozzi (2005). "Pólo de emoções". Revista Vida & Arte. Consult. 31-03-2009. 
  2. Joaquim Castanheira e Carlos Sambrana (2005). "Um novo Mansur no mundo dos negócios". Istoé Dinheiro. Consult. 15-04-2009. 
  3. "Rico Mansur". Revista "Quem". Consult. 31-03-2009. 
  4. Sao Paulo -Teams for the Vogue Cup Semifinal (22 goals) na Federação Internacional de Polo (em inglês)
  5. Valença Sotero. "Nos Estados Unidos, triunfo verde-e-amarelo com Rico". Caras nº 703. Consult. 08-05-2009. 
  6. [1]
  7. Flávia Faccini (2008). "“Não é só chegar e levar”, diz Rico Mansur sobre as mulheres". Quem Acontece. Consult. 15-04-2009. 
  8. Joaquim Castanheira e Carlos Sambrana (2005). "Um novo Mansur no mundo dos negócios". IstoÉ Dinheiro. Consult. 08-05-2009. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]