Rio Anil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Rio Anil
Foz do rio Anil, em São Luís
Comprimento 13,8 km
Foz Baía de São Marcos
País(es)  Brasil

O rio Anil[1] é um curso de água com extensão de 13,8 quilômetros, que nasce ao sul de São Luís (MA), no bairro Aurora (Anil), percorrendo 55 bairros até a sua foz, na Baía de São Marcos, na região do Centro da capital.

Os afluentes do Rio Anil pela margem direita são: Igarapé da Ana Jansen, Igarapé do Jaracaty, Igarapé do Vinhais e Rio Ingaúra. Os afluentes pela margem esquerda são: Rio Jaguarema, Córrego da Vila Barreto, Córrego da Alemanha, Igarapé da Camboa.[2]

Atravessando uma zona densamente povoada, o rio sofreu profundo impacto pela ação humana. O processo de ocupação da margem esquerda foi efetuado pela população de baixa renda, enquanto que a ocupação da direita da margem foi consolidada a partir da construção de pontes e vias públicas (Ponte José Sarney, Ponte Bandeira Tribuzzi, Ponte do Caratatiua, Ponte do Ipase), expandindo a cidade para a construção de bairros de alta e média renda.[2]

O desmatamento da mata ciliar do rio Anil provocou a mudança da localização de sua nascente. Antes localizada no bairro do Tirirical, nas imediações do Aeroporto Internacional de São Luís, o manancial secou e a nascente foi deslocada para a região da Cohab. Esta também sofreu diversos danos com a ocupação humana e, atualmente, a nascente se localiza no bairro da Aurora, o que reduziu a extensão do rio.[3]

Outra consequência da ação humana é a poluição das águas superficiais, por meio do despejo de desejos industriais e domésticos no rio, provocando a eutrofização, o que afeta a vida aquática e diminui a quantidade de peixes. [2]

Apesar da degradação, ainda é possível ver pescadores e seus barcos de pesca, tirando seu sustento do rio, garças e o verde dos manguezais nas proximidades da foz do rio, na região da Ponte Bandeira Tribuzzi.[4]

Alguns projetos para melhorar a qualidade ambiental foram realizados: como o PAC Rio Anil, a partir de 2008, com a construção de moradias populares e urbanização da região da Camboa, onde muitas pessoas moravam em palafitas. O projeto também envolve a construção de estações elevatórias de esgoto, e a construção de novas Estações de Tratamento de Esgoto do Vinhais (entregue em 2016) e do Anil, somando-se à ETE Jaracaty (inaugurada em 2003), e à ETE Bacanga (que serve à bacia do rio Bacanga).[4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre hidrografia do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.