Rio Donets

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Rio Donets
Paisagem às margens do Donets
Mapa da bacia hidrográfica do Don, mostrando o curso do rio Donets
Mapa da bacia hidrográfica do Don, mostrando o curso do rio Donets
Foz Rio Don
País(es)  Rússia,  Ucrânia

O rio Donets, também chamado Seversky Donets (em russo: Северский Донец, transl. Severskiy Donets) ou Siverskyi Donets (em ucraniano: Сіверський Донець, transl. Siverskyi Donets), é um curso d'água localizado no sul da Planície europeia oriental.

Nasce no Planalto Central da Rússia, ao norte de Belgorod (Rússia), e corre, no seu primeiro trecho, na direção sul-sudoeste e, em seguida, leste; entra na Ucrânia (Oblasts de Kharkiv, Donetsk e Luhansk) e, enfim, novamente na Rússia (Oblast de Rostov), onde se junta ao Don, a cerca de 100 km do Mar de Azov. Embora tenha suas nascentes em território russo e seja o principal afluente do Don - um rio inteiramente contido em território russo -, a maior parte de curso do Donets encontra-se em território ucraniano.

O Donets dá nome à região conhecida como Donbas (uma redução de bacia do Donets), importante região carbonífera da Ucrânia. É o quarto mais longo rio da Ucrânia e o maior da porção leste do país, onde é um recurso hídrico relevante, tanto para o abastecimento da população como para a indústria.[1] Todavia, ao longo dos anos, a superexploração do rio traduziu-se em redução do nível das águas subterrâneas, desflorestamento e poluição ambiental. Com a queda do volume de água do rio e dada a localização industrial em sua bacia, iniciou-se, na década de 1970, a construção de um canal para ligar o Donets ao Dniepre. A obra foi executada em duas etapas: a primeira, com uma extensão de 269 km, entrou em operação em 1981, e a segunda, iniciada em 1976, foi suspensa em 1996.

Seis represas, construídas entre 1911 e 1914, [2] tornaram a navegação possível, a montante, até a cidade de Donetsk (Oblast de Rostov, Rússia), a 222 km da foz. [3] Cada uma dessas represas consiste de uma barragem de concreto, com 100 a 150 metros de comprimento e uma comporta de uma só câmara, com 100 metros de comprimento, 17 m de largura e 2,5 m de profundidade. Entre o fim do século XIX e início do XX, as tentativas feitas - em parte, por iniciativa de Dmitri Mendeleiev [4][5] - para melhorar a rede de barragens foram interrompidas pela Primeira Guerra Mundial, pela Guerra Civil Russa e pela falta de recursos. O desenho obsoleto das barragens prejudica a navegação do rio, que atualmente é bastante limitada.

A bacia hidrográfica do Donets com seus tributários

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O nome Don e seu diminutivo, Donets, são derivados do iraniano sármata Dānu ("o rio"). [6] Segundo V. Abaev, especialista em línguas cito-sármatas, o nome Don deriva do iraniano cito-sármata Dānu (rio).[7] Os cito-sármatas habitaram as áreas ao norte do Mar Negro, entre 1100 a.C. e o início da Idade Média.

No século II, Ptolemeu conheceu o rio Don, no qual desemboca o Donets, como Tanais, [8] e os europeus ocidentais reconheceram que o Don tinha um afluente significativo que eles chamavam de "pequeno Tanais" ou "Donetz".[9] O nome eslavo Seversky Donets deriva do fato de que o rio nascia na terra dos Severianos. Como escreveu o cronista italo-polonês Alexander Guagnini (1538-1614): "Há também outro pequeno Tanais, que tem origem no Principado de Seversky (por esta razão é chamado Donets Seversky) e flui para o grande Tanais, acima de Azov". [10]

Referências

  1. Donets River. Acesso em 26 de agosto de 2014.
  2. «Саркел.ру -Варианты соединения Волги и Дона». sarkel.ru. Cópia arquivada em 7 de março de 2017 
  3. Большой Советской Энциклопедии (Grande Enciclopédia Soviética), 1969–1978 : Северский Донец (transl. "Seversky Donets"). (em russo)
  4. Mendeleev D.I. Future force resting on the banks of the Donets. "Northern Herald", No. 8 – 12, 1888
  5. Puzyrevskyi N.P. Prospecting on Sev. Donets River in 1903 and 1904 and the project of the waterway from Kharkiv and Belgorod to the confluence of river Donets, St. Petersburg, 1910
  6. Mallory, J.P. and Victor H. Mair. The Tarim Mummies: Ancient China and the Mystery of the Earliest Peoples from the West. London: Thames and Hudson, 2000, p. 106
  7. Абаев В. И. Осетинский язык и фольклор ('Língua e folclore da Ossetia'). Moscou: Editora da Academia Soviética de Ciências, 1949, p. 236.
  8. Lloyd Arnold Brown (1979). The story of maps. [S.l.]: Courier Dover Publications. p. 71. ISBN 0-486-23873-3 
  9. James Rennell (1830). The geography system of Herodotus examined and explained, by a comparison with those of other ancient authors, and with modern geography. [S.l.]: C.J.G. & F. Rivington. p. 76 
  10. Citação: Есть также другой, малый Танаис, который берёт своё начало в Северском княжестве (поэтому он называется Донец Северский) и выше Азова впадает в большой Танаис. In АЛЕКСАНДР ГВАНЬИНИ (Alexander Guagnini). ОПИСАНИЕ МОСКОВИИ ('Descrição da Moscóvia'). Reimpressão de 1997.
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Ucrânia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre geografia da Rússia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.