Rio Pinhão (Portugal)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rio Pinhão
Albufeira e Barragem de Pinhão
Comprimento 30 km
Nascente Raiz do Monte
Altitude da nascente 900 m
Foz Rio Douro
Área da bacia 277 km²
País(es)  Portugal

O rio Pinhão nasce na Fonte de São João, no lugar de Raiz do Monte da freguesia de Vreia de Jales, no concelho de Vila Pouca de Aguiar e é um afluente da margem direita do rio Douro, após um percurso de cerca de 30 km de extensão.[1]

Abrangendo parcialmente os concelhos de Alijó, Sabrosa e Vila Pouca de Aguiar, sempre no Distrito de Vila Real, a sub-bacia hidrográfica do rio Pinhão tem 277 km² em termos de área.[1]

Curso[editar | editar código-fonte]

Desagua na Vila do Pinhão, Ainda na freguesia de Vreia de Jales, foi concluída em 2008 a Barragem do Pinhão, uma estrutura que dispõe de uma passagem para peixes e toupeiras de água e permite um nível de armazenamento superior a 4,2 milhões de metros cúbicos de água, com um caudal ecológico de 0,329 metros cúbicos por segundo.[1][2] A água desta barragem serve para abastecer os concelhos de Vila Real, Sabrosa, Peso da Régua, Murça, Alijó, Santa Marta de Penaguião e Mesão Frio.[2]

Fauna[editar | editar código-fonte]

Peixes[editar | editar código-fonte]

Poluição[editar | editar código-fonte]

A qualidade da água do rio Pinhão é de um modo geral considerada boa, sendo a poluição hídrica gerada sobretudo pelas actividades de produção de vinho e de azeite, existindo ainda, nas serras da Falperra e da Padrela, uma vasta área de extracção de inertes.[1]

Referências

  1. a b c d PEREIRA, A.; HAIE, Naim; FERNANDES, Luís Filipe (2008). «Pressões antropogénicas nas bacias hidrográficas dos rios Sôrdo, Pinhão e Ribeira de Vila Chã: causas, consequências e respostas» (PDF). Associação Portuguesa dos Recursos Hídricos. 8 páginas. Consultado em 17 de Fevereiro de 2014  line feed character character in |autor= at position 25 (ajuda)
  2. a b Ermelinda Osório (29 de Abril de 2008). «Barragem do Pinhão pronta». Jornal de Notícias. Consultado em 17 de Fevereiro de 2014 
  3. a b c Ribeiro, F., Beldade, R., Dix, M. & Bochechas, J. (1 de Setembro de 2007). «Douro Pinhão Quinta das Barrocas». Carta Piscícola Nacional Direcção Geral dos Recursos Florestais-Fluviatilis, Lda. Publicação Electrónica (versão 09/2007). Consultado em 18 de Fevereiro de 2014 
  4. a b c Ribeiro, F., Beldade, R., Dix, M. & Bochechas, J. (1 de Setembro de 2007). «Douro Pinhão Próximo de Vale de Mendiz». Carta Piscícola Nacional Direcção Geral dos Recursos Florestais-Fluviatilis, Lda. Publicação Electrónica (versão 09/2007). Consultado em 18 de Fevereiro de 2014 
  5. a b c Ribeiro, F., Beldade, R., Dix, M. & Bochechas, J. (1 de Setembro de 2007). «Douro Pinhão Balsa». Carta Piscícola Nacional Direcção Geral dos Recursos Florestais-Fluviatilis, Lda. Publicação Electrónica (versão 09/2007). Consultado em 18 de Fevereiro de 2014 
  6. a b c Ribeiro, F., Beldade, R., Dix, M. & Bochechas, J. (1 de Setembro de 2007). «Douro Pinhão Próximo de Vilar de Maçada». Carta Piscícola Nacional Direcção Geral dos Recursos Florestais-Fluviatilis, Lda. Publicação Electrónica (versão 09/2007). Consultado em 18 de Fevereiro de 2014 
  7. Ribeiro, F., Beldade, R., Dix, M. & Bochechas, J. (1 de Setembro de 2007). «Douro Pinhão Rio Pinhão, próximo de Barrela». Carta Piscícola Nacional Direcção Geral dos Recursos Florestais-Fluviatilis, Lda. Publicação Electrónica (versão 09/2007). Consultado em 18 de Fevereiro de 2014 
Ícone de esboço Este artigo sobre hidrografia em geral é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre Hidrografia de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.