Roberto Macedo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Roberto Macedo
Roberto Eduardo da Costa Macedo
Nome completo Roberto Eduardo da Costa Macedo
Nascimento 14 de julho de 1887
Santo Tirso
Morte 19 de julho de 1977 (90 anos)
(Ramalde) Porto
Nacionalidade Portugal portuguesa
Ocupação Juiz, poeta, escritor, publicista

Roberto Eduardo da Costa Macedo (Santo Tirso, 14 de julho de 1887 - Porto, 19 de julho de 1977) foi um juiz, escritor, publicista e poeta português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu em 1887 em Santo Tirso, filho de Dr. Eduardo da Costa Macedo, seguiu as pegadas de seu pai, quanto à capacidade de elevar a alma e a poesia.
Em 1899 dá-se uma forte onda da peste bubónica na zona do grande Porto, incluindo Santo Tirso, assim sendo Roberto vai estudar para o Colégio Aveirense, onde completa o liceu e inicia o poema "o meu varino" Gabão, varino de Aveiro. Mais tarde em 1907, enquanto estudante no liceu de Braga, foi militante na Associação Académica, onde contesta e participa na greve dos alunos. Com 25 anos de idade forma-se em Direito na Universidade de Coimbra (1907-1912)[1][2][3][4][5] , depois foi Juiz de Direito e esteve em várias comarcas em Portugal como: Vieira do Minho, Fafe, Vila da Feira, Guarda e Porto.
Envolveu-se entusiasticamente na política, tendo discursado no dia da proclamação da República em 1910. Em 1913 foi nomeado ajudante de notário da Comarca de Santo Tirso [6]. Colaborou em vários jornais de Santo Tirso, tendo sido director do Jornal Povo, publicou várias Obras, destacando-se mais os seus últimos livros como Poemas e em 1969 publica em prosa Uma Ilustre Dama Brasileira em Santo Tirso, em que tem a finalidade de contar a história de Alice Saint Brisson e da sociedade Tirsense, nos princípios do século XX e dar uma homenagem à comunidade Luso/Brasileira e a todos os Portugueses que, desde a descoberta do Brasil deram a sua vida e os seus esforços.

Sto Tirso e o advento da republica

Em 2010 a Câmara de Santo Tirso, na comemoração dos 100 anos da República, fez-lhe uma homenagem, como também a todos os outros Republicanos Tirsenses.

Obras[editar | editar código-fonte]

Na sua Obra constam vários versos, artigos escritos, tendo sido colaborador assíduo dos jornais de Santo Tirso, como: Jornal de Santo Thyrso, Semana Tirsense, no Democrata e posteriormente n'O Arauto e Jornal Povo. Constam também vários discursos públicos.

  • EU (tipografia: Coimbra : França & Arménio Amado) (1911) [7]
  • Poemas D'Hoje (tipografia: Coimbra : França & Arménio Amado) (1914) [8]
  • Notas históricas : é difícil estudar a História do Brasil(1941) [9]
  • Efemérides cariocas (1943) [10]
  • Esperança outonal : versos : curso jurídico de (1907-1912) : quarenta anos depois(1952) [11]
  • A Claridade da Vida [12]
  • O Homem e o seu Carácter, Porto (1960) [13]
  • Dor Venturosa
  • Poemas D'aço
  • Novos Caminhos
  • POEMAS (1965) [14]
  • Faceta Epistolar - Cartas a uma Filha - Julho de (1967)
  • Uma Ilustre Dama Brasileira, Santo Tirso(1969) [15]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Em 1907 frequentava o 1ºano de Direito e a sua morada era a casa de seu pai Eduardo da Costa Macedo, natural de Santo Tirso, distrito do Porto - Rua de Thomar, n.º 4 - Cf. - Annuario da Universidade Coimbra. Anno lectivo de 1907 a 1908. Coimbra, p.341». Imprensa da Universidade. 1907. Consultado em 1 de Fevereiro de 2013 
  2. «Em 1908 frequentava o 2ºano de Direito e a sua morada era a casa de seu pai Eduardo da Costa Macedo, natural de Santo Tirso, distrito do Porto - Cf. - Annuario da Universidade Coimbra. Anno lectivo de 1908 a 1909. Coimbra, 1150º posição, p.319». Imprensa da Universidade. 1908. Consultado em 1 de Fevereiro de 2013 
  3. «Em 1909 frequentava o 3ºano de Direito e a sua morada era a casa de seu pai Eduardo da Costa Macedo, natural de Santo Tirso, distrito do Porto - Cf. - Annuario da Universidade Coimbra. Anno lectivo de 1909 a 1910. Coimbra, 77º posição p.143». Imprensa da Universidade. 1909. Consultado em 1 de Fevereiro de 2013 
  4. «Em 1910 frequentava o 4ºano de Direito e voluntário para 5º ano de Direito e a sua morada era a casa de seu pai Eduardo da Costa Macedo, natural de Santo Tirso, distrito do Porto - Cf. - Annuario da Universidade Coimbra. Anno lectivo de 1910 a 1911. Coimbra, 1297º posição p.422». Imprensa da Universidade. 1910. Consultado em 3 de Fevereiro de 2013 
  5. «Em 1911 frequentava o 5ºano de Direito e a sua morada era a casa de seu pai Eduardo da Costa Macedo, natural de Santo Tirso, distrito do Porto - Cf. - Annuario da Universidade Coimbra. Anno lectivo de 1911 a 1912. Coimbra, 1194º posição p.358». Imprensa da Universidade. 1911. Consultado em 3 de Fevereiro de 2013 
  6. «Despacho de 26 de Agosto de 1913» (PDF). Diário da República. 1913. Consultado em 26 de Março de 2013 
  7. «EU». Biblioteca Nacional de Portugal. 1911. Consultado em 15 de janeiro de 2013 
  8. «Poemas D'Hoje». Biblioteca Nacional de Portugal. 1916. Consultado em 16 de janeiro de 2013 
  9. «Notas históricas : é dificil estudar a História do Brasil». Biblioteca Municipal do Porto. Consultado em 16 de janeiro de 2013 
  10. «Efemérides cariocas». Biblioteca de Portugal. Consultado em 16 de Janeiro de 2013 
  11. «Esperança outonal: versos : curso jurídico de 1907-1912 : quarenta anos depois». Biblioteca Nacional de Portugal. Consultado em 15 de janeiro de 2013 
  12. (A um coração ferido) veio publicado no Jornal de Santo Thyrso, de 18 de Abril de 1958
  13. «O HOMEM E O SEU CARÁCTER». Biblioteca Nacional de Portugal. Consultado em 16 de janeiro de 2013 
  14. «POEMAS». Biblioteca Nacional de Portugal. Consultado em 15 de janeiro de 2013 
  15. «Uma Ilustre Dama Brasileira». Biblioteca Nacional de Portugal. 1969. Consultado em 16 de janeiro de 2013 
  16. A poesia refere-se a um típico trajo de Aveiro, chamado gabão ou varino, quando Dr. Roberto Eduardo da Costa Macedo, foi aluno no Liceu de Aveiro nos anos escolares de 1900 a 1905.
  17. «Antologia de Poetas Tirsenses». Rede de conhecimento das Bibliotecas Públicas. Consultado em 16 de janeiro de 2013 
  18. «Um Ramo Transmontano de Macedos: Os Vilar de Maçada». Bibliotecas Municipais do Porto. Consultado em 16 de Janeiro de 2013 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.