Sérgio Vaz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Sérgio Vaz
Sérgio Vaz
Nome completo Sérgio Vaz
Nascimento 26 de junho de 1964 (54 anos)
Ladainha  Minas Gerais  Brasil
Nacionalidade Brasil Brasileiro
Ocupação Poeta e Produtor Cultural
Género literário Literatura Brasileira

Sérgio Vaz (Ladainha, 26 de junho de 1964) é um poeta brasileiro[1][2].

Biografia[editar | editar código-fonte]

Mudou-se com a família para São Paulo aos 5 anos de idade. Mais tarde, estabeleceu-se em Taboão da Serra, na região metropolitana. Fundou em 20 a Cooperativa Cultural da Periferia (Cooperifa). Também foi o criador do Sarau da Cooperifa, que semanalmente reúne cerca de 400 pessoas no Jardim Guarujá para ler e criar poesia[3].

Promoveu em 2007 a Semana de Arte Moderna da Periferia, inspirada na Semana de Arte Moderna de 1922. Criou outros eventos, como a Chuva de Livros; o Poesia no Ar, em que papeis com versos são amarrados a balões de gás e soltos no ar; e o A joelhaço, em que homens se ajoelham na rua para pedir perdão às mulheres no Dia Internacional da Mulher. Foi escolhido pela revista Época um dos 100 brasileiros mais influentes de 2009[4][5][6]. Foi homenageado pela escola de samba Imperatriz do Samba, do primeiro grupo de Taboão da Serra, que apresentou o enredo Sergio Vaz, o poeta da periferia[7].

Seus primeiros livros foram edições independentes. Só veio a ser publicado por uma editora em 2007, quando a Global lançou Colecionador de Pedras.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • 1988 - Subindo a ladeira mora a noite (independente)
  • 1991 - A margem do vento (independente)
  • 1994 - Pensamentos vadios (independente)
  • 2005 - A poesia dos deuses inferiores (independente)
  • 2007 - Colecionador de Pedras (Global)
  • 2008 - Cooperifa - Antropofagia Periférica (independente)
  • 2011 - Literatura, pão e poesia (Global)
  • 2016 - "Flores de Alvenaria " (Global)
  • Oração dos Desesperados 2016

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • 2011 - Trip Transformadores 2011
  • 2010 - Orilaxé (Grupo Cultural AfroReggae)
  • 2007 - Unicef
  • 2011 - Prêmio Governador de São Paulo, categorias Inclusão Cultural e Destaque Cultural (Secretaria de Cultura de São Paulo)
  • Prêmio Heróis Invisíveis (Gilberto Dimenstein)
  • Prêmio Hutúz

Referências

  1. NASCIMENTO, Érica Peçanha do. Apontamentos sobre estética e política na Semana de Arte Moderna da Periferia. XIV Congresso Brasileiro de Sociologia, 28 a 31 de julho de 2009. Pág. 3
  2. Sérgio Vaz, o poeta viralata Arquivado em 17 de outubro de 2013, no Wayback Machine.. Nexjor - Laboratório experimental de jornalismo, 14 de agosto de 2013
  3. Sergio Vaz, um dos brasileiros mais influentes de 2009 Arquivado em 7 de abril de 2014, no Wayback Machine.. Portal Literal, 15 de dezembro de 2009
  4. Voz da periferia, Sérgio Vaz é o convidado do Ofício da Palavra para a Semana de Museus Arquivado em 17 de outubro de 2013, no Wayback Machine.. Museu de Artes e Ofícios
  5. Revista Época escolhe Sérgio Vaz como um dos 100 mais influentes do país Arquivado em 17 de outubro de 2013, no Wayback Machine.. O Taboanense
  6. Sérgio Vaz: Sarau ajudou a criar identidade das pessoas com o bairro Arquivado em 12 de outubro de 2013, no Wayback Machine.. Vila Morumbi, 13 de abril de 2013
  7. Poeta Cidadão. Revista Personnalité, nº 17

Ligações externas[editar | editar código-fonte]