Salada de Frutas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Salada De Frutas
Informação geral
País  Portugal
Gênero(s) Pop
Rock Progressivo
Período em atividade 1980 a 1983
Gravadora(s) Rossil
Edisom
Integrantes Lena d'Água (Vozes)
Luis Pedro Fonseca (Teclados e vozes)
Zé da Ponte (Baixo, guitarras e voz)
Zé Carrapa (Guitarra)
Guilherme Inês (Bateria, percussões, guitarra acústica e teclados)
Carlos Pereira (Vozes)
Zé Nabo (Voz, Guitarras e baixo)
Quico Serrano (Teclados)

O grupo Salada De Frutas foram uma das primeiras dezenas de bandas portuguesas surgidas com o movimento criativo da altura, o chamado music boom nacional do género Pop/Rock original surgido em Portugal do início dos anos 80, que se formou na Amadora e em Lisboa em 1980. Quase todos os membros dos Salada de Frutas vinham de outras bandas antigas dos anos 70. Mais tarde, este novo quinteto grava alguns discos seus de som pop/rock/alternativo próximo dos conhecidos INXS, The Police e U2. Em 2010, aparece no mercado discográfico uma nova compilacão, já em formato CD do grupo intitulado "O Melhor De /"The Best Of".

Biografia[editar | editar código-fonte]

Em setembro de 1980, Lena d'Água (ex-Beatnicks), Luis Pedro Fonseca (ex-Plexus) e Zé da Ponte (ex-Saga) formam o grupo Salada De Frutas. Pouco tempo depois lançam, através da editora Rossil, o álbum Sem Açúcar, que foi um enorme sucesso, vendendo vários milhares de exemplares em pouco tempo.

A vocalista Lena d'Água marcou a diferença desde o início, pontuando com a sua voz as sonoridades híbridas, com alusões ao rock experimental anglo-saxónico dos anos 1960 que dominavam o álbum. Nesse primeiro trabalho, podemos escutá-la em faixas como Shui the Shock, Bolonha e Como Se Eu Fosse Tua. Os outros dois elementos também fazem a voz principal em alguns dos temas do álbum. Aparecem como músicos convidados nesse disco Guilherme Inês e Zé Carrapa (José Moz Carrapa, de seu nome completo), que posteriormente, se tornariam membros efectivos da banda,[1] e em alguns temas os sopros de Rui Cardoso.

Em 1981 lançam o single Robot, um mega-sucesso, que venderia mais de 30 mil exemplares. Foi uma das canções a ser caricaturada por Tony Silva.[2]

Em setembro desse mesmo ano de 1981, após uma actuação na Festa do Avante, no Alto Da Ajuda em Lisboa, decidiu-se dispensar Lena d'Água de forma unilateral e algo polémica, alegando que ela não tinha capacidades para integrar uma banda de Rock alternativo. [1] Luis Pedro Fonseca e Lena d'Água, naquela altura um casal de namorados, abandonam pouco tempo depois os Salada De Frutas e decidem arrancar com o seu novo projeto chamado Banda Atlântida, uma outra banda da mesma altura, mas com outra sonoridade mais suave. As vagas ficam livres para depois chegarem Carlos Pereira (ex-Chinchilas), como novo vocalista, entrando também na mesma altura Zé Nabo, o guitarrista e baixo, também ele saído da banda de Rui Veloso.

Ainda antes do final do ano em 1981, partem para Hilversum, na Holanda, para gravar um álbum novo da banda, que foi lançado pela Edisom. José Nabo assumiu a voz principal, por Carlos Pereira, o novo cantor, que se tinha afastado uns dias antes devido a incompatibilidades profissionais e tinham contratado um outro músico, Quico Serrano, para os teclados.[3] Com esta nova formação, foi lançado o segundo disco da banda, Se Cá Nevasse. José Nabo, habitualmente baixista, toca guitarra em várias faixas, alternando com José da Ponte, e o baterista Guilherme Inês também toca guitarra e teclados no tema "Moçoila". A cantora portuguesa Né Ladeiras acrescenta vozes no tema "Tanahora". Em algumas letras encontramos a colaboração de Carlos Tê, Carlos Pereira, Mário Zambujal e Ana Bola.

Em "Se Cá Nevasse", que foi gravado no Wisserloordt Studios de Hilversum, orientandos pelo Tom Van den Brent, encontramos um produtor musical experiente que tinha gravado com conhecidas bandas holandesas (The Art Academy, Fox The Fox). O disco vendeu muito em Portugal. Nele podemos escutar temas originais como Se Cá Nevasse, Namaptess, Zimalabararistix e Histórias (Campanha Orquestrada).

Em 1982, o grupo deixa de ser "Salada De Frutas", para se transformar apenas em "Salada", um novo nome que apresentam no seu último trabalho de estúdio, Crime Perfeito. A banda apresenta nesse disco um som mais elaborado e experimental, abandonando os temas mais comerciais e enveredando por um som bastante mais instrumental e mais evoluído musicalmente nos seus 10 temas de "Crime Perfeito", três deles cantados. A banda chegou mesmo a divulgar este novo disco num concerto ao vivo no Canal 1 da RTP ,em maio de 1982. Também em 1982, José da Ponte participa no disco "Também Eu" , da Banda Do Casaco, como guitarrista e com a cantora Né Ladeiras, ambos convidados a gravarem e a tocarem nests álbum.

Após o insucesso comercial deste último disco e a fraca adesão aos concertos da digressão correspondente, o grupo oficializa a sua dissolução e desta forma os Salada De Frutas/Salada separam-se amigavelmente em setembro de 1983. Cada um dos membros, segue uma carreira profissional na indústria da musica e das artes, como músicos ou colaboradores de outros grupos bandas novas, bem como vocalistas.

Depois do fim dos Salada De Frutas, os membros fundadores, Luís Pedro Fonseca, Guilherme Inês, José Da Ponte e uma nova cantora, "Formiga", decidem formar os Zoom, um novo projeto de pop/alternativo. O grupo chega a gravar um disco original de 10 temas intitulado "Hands Off", todo ele cantado em inglês, que vendeu razoavelmente bem. Os Zoom depois separam-se em 1990 por a maioria deles se dedicarem a promover, trabalhar e a colaborar com novas vozes e novos grupos portugueses ou exercerem outras funções, sempre ligadas à Industria da música ligeira portuguesa.

Em 2010, a conhecida editora Valentim De Carvalho e ex- membros dos Salada De Frutas (José da Ponte, Lena d'Água, José Carrapa e Guilherme Inês) juntam-se para organizar e gravar uma compilação, toda ela inédita, num disco novo, mas agora em formato CD, que reúne o melhor dos Salada De Frutas, celebrando os 30 anos desde o início da banda.

Mais recentemente, Lena d'Água regressa aos discos como a voz principal numa nova banda portuguesa totalmente sua, de nome Rock’n’Roll Station, que pega em antigos temas da cantora e outros dos Salada De Frutas, reinterpretado-os num estilo rock comercial dos anos 1990. O quarteto gravou um disco semi-original que saiu em 2013.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Lp's[editar | editar código-fonte]

Singles[editar | editar código-fonte]

  • Como Se Eu Fosse Tua - (Rossil, 1980)
  • Robot/Armagedom - (Edisom, 1981)
  • Se Cá Nevasse…/Namaptess - (Edisom, 1982)

Máxi[editar | editar código-fonte]

  • Los Bandidos (Chica) - (Edisom, 1983)

Referências[editar | editar código-fonte]

Notas
  1. a b SPA. «Zé Carrapa». 
  2. Tony Silva, é um personagem criado pelo humorista português Herman José, surgido pela primeira vez no programa da RTP1 O Passeio dos Alegres de Júlio Isidro (1981) e posteriormente, num programa da RTP1 do próprio Herman José, O Tal Canal (1983)
  3. «Salada de Frutas». anos 1980. Consultado em 6 de novembro de 2010. 
Bibliografia
  • TV-Guia, 1982
Videografia

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Flag of Portugal.svgGuitarra masc.png Este artigo sobre uma banda ou grupo musical de Portugal, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.