Salto São Francisco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Salto São Francisco
Características
Altura 196 m
Localização
Rio Rio São Francisco
País  Brasil
Local Guarapuava - Prudentópolis - Turvo, Paraná

O Salto São Francisco é a maior queda d'água da região sul do Brasil e uma das maiores do país[1][2][3]. A queda está localizada na Serra da Boa Esperança, numa região de tríplice fronteira entre os municípios de Guarapuava, Prudentópolis e Turvo, no estado do Paraná, dentro da Área de Preservação Ambiental da Serra da Esperança. Na região, pertencente ao município de Guarapuava foi criado, pela prefeitura, o Parque Municipal São Francisco da Esperança, com trilhas para caminhada e vista panorâmica do salto. Possui aproximadamente 196 metros de queda livre, o que equivale a um prédio de 60 andares, onde a água transforma-se em névoa antes de tocar no chão.[4]

A Serra da Boa Esperança é o limite leste, no estado do Paraná, entre o Segundo e o Terceiro planalto paranaense, também conhecido como planalto basáltico ou de Guarapuava. O Terceiro Planalto é constituído por grandes derrames de rochas magmáticas que ocorreram na Bacia do Paraná, entre 137 e 127 milhões de anos, sendo constituídos principalmente por basaltos e fazem parte da Formação Serra Geral [5][6].

Ícone de esboço Este artigo sobre hidrografia em geral é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Referências

  1. «Salto São Francisco, a maior cachoeira do Sul do Brasil» 
  2. «Cachoeiras - Salto São Francisco» 
  3. «Salto São Francisco» 
  4. Governo do Paraná (18 de julho de 2013). «Conheça o Parque São Francisco». Paraná Turismo. Consultado em 12 de dezembro de 2016. 
  5. Bartorelli, A. Origem das grandes cachoeiras do planalto basáltico da Bacia do Paraná: evolução quaternária e geomorfologia. In: Mantesso Neto, V.; Bartorelli, A.; Carneiro, C.D.R.; Neves, B.B.B. (Eds.). Geologia do continente sul-americano - evolução da obra de Fernando Flávio Marques de Almeida. São Paulo, Brasil: Beca, 2005. p.95-111.
  6. Marques, L.S.; Ernesto, M. O magmatismo toleítico da Bacia do Paraná. In: Mantesso Neto, V.; Bartorelli, A.; Carneiro, C.D.R.; Neves, B.B.B. (Eds.). Geologia do continente sul-americano - evolução da obra de Fernando Flávio Marques de Almeida. São Paulo, Brasil: Beca, 2005. p.245-263.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]