SVG

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Scalable Vector Graphics)
Ir para: navegação, pesquisa
SVG - Scalable Vector Graphics
Tipo vectorial (permite inclusão de imagens raster)
MIME image/svg+xml
Extensão .svg ;.svgz
Compressão gzip (no formato ".svgz")
Cores 24 bits / 16 milhões
Espaço de cor sRGB ; perfis ICC
Características gradientes, transparência, animação, som, fontes embutidas, ECMAScript, ligação com ficheiros externos nos formatos PNG, JPEG, MP3, WAV
Desenvolvedor coordenação da W3C e apoios: Adobe, Agfa, Apple Inc., Canon, Corel, Ericsson, HP, IBM, Kodak, Macromedia, Microsoft, Nokia, Sharp e Sun Microsystems.
Lançamento 4 de Setembro de 2001
Última versão 1.1 (2ª edição) (16 de Agosto de 2011)
Licença royalty-free vendor-neutral open standard
Programas vários
Variantes SVG 1.1 ; SVG Print ; variantes destinadas a dispositivos móveis: SVG Tiny 1.1 ; SVG Tiny 1.1+ ; SVG Basic 1.1
Website www.w3.org
Lista de formatos de ficheiros gráficos

SVG é a abreviatura de Scalable Vector Graphics que pode ser traduzido do inglês como gráficos vetoriais escaláveis. Trata-se de uma linguagem XML para descrever de forma vetorial desenhos e gráficos bidimensionais, quer de forma estática, quer dinâmica ou animada. Umas das principais características dos gráficos vetoriais, é que não perdem qualidade ao serem ampliados. A grande diferença entre o SVG e outros formatos vetoriais, é o fato de ser um formato aberto, não sendo propriedade de nenhuma empresa. Foi criado pela World Wide Web Consortium, responsável pela definição de outros padrões, como o HTML e o XHTML.

A criação deste formato foi baseada noutros já existentes: CSS, DOM, JPEG, PNG, SMIL e XML. É um padrão aberto desenvolvido desde 1999 por um grupo de trabalho do W3C com base nos formatos PGML, da Adobe, e VML, da Microsoft, submetidos ao W3C por essas empresas em 1998.[1]

SVG é suportado por todos os navegadores Web modernos de forma nativa ou através de bibliotecas JavaScript. O suporte nativo no Microsoft Internet Explorer só é possível a partir da versão 9. Bibliotecas JavaScript[2][3] permitem suporte limitado em navegadores mais antigos.

Descrição[editar | editar código-fonte]

O formato SVG, neste momento, permite três tipos de objetos gráficos:

  • formas geométricas vetoriais (isto é, linhas e curvas descritas matematicamente, ao contrário das imagens bitmap compostas por pixels)
  • imagens raster / bitmap
  • texto

Quanto ao armazenamento, as imagens no formato SVG podem ser gravadas com a compressão gzip, sem perda de dados, podendo-se chamar neste caso, ficheiros SVGZ (assim como a extensão). Devido ao XML conter muitos dados redundantes, pode ser comprimido, resultando em ficheiros bastante menores. No entanto muitas vezes, o formato SVG já é por si menor que a sua versão em raster.

Visualização na Web[editar | editar código-fonte]

Gráficos SVG podem ser visualizados directamente nos principais navegadores, com suporte limitado nas versões mais antigas.

Impacto potencial[editar | editar código-fonte]

Com o compromisso da Adobe em suportar o formato em suas ferramentas, que sabidamente são largamente utilizadas por profissionais em editoração (para a web ou não), além do fato do padrão ser baseado em texto seguindo os padrões XML, o que o torna fácil o aprendizado por imitação, é provável que a produtividade de seus usuários muito rapidamente alcance os níveis daqueles de formatos tradicionais. Isto deve tornar a adoção do formato rápida e indolor. Por exemplo, a biblioteca libplot, parte do pacote GNU plotutils, já fornece suporte para SVG, fazendo com que o desenvolvimento de programas livres com suporte ao formato já esteja a pleno vapor.

Bitmap VS SVG.svg

Dificilmente, porém, haverá uma revolução na web por conta da introdução do formato. Tampouco é de se prever a obsolescência de formatos atualmente em uso graças ao SVG porque os padrões de imagens bitmap continuam úteis nas aplicações apropriadas.

Dispositivos móveis[editar | editar código-fonte]

Devido às necessidades da indústria, foram introduzidos dois novos formatos no SVG 1.1: o "SVG Tiny" (SVGT) e o "SVG Basic" (SVGB). Ambos são derivados do SVG padrão, destinados a máquinas com limitações. Em particular, o SVG Tiny foi definido para dispositivos móveis com limitações de hardware, como os telemóveis (no Brasil, celulares). Já o SVG Basic é destinado a dispositivos móveis com mais capacidades, como os Assistentes Pessoais Digitais (PDA, sigla inglesa).

Versões[editar | editar código-fonte]

  • SVG 1.0 - lançado a 4 de Setembro de 2001.
  • SVG 1.1 - lançado a 14 de Janeiro de 2003.
  • SVG 1.2 - em estudo
  • SVG Tiny - (dispositivos móveis) lançado a 14 de Janeiro de 2003.
  • SVG Tiny 1.2 - em estudo
  • SVG Basic - (dispositivos móveis) lançado a 14 de Janeiro de 2003.

Programas para criar, editar e exportar gráficos SVG[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Secret Origin of SVG». World Wide Web Consortium. 21 de dezembro de 2007. Consultado em 16 de janeiro de 2011 
  2. «SVG Web JavaScript Library». Google Code. Consultado em 23 de janeiro de 2011 
  3. «Ample SDK JavaScript UI Framework». Consultado em 23 de janeiro de 2011 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre SVG
Official
Demonstrações
Programas
Tutoriais
Cliparts SVG