Internet Explorer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Microsoft Internet Explorer)
Ir para: navegação, pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou seção está a ser traduzido de «Internet Explorer» na Wikipédia em inglês (desde maio de 2016). Ajude e colabore com a tradução.
Internet Explorer
Logótipo
Captura de tela
Internet Explorer 11 exibindo a página inicial da Wikipédia no Windows 10
Autor Thomas Reardon
Desenvolvedor Microsoft
Plataforma IA-32, x64, ARMv7, IA-64, MIPS, Alpha, PowerPC, 68k, SPARC, PA-RISC
Lançamento 23 de agosto de 1995 (20 anos)
Versão estável
Linguagem C++[2]
Sistema operacional Windows, OS X, Solaris, HP-UX
Gênero(s)
Licença Proprietária, requer uma licença do Windows[3]
Estado do desenvolvimento Descontinuado (mas suportado no Windows)
Página oficial microsoft.com/ie

Internet Explorer[nota 1] (anteriormente Microsoft Internet Explorer[nota 2] e Windows Internet Explorer[nota 3], e comumente abreviado como IE ou MSIE) é uma série de navegadores web gráficos desenvolvidos pela Microsoft e inclusos como parte da linha de sistemas operacionais Microsoft Windows, iniciado em 1995.[4][5] Ele foi lançado inicialmente como parte do pacote de complementos Plus! para Windows 95 no mesmo ano. As versões posteriores foram disponibilizadas como downloads gratuitos, ou em service packs, e foi incluído nos serviços de lançamentos para Original Equipment Manufacturer (OEM) do Windows 95 e em versões posteriores do Windows.

O Internet Explorer foi um dos navegadores web mais usados do mundo, obtendo um pico de cerca de 95% da fatia de uso entre 2002 e 2003.[6]Isso ocorreu após ele conseguir vencer a primeira guerra dos navegadores contra o Netscape Navigator, que foi o navegador dominante durante a década de 1990. Sua fatia de uso foi diminuindo com o lançamento do Firefox (2004) e do Google Chrome (2008), e com a popularidade de sistemas operacionais como o OS X, o Linux, o iOS e o Android, que não rodam o Internet Explorer nativamente. As estatísticas no geral para a fatia de mercado do Internet Explorer vão de 17.11% até 51.59% ou pelos números da StatCounter é o 3º do ranking, logo depois do Firefox (ou até menos do que 10,3% quando se contam todas as plataformas, logo após o Safari[7]), desde setembro de 2015 (a quota de mercado dos navegadores é notoriamente difícil de se calcular). A Microsoft gastou cerca de 100 milhões de dólares por ano no Internet Explorer no final da década de 1990,[8] com mais de 1000 pessoas trabalhando nele em 1999.[9][10]

Versões do Internet Explorer para outros sistemas operacionais foram produzidas, incluindo uma versão para o Xbox 360 chamada de Internet Explorer for Xbox e uma versão incorporada para OEMs chamada de Pocket Internet Explorer, posteriormente renomeada como Internet Explorer Mobile, feito para Windows Phone, Windows CE, e anteriormente, baseado no Internet Explorer 7 para Windows Mobile. Ele permaneceram em desenvolvimento juntamente com as versões para desktop. O Internet Explorer for Mac e o Internet Explorer for UNIX (Solaris e HP-UX) foram descontinados.[11]

Em 17 de março de 2015, a Microsoft anunciou que o Microsoft Edge substituirá o Internet Explorer como navegador padrão em seus dispositivos com Windows 10.[12] Isso efetivamente torna o Internet Explorer 11 a última versão. O Internet Explorer irá, no entanto, permanecer em algumas versões do Windows 10, principalmente para fins corporativos.[13] Desde 12 de janeiro de 2016, apenas a versão mais recente do Internet Explorer em cada sistema operacional é suportada.[14] O suporte varia de acordo com as capacidades técnicas do sistema operacional e do ciclo de vida do suporte.[15]

O navegador foi examinado durante todo o seu desenvolvimento por uso de tecnologia de terceiros (como o código fonte do Spyglass Mosaic, usado sem o pagamento de royalties nas primeiras versões) e vulnerabilidades de segurança e de privacidade, e os Estados Unidos e a União Europeia alegaram que a integração do Internet Explorer com o Windows foi em detrimento da justa competição entre os navegadores.

Versões[editar | editar código-fonte]

Microsoft Internet Explorer 1[editar | editar código-fonte]

Lançado em agosto de 1995.

Microsoft Internet Explorer 2[editar | editar código-fonte]

Lançado em novembro de 1995.

Microsoft Internet Explorer 3[editar | editar código-fonte]

Lançado em agosto de 1996, foi uns dos primeiros navegadores, a ter suporte ao CSS. Foi introduzido o suporte ao ActiveX, linguagem JavaScript. As novidades são consideráveis, tanto que o Internet Explorer 3 passou a ser concorrente do Netscape, o navegador mais usado na época. Teve também a primeira mudança significativa na interface.

Microsoft Internet Explorer 4[editar | editar código-fonte]

Lançado em setembro de 1997, apresentou como novidades a integração completa com o sistema operacional e a tecnologia push, tornando-se concorrente não só do Netscape mas também de softwares como o PointCast, além de outras novidades.

Microsoft Internet Explorer 5[editar | editar código-fonte]

Lançado em março de 1999, foi introduzido o suporte à linguagem XML, XSL, o formato MHTML e mais algumas coisas. O Internet Explorer 5 é encontrado no Windows 98 SE e no Windows 2000. Em julho de 2000, é lançado o Internet Explorer 5.5, juntamente com o Windows ME, contendo algumas melhorias.

Microsoft Internet Explorer 6[editar | editar código-fonte]

Lançado em agosto de 2001, juntamente com o Windows XP. Nessa versão há um melhor suporte ao CSS level 1, DOM level 1 e SML 2.0 e algumas novidades.[16] Em Setembro de 2002 é lançado o Service Pack 1 (SP1) e em agosto de 2004 é lançado o segundo Service Pack (SP2), oferecendo maior segurança com recursos como "Bloqueador de PopUps", proteção contra downloads potencialmente nocivos, entre outros.[17]

Internet Explorer 7[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Internet Explorer 7

Internet Explorer 8[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Internet Explorer 8

Internet Explorer 9[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Internet Explorer 9

O Windows Internet Explorer 9 possui uma aparência simplificada e muitos recursos novos que aceleram a sua experiência de navegação na Web.

Internet Explorer 10[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Internet Explorer 10

O Windows Internet Explorer 10 é o sucessor do Internet Explorer 9. Seu lançamento para testes ocorreu no dia 12 de Abril de 2011 e seu lançamento oficial se deu junto com o lançamento do Windows 8. Atualmente está na versão 10.0.9200.17054. Ele vem pré instalado no Sistema Operacional Windows 8, e tem compatibilidade com o Windows 7 (por enquanto, apenas na versão de testes). Algumas inovações desta versão foram a interface Metro e também o uso de recursos gráficos da placa de vídeo, tornando-o muito mais suave do que as versões anteriores. Implementa os padrões que serão adotados para o HTML5 e CSS3 além de uma série de outras novidades.

Internet Explorer 11[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Internet Explorer 11

O Windows Internet Explorer 11 (abreviado como IE11) é a versão mais recente do Internet Explorer desenvolvida pela Microsoft. Ele é o sucessor do Internet Explorer 10. Foi lançado oficialmente em 17 de outubro de 2013 para o Windows 8.1 e em 7 de novembro de 2013 para o Windows 7. A versão mobile do Internet Explorer 11 já vem pré instalada no Windows Phone 8.1.

Substituição[editar | editar código-fonte]

A Microsoft disse que poderia mudar o nome do Internet Explorer para tentar restaurar a fama do navegador, porém isso não veio a acontecer.

Após as apresentações do Windows 10 em janeiro de 2015 algumas imagens foram divulgadas mostrando um suposto novo browser chamado Spartan, que seria o substituto do IE. O rumor foi confirmado pela Microsoft, e foi revelado que seu codinome era similar ao vazado: Project Spartan.[18]

Em 29 de abril de 2015, durante a conferência de desenvolvimento da Microsoft desse ano, a BUILD 2015 [3], foi anunciado que o Project Spartan ganhou um nome oficial: Microsoft Edge. O novo navegador será padrão em todos os futuros sistemas Microsoft a partir do Windows 10, substituindo definitivamente o Internet Explorer.[12]

Vulnerabilidades[editar | editar código-fonte]

O Internet Explorer foi sendo ao longo dos anos apontado como um software com numerosas falhas de segurança.[19][20][21][22] Programas maliciosos ou oportunistas exploravam brechas para roubar informações pessoais. Softwares maliciosos - vírus - worms - trojans -, exploravam falhas do navegador para controlar e/ou direcionar os usuários a determinadas paginas. Alguns especialistas apontam estes problemas como uma das causas para a perda de mercado (número de usuários utilizando o navegador). [23][24] A Microsoft argumenta que a quantidade de vulnerabilidades encontradas está relacionada ao contingente de usuários. Sendo este fator predominante para que pessoas mal-intencionadas explorassem erros com fins ilícitos. Entretanto, problemas relacionados a vulnerabilidade de navegadores não restringem-se ao Internet Explorer. Outros navegadores populares também já foram vitímas de pessoas mal-intencionadas, como exemplo: Firefox [25][26] - Google Chrome [27][28] - Opera. [29] Assim sendo, torna-se óbvio que pessoas que projetam pragas digitais enfatizem software/navegadores/sistemas operacionais populares. Depois que o Internet Explorer passou a perder mercado, falhas de segurança em outros navegadores começaram a ser divulgadas. Talvez o fato que leve o Internet Explorer a ser alvo de tantas critícas está relacionado com o fato de o mesmo ser de código fechado. Desta forma, torna-se difícil identificar problemas antes que algum software mal-intencionado seja descoberto.

Utilização[editar | editar código-fonte]

O Internet Explorer já foi o navegador mais utilizado chegando a ser usado por 99% dos usuários, mas teve uma grande queda nos últimos anos, chegando a ficar em segundo lugar. De acordo com a Start Counter o Internet Explorer ficou com (32,07%) ficando atrás do Chrome (32,44%) no mês de maio de 2012 e desde então não recuperou mais o primeiro lugar [30]. Apesar disso outras pesquisas como a Marketshare [31] apontam que a queda não chegou a ser tão expressiva, apesar de ter chegado em 54% e tem se mostrado em queda nos últimos anos. Até Setembro de 2014 ele se mantém como o segundo navegador mais usado do mundo, com 22,62% dos usuários mundiais, segundo o StatCounter.

Resumo da história de utilização por ano e versão[editar | editar código-fonte]

Divisão de uso dos navegadores (Fonte: StatCounter)

A tabela mostra o número de utilização ao longo do tempo. Foram utilizados como base diferentes contadores. Alguns baseados no uso anual, outros mensais ou então na média de utilização ao término do ano. Desta forma, a tabela está embasada nas fontes disponíveis.

[32][33][34][34][35][36][37]

Total IE10 IE9 IE8 IE7 IE6 IE5 IE4 IE3 IE2 IE1
2010 60.04%[38] Baixa - - 29.43%[38] Aumento 11.61%[38] Baixa 16.79%[38] Baixa 0.0?%[38] Baixa 0% 0% 0% 0%
2009 66.92%[37] Baixa - - 10.40%[37] Aumento 26.10%[37] Baixa 27.40%[37] Aumento 0.08%[37] Baixa 0%Baixa 0% 0% 0%
2008 72.65%[32] Baixa - - 0.34%[32] Aumento 46.06%[32] Aumento 26.20%[32] Baixa 0.15%[32] Baixa 0.01%[32] Baixa 0% 0% 0%
2007 78.60%[32] Baixa - - - 45.50%[32] Aumento 32.64%[32] Baixa 0.45%[32] Baixa 0.01%[32] Baixa 0% 0% 0%
2006 83.30%[32] Baixa - - - 3.49%[32] Aumento 78.08%[32] Baixa 1.42%[32] Baixa 0.02%[32] Baixa 0% 0% 0%
2005 87.12%[32] Baixa - - - - 82.71%[32] Baixa 4.35%[32] Baixa 0.06%[32] Baixa 0% 0% 0%
2004 91.27%[32] Baixa - - - - 83.39%[32] Aumento 7.77%[32] Baixa 0.10%[32] Baixa 0% 0% 0%
2003 94.43%[34] Aumento - - - - 59.00%[34] Aumento 34.00%[34] Baixa 1.00%[34] Baixa 0% 0% 0%
2002 93.94%[34] Aumento - - - - 50.00%[34] Aumento 41.00%[34] Baixa 1.00%[34] Baixa 0% 0% 0%
2001 90.83%[34] Aumento - - - - 19.00%[34] Aumento 68.00%[34] Baixa 5.00%[34] Baixa 0% 0% 0%
2000 83.95%[34] Aumento - - - - - 71.00%[34] Aumento 13.00%[34] Baixa 0% Baixa 0% 0%
1999 75.31%[36] Aumento - - - - - 41.00%[34] Aumento 36.00%[34] Baixa 1.00%[34] 0% 0%
1998 45.00%[35] Aumento - - - - - -  ? Aumento  ?  ?  ?
1997 39.40%[33] Aumento - - - - - -  ? Aumento  ?  ?  ?
1996 20.00%[33] Aumento - - - - - - -  ?  ?  ?
1995 2.90%[33] Aumento - - - - - - - -  ?  ?

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Desde a versão 10
  2. Na versão 6 e anterior
  3. Nas versões 7, 8, e 9

Referências

  1. «Microsoft Security Bulletin MS16-009 - Cumulative Security Update for Internet Explorer (3134814)». Security TechCenter (em inglês). Microsoft. 9 de fevereiro de 2016. Consultado em 19 de fevereiro de 2016. 
  2. «Top 10 best applications written in C/C++» (em inglês). 
  3. «Internet Explorer 11 termos de licença para software complementar». microsoft.com. Microsoft. Consultado em 21 de maio de 2016. 
  4. Microsoft. «Ajuda e suporte para Internet Explorer 8». Consultado em 19 de março de 2009. 
  5. «Revised IE7 Naming in Windows Vista - IEBlog - Site Home - MSDN Blogs». blogs.msdn.com. Consultado em 13 de março de 2011. 
  6. «Microsoft's Internet Explorer losing browser share» (em inglês). BBC. 
  7. http://gs.statcounter.com/#all-browser-ww-monthly-201502-201509
  8. «Victor: Software empire pays high price». CNET News (em inglês). CBS Interactive. Consultado em 17 de outubro de 2008. 
  9. «The rise, fall, and rehabilitation of Internet Explorer» (em inglês). citeworld.com. Consultado em 6 de fevereiro de 2015. 
  10. Paul Maritz. «U.S. Antitrust Case 98-1232» (em inglês). justice.gov. Consultado em 6 de fevereiro de 2015. «[...] There is talk about how we get more $'s from the 1000+ people we have working on browser related stuff [...]» 
  11. Microsoft ended support for Internet Explorer for Mac on December 31st, 2005
  12. a b Renan Hamann (29/04/2015). «Microsoft Edge: o navegador oficial do Windows 10». Tecmundo. Consultado em 29/04/2015. 
  13. «Microsoft is killing off the Internet Explorer brand». The Verge (em inglês). Vox Media. 17 de março de 2015. Consultado em 18 de março de 2015. 
  14. «Stay up-to-date with Internet Explorer» (em inglês). Microsofts's MSDN blog. 7 de agosto de 2014. Consultado em 29 de agosto de 2014. 
  15. «Perguntas frequentes do Ciclo de Vida de Suporte Microsoft para o Internet Explorer». Consultado em 31 de maio de 2016. 
  16. MSDN: What's new in Internet Explorer 6
  17. MSDN: What's new in Internet Explorer 6 SP2
  18. Microsoft. «Site oficial do então Project Spartan.». 
  19. «Impedindo o Internet Explorer e o Outlook Express problemas de segurança de scripts entre sites». support.microsoft.com. Consultado em 13 de Março de 2011. 
  20. «Microsoft confirma vulnerabilidade no navegador Internet Explorer - Segurança - IDG Now!». idgnow.uol.com.br. Consultado em 13 de Março de 2011. 
  21. «Microsoft repara vulnerabilidades críticas en IE y Windows». threatpost.com. Consultado em 13 de Março de 2011.  Texto " threatpost " ignorado (Ajuda)
  22. «Vulnerabilidades no Microsoft Internet Explorer». www.rnp.br. Consultado em 13 de Março de 2011. 
  23. «Folha Online - Informática - Internet Explorer volta a perder mercado para navegadores rivais - 02/01/2009». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 13 de Março de 2011. 
  24. «Internet Explorer perde mercado e fica abaixo de 60% - 04/10/2010 - IT Web - Notícias». www.itweb.com.br. Consultado em 13 de Março de 2011. 
  25. «Firefox 3.5.7 corrige vulnerabilidades - INFO Online - (06/01/2010)». info.abril.com.br. Consultado em 13 de Março de 2011. 
  26. «Firefox apresenta duas novas vulnerabilidades - Navegador de código aberto apresenta duas brechas que permitem que crackers enganem proteção antiphishing e acessem dados pessoais.». www.baboo.com.br. Consultado em 13 de Março de 2011. 
  27. «Atualização corrige vulnerabilidades graves no Google Chrome». www.linhadefensiva.org. Consultado em 13 de Março de 2011.  Texto " Linha Defensiva " ignorado (Ajuda)
  28. «Google Chrome: mais bugs e correção - Duas vulnerabilidades foram corrigidas após o lançamento na semana passada.». www.baboo.com.br. Consultado em 13 de Março de 2011. 
  29. «Opera 10.6 Corrige Vulnerabilidades DLL». under-linux.org. Consultado em 13 de Março de 2011. 
  30. [1]
  31. [2]
  32. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y http://marketshare.hitslink.com/
  33. a b c d «Browser wars: High price, huge rewards | Tech News on ZDNet». News.zdnet.com. Consultado em 2008-10-17.  [ligação inativa]
  34. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t «TheCounter.com: The Full-Featured Web Counter with Graphic Reports and Detailed Information». Thecounter.com. Consultado em 2008-10-17. 
  35. a b «CNN - Behind the numbers: Browser market share - October 8, 1998» Cnn.com [S.l.] Consultado em 2008-10-17. 
  36. a b «Web Analytics | Online Business Optimization by Omniture». Omniture.com. Consultado em 2008-10-17. 
  37. a b c d e f «Browser Version Market Share». marketshare.hitslink.com. 2009. Consultado em 2010-09-26. 
  38. a b c d e Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas nashare2010

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons