Bing

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Bing (desambiguação).
Bing
Microsoft Corporation
Bing
Slogan Bing & decide
Nomes anteriores Live Search, Windows Live Search, MSN Search
Requer pagamento? Não
Gênero Motor de busca
Cadastro Opcional
País de origem Estados UnidosEstados Unidos
Idioma(s) 40
Lançamento 1 de junho de 2009
Posição no Alexa 22
Desenvolvedor Microsoft
Proprietário Microsoft
Página oficial www.bing.com.br

Bing, anteriormente Live Search, Windows Live Search e MSN Busca, identificado pelo codinome Kumo (くも? lit. aranha ou nuvem) durante a etapa de testes, é o motor de pesquisa da Microsoft, designado para competir com os líderes das indústrias Google e Yahoo!. Revelado pelo CEO da Microsoft, Steve Ballmer, em 28 de maio de 2009, na conferência "All Things D", em San Diego. Bing é um substituto do Live Search, e disponibilizado totalmente em 1 de junho de 2009.[1]

Em 4 de junho de 2009, com apenas três dias em atividade, o Bing alcançou o segundo lugar na área de pesquisas online, superando o Yahoo! Busca, e ficando atrás apenas do Google Search. No dia, o motor de pesquisa representou 16,2% das buscas nos Estados Unidos, enquanto o Yahoo! representou 10,2%. Globalmente, o Bing representa 5,6% contra 5,1% do Yahoo!.[2]

Os aperfeiçoamentos incluem adição de pesquisas relacionadas (chamado "Explorer panel", no lado esquerdo dos resultados da pesquisa, baseado na tecnologia semântica de PowerSet, empresa de busca da Microsoft comprada em 2008), e busca de sugestões ao digitar (aumenta o histórico de pesquisas).

Dados do início de 2016 mostram o Bing como responsável por fazer 21,4% das buscas online realizadas em desktops. O Google, em primeiro, com 64% do mercado. O Yahoo, que usa tecnologia do Bing em seu buscador, ficou em terceiro lugar com 12,2% das buscas [1].

A cota de mercado[editar | editar código-fonte]

Dados de janeiro e fevereiro de 2016 em buscas realizadas em desktops:

comScore qSearch
Motores de busca Share (%)
Jan-16 Fev-16 Variação
Google Sites 63.8% 64.0% 0.2
Microsoft Sites 21.3% 21.4% 0.1
Yahoo Sites 12.4% 12.2% -0.2
Ask Network 1.7% 1.6% -0.1
AOL, Inc. 0.9% 0.9% 0.0

Publicidade[editar | editar código-fonte]

De acordo com a Bloomberg, anúncios na busca são responsáveis por gerar 5,3 bilhões de dólares para a Microsoft. Esse valor representa mais que o dobro do que o Twitter todo é capaz de gerar com anúncios [3].

Internacional[editar | editar código-fonte]

Bing está disponível em muitos idiomas e localizado em diversos países.[4]

Idiomas em que o Bing exibe resultados[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Bing o novo motor de pesquisas da Microsoft». Pplware.com. Consultado em 29 de maio de 2009. 
  2. «Bing conquista o segundo lugar em três dias». olhardigital.uol.com.br. Consultado em 15 de julho de 2010. 
  3. «Microsoft's Bing Isn't a Joke Anymore». Bloomberg Gadfly. 2016-07-19. Consultado em 2016-07-26. 
  4. «Preferências do Bing» (em em Inglês). 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]