Microsoft OneNote

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Microsoft OneNote
Desenvolvedor Microsoft
Lançamento 19 de novembro de 2003 (13 anos)
Versão estável 2016 (16.0.4300.1000) (22 de setembro de 2015; há 2 anos)
Sistema operacional Windows,[1] macOS,[1] Android,[2] iOS,[3][4] Windows Phone
Licença Freeware[1][2][3][4]
Página oficial onenote.com

O Microsoft OneNote é um programa de computador para o recolhimento de informação de forma livre e colaboração multiusuário. Ele recolhe as notas do usuário (manuscritas ou digitadas), desenhos, recortes de tela e comentários de áudio. As notas podem ser compartilhadas com outros usuários do OneNote através da internet ou por uma rede.

O OneNote está disponível como parte do Microsoft Office e do Windows 10. Ele também está disponível como uma aplicação autônoma para Microsoft Windows, macOS, Windows RT, Windows Phone, iOS e Android.[5] Uma versão baseada na web do OneNote é fornecida como parte do OneDrive ou do Office Online e permite que os usuários editem notas através de navegadores web.

Visão geral[editar | editar código-fonte]

No OneNote, usuários podem inserir texto através de um teclado, criar tabelas e inserir imagens. Entretanto, diferentemente de um processador de texto, os usuários podem escrever em qualquer lugar em uma janela de documento praticamente ilimitada, bastando clicar nela. Os usuários também não precisam salvar explicitamente o seu trabalho – o OneNote salva os dados automaticamente conforme o usuário trabalhe nele.

O OneNote sava informações em páginas organizadas em sessões dentro de blocos de anotações. A interface fornece uma versão eletrônica de um fichário, na qual o usuário pode fazer notas diretamente e reunir material de outros aplicativos. Os blocos de anotações coletam, organizam e compartilham meterias que possivelmente ão foram polidos – como comparado aos processadores de texto e wikis, que usualmente têm o objetivo de publicação de alguma forma. A diferença mostrada em alguns recursos e características do OneNote:

  • As páginas podem ser arbitrariamente grandes
  • Imagens de bitmap podem ser inseridas sem perda de qualidade
  • Não existe um esquema ou estrutura de página uniforme

Os usuários podem mover páginas entre as sessões e anotá-las com uma caneta stylus, processadores de texto ou ferramentas de desenho. Os usuários também podem adicionar recursos multimídia gravados a ligações para a web.

Enquanto o OneNote comumente roda em laptops ou desktops, recursos adicionais suportam tablets com o recurso de caneta ativado, em ambientes nos quais notas de caneta, áudio ou vídeo são mais apropriadas do que o uso intensivo de um teclado.

O OneNote integra recursos de busca e indexação através de um repositório de gráficos de forma livre e áudio. Ele pode buscar por imagens (como capturas de telas, documentos escaneados incorporados, fotografias) por conteúdo de texto embutido. Ele também busca por anotações de "tinta eletrônica", e procura foneticamente por gravações de áudio em um texto chave. Ele pode reproduzir áudio simultaneamente com notas tomadas durante a gravação.

Sua capacidade de multiusuário permite edições ao nível de parágrafo offline com posterior sincronização e mesclagem. Isso facilita a colaboração entre grupos de trabalho que nem sempre estão online. Mais de uma pessoa pode trabalhar na mesma página ao mesmo tempo – usando o OneNote como um ambiente de quadro branco compartilhado.

Em 17 de março de 2014, a Microsoft lançou a API do serviço da nuvem do OneNote que permite que desenvolvedores de aplicativos terceiros integrem o serviço em seus aplicativos. A API roda na nuvem da Microsoft disponibilizada em todo o mundo, e envia dados dos aplicativos para o OneDrive. Como o serviço salva os dados em um bloco de anotações do OneNote, ele também pode fazer coisas como rodar o reconhecimento ótico de caracteres em imagens e renderizar páginas da web como imagens instantâneas.[5][6]

A Microsoft também anunciou alguns novos recursos no OneNote que usam a API do serviço:

  • OneNote Clipper: É uma extensão de navegador que usa o serviço de API do OneNote e permite que os usuários salvem uma captura de tela do website junto com o link. Os textos das capturas de tela são feitos pesquisáveis usando o reconhecimento ótico de caracteres.[7]
  • Enviar por Email para o OneNote: Permite que o usuário mande um e-mail para o endereço me@onenote.com com o seu endereço de e-mail especificado para ter os conteúdos do e-mail salvos no OneNote.[8]

Formato do arquivo[editar | editar código-fonte]

Um bloco de anotações do OneNote é armazenado como uma pasta dos arquivos das "sessões" que têm a extensão .one.[9] A Microsoft atualizou o formato do arquivo duas vezes depois dele ser introduzido no OneNote 2003 — primeiro no OneNote 2007, depois novamente no OneNote 2010.[10] Arquivos do OneNote 2003 podem ser abertos tanto pelo OneNote 2007 como pelo OneNote 2010 no modo somente leitura e posteriormente atualizado para as versões posteriores do formato de arquivo.[11][12] O OneNote 2010 pode ler e escrever formatos de arquivos do OneNote 2007. Ele também pode converter entre os formatos de 2010 e de 2007.[12]

A Microsoft documentou o formato de arquivo do OneNote. Ele é um formato de arquivo aberto que permite o armazenamento de anexos como imagens, vídeos, etc. dentro de um arquivo binário.[9][13][14]

O formato de arquivo do OneNote também é suportado pelo Outline - um aplicativos de anotações para iPad e Mac. O Outline pode abrir, editar e salvar blocos de notas no formato de arquivo do OneNote.

Suporte de plataforma[editar | editar código-fonte]

O OneNote suporta a edição simultânea de documentos compartilhados do OneNote por múltiplos usuários quando o documento é salvo numa pasta compartilhada, no OneDrive ou no Dropbox.[15] O OneNote suportou o Windows Live Mesh para armazenamento baseado na nuvem e sincronização de arquivos do OneNote. Clientes do OneNote, incluindo o aplicativo da web do OneNote no Office Online, podem visualizá-los e editá-los.

O OneNote também está disponível para dispositivos móveis. Uma versão móvel do OneNote foi incluída com o Office Hub no Windows Phone. Esta versão suporta blocos de anotações salvos localmente no dispositivo, ou sincronizados com uma cópia remota no OneDrive ou no SharePoint. Notas criadas pelo OneNote para Windows Phone 7 não podem ser abertas pelo OneNote 2007. O OneNote Mobile também é feito para o Windows Mobile Professional 6.1. O OneNote Mobile para os antigos smartphones Windows Mobile e pocket PCs é incuído com o OneNote 2007. O OneNote Mobile também está disponível no Symbian como parte do Microsoft Apps.[16]

A Microsoft lançou um aplicativo separado do OneNote para iOS[17] e Android, que são gratuitas para até 500 notas. Passando de 500 notas, uma atualização paga é necessária. Em 1 de julho de 2013, a Microsoft a versão 2 do seu aplicativo para iPad, contendo recursos atualizados significantes para corresponder mais de perto às disponíveis na plataforma Windows. Em 19 de agosto de 2014, a Microsoft lançou a versão para tablets Android que inclui suporte para manuscrito e uma navegação por toque amigável.

A versão do OneNote para a Windows Store (anteriormente conhecida como OneNote MX) está disponível para Windows 8 e RT, usando o OneDrive como lugar de armazenamento. Ele foi optimizado para uso em tablets por implementar um único menu de contexto radial e invocando apenas funcionalidade especifica de tablet do sistema operacional.[18]

Em 17 de março de 2017, a Microsoft lançou o OneNote para Mac.[19] Ele é compatível com o Mac OS X 10.9 ou versão superior e pode ser baixado gratuitamente através da Mac App Store. A Microsoft também fez da versão para desktop do OneNote 2013 ser disponibilizada gratuitamente. O OneNote para Windows e Mac eram baseados no modelo freemium. Recursos premium como suporte para o SharePoint, histórico de versão e integração com o Outlook eram anteriormente disponíveis apenas para clientes do Office 365 e do Office 2013,[5][20] mas em 13 de fevereiro de 2015, a Microsoft removeu todas as restrições de recursos dos programas, fazendo com que programa se tornasse completamente gratuito para usar.[21]

Avaliações[editar | editar código-fonte]

Christopher Dawson avaliou o OneNote 2010, intitulando seu recurso favorito: "OneNote é o matador do Office 2010 na educação". Ele especulou que o aplicativo seria particularmente útil como uma ferramenta de anotações para os estudantes.[22]

Histórico de versões[editar | editar código-fonte]

Todas as datas de lançamento pertencem à disponibilidade geral. Liberação para a fabricação é geralmente dois ou três meses de antecedência.

Lançamento de produto ou evento Data de lançamento[23]
Primeiro anúncio público 02002-11-17 17 de novembro de 2002
OneNote 2003[24] 02003-11-19 19 de novembro de 2003
OneNote 2007[25] 02007-01-27 27 de janeiro de 2007
OneNote 2010[26] 02010-07-15 15 de julho de 2010
OneNote 2013[27] 02013-01-29 29 de janeiro de 2013
OneNote 2016 02015-09-22 22 de setembro de 2015[28]

Referências

  1. a b c Emil Protalinski (13 de fevereiro de 2015). «Microsoft makes OneNote for Windows completely free by removing all feature restrictions» (em inglês). VentureBeat. Consultado em 25 de março de 2017 
  2. a b «Microsoft OneNote». Google Play. Consultado em 25 de março de 2017 
  3. a b «Microsoft OneNote». App Store. Consultado em 25 de março de 2017 
  4. a b «Microsoft OneNote for iPad». App Store. Consultado em 25 de março de 2017 
  5. a b c «OneNote now on Mac, free everywhere, and service powered». Office Blogs (em inglês). Microsoft. 17 de março de 2014. Consultado em 25 de março de 2017 
  6. «Getting started with the OneNote service API». Office Dev Center (em inglês). Microsoft. Consultado em 25 de março de 2017 
  7. «Instalação do OneNote Clipper». OneNote. Consultado em 25 de março de 2017 
  8. «Salvar emails no OneNote». OneNote. Consultado em 25 de março de 2017 
  9. a b «[MS-ONE]: OneNote File Format Specification». MSDN (em inglês). Microsoft. 10 de junho de 2011. Consultado em 25 de março de 2017 
  10. «Mensagem de erro ao tentar abrir um OneNote 2007 ou 2010 arquivo no OneNote 2003: "Esta seção é de uma versão posterior do OneNote e não pode ser aberta"». Suporte. Microsoft. 12 de setembro de 2011. Consultado em 25 de março de 2017 
  11. David Rasmussen (8 de outubro de 2006). «Why the OneNote 2007 and 2003 file format are different». David Rasmussen's Blog (em inglês). MSDN. Consultado em 25 de março de 2017 
  12. a b «Sobre alterações de formato de arquivo no OneNote 2010». Microsoft Office. Microsoft. Consultado em 25 de março de 2017 
  13. «[MS-ONESTORE]: OneNote Revision Store File Format Specification». MSDN (em inglês). Microsoft. 10 de junho de 2011. Consultado em 25 de março de 2017 
  14. «OneNote 2010: XML Schema Definition (XSD) File». Dowmload Center (em inglês). Microsoft. 13 de setembro de 2011. Consultado em 25 de março de 2017 
  15. David Rasmussen (29 de junho de 2006). «OneNote Notebooks on USB drives and SD cards». David Rasmussen's Blog (em inglês). Microsoft. Consultado em 25 de março de 2017 
  16. Rafe Blandford (8 de setembro de 2011). «Microsoft Business Apps for Symbian Belle» (em inglês). All About Symbian. Consultado em 25 de março de 2017 
  17. Uzair Danish (21 de janeiro de 2011). «Microsoft OneNote App for iPhone and iPod free for limited time» (em inglês). Newsden. Consultado em 25 de março de 2017. Arquivado do original em 21 de janeiro de 2011 
  18. Mary Jo Foley (26 de outubro de 2012). «Microsoft's Lync and OneNote apps for Windows 8, Windows RT now in Windows Store» (em inglês). ZDNet. Consultado em 25 de março de 2017 
  19. «Introducing OneNote for Mac». Office Blogs (em inglês). Microsoft. 17 de março de 2014. Consultado em 25 de março de 2017 
  20. Robin Sinha. «Microsoft releases OneNote for Mac, makes it free on all platforms» (em inglês). NDTV. Consultado em 25 de março de 2017 
  21. Brad Corob (13 de fevereiro de 2015). «OneNote is now (even more) free!». Office Blogs (em inglês). Microsoft. Consultado em 25 de março de 2017 
  22. Christopher Dawson (12 de maio de 2010). «OneNote is Office 2010's killer app in education» (em inglês). ZDNet. Consultado em 25 de março de 2017 
  23. «Microsoft OneNote Life-cycle Information». Consultado em 25 de outubro de 2011 
  24. «Microsoft Office OneNote 2003 Product Guide» (em inglês). Consultado em 7 de maio de 2016 
  25. «What's new in Microsoft Office OneNote 2007» (em inglês). Consultado em 7 de maio de 2016 
  26. DavidRas (14 de julho de 2009). «OneNote 2010 What's new» (em inglês). MSDN. Consultado em 2 de setembro de 2011 
  27. «What's new in OneNote 2013» (em inglês). Consultado em 7 de maio de 2016 
  28. «Office 2016 for Mac is available now» (em inglês). Macworld UK. Consultado em 8 de outubro de 2015 

Leitura posterior[editar | editar código-fonte]

  • Chris Pratley (30 de janeiro de 2004). «OneNote genesis». Chris Pratley's Office Labs and OneNote Blog (em inglês). Microsoft. Consultado em 9 de março de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]