Microsoft Store (digital)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Windows Store)
Ir para: navegação, pesquisa
Microsoft Store
Desenvolvedor Microsoft Corporation
Lançamento 29 de fevereiro de 2012 (5 anos)
Sistema operacional Windows 8, Windows Server 2012, Windows 8.1, Windows Server 2012 R2, Windows 10, Windows 10 Mobile, Xbox One
Gênero(s) Plataforma de distribuição digital
Estado do desenvolvimento Ativo
Página oficial www.microsoft.com/store/apps/

A Microsoft Store (anteriormente Windows Store, antes de outubro de 2017) é uma plataforma de distribuição digital para o Microsoft Windows. Iniciou-se como uma loja de aplicativos para o Windows 8 e o Windows Server 2012 como a principal maneira de distribuição de aplicativos da Plataforma Universal do Windows (UWP). Com o Windows 10, entretanto, a Microsoft mesclou suas outras plataformas de distribuição (Windows Marketplace, Windows Phone Store, Xbox Video e Xbox Music) na Microsoft Store, fazendo dela um ponto unificado de distribuição para a aplicativos, vídeo digital, música digital e e-book. De acordo com a Microsoft, tal como em 28 de setembro de 2015, havia cerca de 669.000 aplicativos disponíveis na loja, que inclui aplicações para o Windows NT, Windows Phone, e aplicativos UWP, que funcionam em ambas as plataformas.[1] As categorias que contém um grande quantidade de aplicativos são "Jogos", "Entretenimento", "Livros e Referência" e "Educação". A maioria dos desenvolvedores de aplicativos têm apenas um app.[2] Tanto os aplicativos gratuitos e pagas podem ser distribuídos através da Microsoft Store, com aplicativos pagos custando de US$0.99 até $999.99. Como outras plataformas similares, tais como a Mac App Store e o Google Play, a Microsoft Store é auditada e os aplicativos deve ser certificado para compatibilidade e conteúdo. Com todas as vendas de aplicativos, a Microsoft leva 30% do preço de venda. Antes de 1 de janeiro de 2015, o corte foi reduzido para 20% depois que os lucros do desenvolvedor chegaram a US$ 25.000.

História[editar | editar código-fonte]

Precursor[editar | editar código-fonte]

Anteriormente a Windows Store era conhecida como Windows Marketplace, o que permitia aos consumidores a aquisição de softwares on-line e fazer o download para o seu computador, mas somente sistemas operacionais com chave de produtos originais podiam realizar o download novamente caso o software tenha sido apagado por descuido. A Windows Marketplace foi descontinuada em Novembro de 2008.[3]

Windows Server[editar | editar código-fonte]

A Windows Store está disponível no Windows Server 2012, mas não está instalada por padrão.[4]

Windows 8[editar | editar código-fonte]

Em 13 de setembro de 2011, a Microsoft anunciou pela primeira vez que a próxima versão do Windows iria incluir o seu próprio serviço de distribuição digital, a Windows Store, em sua apresentação durante a Build 2011.[5] Mais detalhes foram anunciados durante a conferência, revelou que a loja seria capaz de manter listas para ambos os aplicativos do Windows certificadas, e no Modern UI, um novo tipo de aplicação otimizada principalmente para o uso em dispositivos touchscreen com Windows 8 e Windows RT. Para versões orientadas para o consumidor do Windows 8, a Windows Store pretende ser a única maneira de se obter apps.[6][7] Embora anunciado juntamente com o lançamento "Developer Preview" do Windows 8, a Windows Store em si ainda não estava disponível em uma forma utilizável até a "Consumer Preview", lançado em fevereiro de 2012.[8][9]

Windows 8.1[editar | editar código-fonte]

Uma versão atualizada da Windows Store é introduzida pela atualização do Windows 8.1. Sua página na internet foi remodelada para exibir aplicativos em categorias focadas (como populares, recomendados, as melhores apps gratuitos e pagos e ofertas especiais) com detalhes ampliados, enquanto a capacidade para aplicativos atualizarem automaticamente também foi adicionado.[10]

Windows 10[editar | editar código-fonte]

A Windows Store no Windows 10 serve como uma loja unificada em todas ,oferecendo aplicativos,Groove Music (anteriormente Xbox Music) e Microsoft Movies & TV (anteriormente Xbox Video).[11][12]

Aplicativos da Web e software de desktop (usando Win32 ou .NET Framework) podem ser empacotados para distribuição na Windows Store. O software de desktop distribuído através do Windows Store será empacotado usando o sistema App-V para permitir o uso na loja.[13][14]

Quantidade de aplicativos[editar | editar código-fonte]

Esta tabela mostra a quantidade de aplicativos disponibilizados na loja a cada mês, de acordo com o site MetroStore Scanner.[15]

Ano Mês Aplicativos disponíveis
2012 Novembro 24,000 +
Dezembro 35,000 +
2013 Janeiro 40,000 +
Fevereiro 44,000 +
Março 52,000 +
Abril 65,000 +
Maio 80,000 +
Junho 99,000 +
Julho 110,000 +
Agosto 114,000 +
Setembro 118,000 +
Outubro 124,000 +
Novembro 130,000 +
Dezembro 142,000 +
2014 Janeiro 146,000 +
Fevereiro 146,700 +
Março 152,000 +
Abril 157,000 +
Maio 164,000 +
Junho 167,000 +
Julho 170,000 +
2016 Dezembro 669.00 +

Detalhes[editar | editar código-fonte]

A Windows Store é o principal meio de distribuição de aplicativos para os usuários, a razão oficial é para permitir que a Microsoft para monitorar aplicativos em busca de falhas de segurança e malwares.[16] Aplicativos disponibilizados na Windows Store podem ser instalados através de outros meios, sem ser necessário entrar no aplicativo oficial da loja, mas pelo departamento de TI de uma organização.[17] A Microsoft retira uma taxa 30% das vendas de aplicativos pagos, quando a receita chegar a US$ 25,000, a taxa passa a ser de 20%. Transações de terceiros também são permitidos, mas a Microsoft não cobra taxas.[18] Desenvolvedores individuais são capazes de publicar aplicativos na loja mediante uma inscrição paga no valor de US$ 19, para empresas a taxa de inscrição custa US$ 99.[19]

Desenvolvedores de 120 países podem publicar aplicativos na Windows Store.[20]

Proibições[editar | editar código-fonte]

Da mesma forma que a Windows Phone Store, a Windows Store é regulada pela Microsoft. Os aplicativos devem obter a aprovação da Microsoft antes de seu aplicativo ficar disponível na loja. Aplicativos proibidos incluem aqueles que:[21]

  1. Conter qualquer conteúdo adulto (ou seja, conteúdos classificados como "apenas para adultos" ou equivalentes);
  2. Discriminação, ódio ou violência com base na participação em um grupo social, racial, étnica, nacional, linguística, religiosa ou outra particular, com base no sexo de uma pessoa, idade ou orientação sexual;
  3. Conter conteúdo ou funcionalidade que incentiva, facilita ou exaltam atividade ilegal;
  4. Conter ou exibir conteúdo considerado ser obsceno;
  5. Conteúdo difamatório, calunioso, insultuosa ou ameaçador;
  6. Incentivar, facilitar ou exaltar o uso excessivo ou irresponsável de produtos como: álcool, tabaco, drogas ou armas;
  7. Incentivar, facilitar ou exaltar violência extrema ou gratuita, violações dos direitos humanos ou a criação e utilização de armas contra uma pessoa ou animal no mundo real;
  8. Conter palavrões.

A Microsoft reserva o direito de desativar e / ou remover remotamente aplicativos dos sistemas dos usuários, por razões de segurança ou legais, no caso de aplicativos pagos, serão realizados reembolsos caso isso venha a ocorrer.[22]

A Microsoft, enfrentou inicialmente críticas por remover aplicativos com classificação PEGI "18" da Windows Store na Europa, como os críticos observaram que uma série de jogos com classificação "18", foram classificados como "Mature" pela ESRB (tornando a regra mais rigorosa do que o pretendido). As diretrizes foram alteradas em dezembro de 2012 para corrigir esta anomalia.[23]

Ferramentas para desenvolvedores[editar | editar código-fonte]

A Windows Store oferece ferramentas para monitoramento de aplicativos na loja. Pode-se acompanhar os downloads realizados pelos usuários, finanças, falhas, taxa de adopção e classificações.[24]

Notas[editar | editar código-fonte]

  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Windows Store».

Referências

  1. «Store downloads». Microsoft by the Numbers. Microsoft. Consultado em 1 de dezembro de 2017 
  2. «Windows Store Stats (US Market)». AppFeeds. 17 de janeiro de 2014. Consultado em 1 de dezembro de 2017. Arquivado do original em 18 de janeiro de 2014 
  3. Leonhard, Woody. «What do we really know about Windows 8? (em inglês)». InfoWorld. Consultado em 26 de outubro de 2012 
  4. «Managing Privacy: Windows Store and Resulting Internet Communication». technet.microsoft.com. Consultado em 30 de dezembro de 2016 
  5. «Keynote #1 | BUILD2011 | Channel 9 (em inglês)». Channel 9. 13 de setembro de 2011. Consultado em 14 de outubro de 2012 
  6. «Microsoft talks Windows Store features, Metro app sandboxing for Windows 8 developers (em inglês)». The Verge. Vox Media. Consultado em 8 de setembro de 2012 
  7. Rosoff, Matt. «Here's Everything You Wanted To Know About Microsoft's Upcoming iPad Killers (em inglês)». Business Insider. Consultado em 10 de fevereiro de 2012 
  8. «Windows 8 Developer Preview Available Tonight (em inglês)». PC Magazine. Consultado em 29 de maio de 2013 
  9. «13 New Features in Windows 8 Consumer Preview (em inglês)». PC World. Consultado em 21 de agosto de 2013 
  10. Thurrott, Paul (17 de junho de 2013). «In Blue: Windows Store 2.0 (em inglês)». Paul Thurrott's SuperSite for Windows. Penton. Consultado em 18 de junho de 2013 
  11. «Delivering a single unified Store experience in Windows 10 - Windows Experience BlogWindows Experience Blog». blogs.windows.com. Consultado em 30 de dezembro de 2016 
  12. «Updates to Entertainment in Windows 10 - Windows Experience BlogWindows Experience Blog». blogs.windows.com. Consultado em 30 de dezembro de 2016 
  13. «Microsoft's next attempt to fill the Windows 10 app gap: Web app apps». Ars Technica 
  14. Foley, Mary Jo. «Here's how Microsoft hopes to get Android and iOS phone apps into its Windows 10 Store | ZDNet». ZDNet. Consultado em 30 de dezembro de 2016 
  15. MetroStore (1 de junho de 2013). «Windows Store possui mais de 130 mil apps (em inglês)». Neowin.net. Consultado em 2013  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  16. Tom, Warren. «Microsoft details and demos the Windows Store for Windows 8 (em inglês)». Winrumors.com. Consultado em 19 de setembro de 2011 
  17. Cohen, Arik (25 de abril de 2012). «Deploying Metro style apps to businesses (em inglês)». Microsoft. Consultado em 26 de agosto de 2012 
  18. «Making money with your apps through the Windows Store - Windows Store for developers - Site Home - MSDN Blogs». Blogs.msdn.com. 20 de julho de 2012. Consultado em 14 de outubro de 2012 
  19. Windows, blog. Novemeber 6 2013 «Unifying Developer Registration (em inglês)» Verifique valor |url= (ajuda) 
  20. Wilhelm, Alex (11 de setembro de 2012). «The Windows Store is now accepting open app submissions from developers in 120 countries (em inglês)». The Next Web. The Next Web Inc. Consultado em 9 de janeiro de 2013 
  21. «Certification requirements for Windows apps». 6 de janeiro de 2012 
  22. «Microsoft: We can remotely delete Windows 8 apps (em inglês)». Computerworld. Consultado em 8 de outubro de 2013 
  23. «Microsoft reverses 'Mature' games ban in Euro Windows Store (em inglês)». CNET. Consultado em 26 de outubro de 2012 
  24. «Using the Windows Store Dashboard apps (em inglês)». 17 de maio de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]