Vivaldi (navegador web)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Vivaldi
Vivaldi web browser logo.svg
Vivaldi Browser 3.0.jpg
Vivaldi 3.0 rodando no macOS
Slogan A browser for our friends[1]
Desenvolvedor(es) Vivaldi Technologies
Lançamento inicial 6 de abril de 2016; há 6 anos
Versão estável 5.2 (2623.39) (15 de abril de 2022; há 3 meses[2]) [±] [+/-]
Versão em teste Snapshot 2649.3 (19 de abril de 2022; há 3 meses[3]) [±] [+/-]
Estado de desenvolvimento Ativo
Escrito em C++[4]
Sistema operacional
Motores Blink, V8
Plataforma IA-32, x64, ARMv7
Tamanho
  • Windows: 38,9 ~ 44,8 MB
  • macOS: 60,4 MB
  • Linux: ~45 MB
  • Android: 58,31 MB
Disponível em 46 idiomas
Gênero Navegador web
Licença Freeware proprietário[6]
Website vivaldi.com/pt-br/ vivaldi.com/pt-pt/

O Vivaldi é um navegador gratuito desenvolvido pela Vivaldi Technologies, uma empresa fundada por Tatsuki Tomita e pelo cofundador e antigo diretor executivo da Opera Software, Jon Stephenson von Tetzchner. O Vivaldi foi lançado oficialmente em 6 de abril de 2016.[7]

Apesar de pretender chegar a todos os utilizadores, foi sobretudo dirigido a utilizadores avançados e antigos utilizadores do Opera Browser, os quais ficaram insatisfeitos pela transição do motor Presto para o Blink, em que várias funcionalidades populares foram removidas.[8] O Vivaldi trouxe de volta antigas funcionalidades populares do Opera 12, ao mesmo tempo que introduziu funcionalidades novas e inovadoras. O navegador é atualizado semanalmente, na forma de snapshots, e ganhou popularidade desde o lançamento da sua primeira technical preview.

No dia 3 de novembro de 2015, a Vivaldi Technologies lançou a sua primeira versão beta do navegador Vivaldi e anunciou que as technical previews do navegador tinham sido transferidas 2 milhões de vezes. A primeira versão estável do Vivaldi foi lançada no dia 6 de abril de 2016. Para equipamentos móveis Android foi lançada a primeira versão beta a 6 de setembro de 2019, sendo a primeira versão estável para esse sistema lançada a 22 de abril de 2020.[9]

A 16 de fevereiro de 2022, o Vivaldi tinha mais de 2,3 milhões de utilizadores ativos e mais de 1 milhão de membros ativos na sua comunidade.[10]

História[editar | editar código-fonte]

O Vivaldi começou como uma comunidade virtual que substituiu o My Opera, o qual foi encerrado pela Opera Software em março de 2014. Jon Stephenson von Tetzchner ficou chateado com a decisão, pois acreditava que a comunidade tinha sido muito útil para o Opera web browser. Tetzchner lançou, então, a comunidade Vivaldi — uma comunidade virtual que fornecia aos utilizadores registados um fórum, um serviço de blogue, entre outros — para substituir o My Opera. Mais tarde, a 27 de janeiro de 2015, a Vivaldi Technologies lançou — pensando na comunidade — a primeira technical preview do Vivaldi. O seu nome vem do compositor italiano Antonio Vivaldi, o qual, de acordo com um dos criadores, é um nome fácil de lembrar e perceber em todo o mundo.[11]

Em setembro de 2021, o Vivaldi substituiu o Firefox como navegador predefinido do Manjaro Linux, Cinnamon Community Edition. Os responsáveis desse sistema operativo basearam a sua decisão no grande número de funcionalidades e no nível de personalização excecional.[12] Em dezembro de 2021, o Vivaldi tornou-se no primeiro navegador internet disponível para o sistema operativo Android, utilizado pela fabricante sueca de veículos elétricos Polestar. [13]

Características[editar | editar código-fonte]

Design e personalização[editar | editar código-fonte]

Vivaldi tem uma interface minimalista, com ícones e fontes básicas e um esquema de cores que muda de acordo com o fundo e o design da página visitada.[14] O navegador também permite que os utilizadores personalizem a aparência dos elementos da interface, como a cor do fundo, o tema, a posição da barra de endereços e de separadores, e a página inicial. De acordo com o diretor executivo, Jon von Tetzchner, o nível de personalização única do Vivaldi é uma parte importante dos serviços fornecidos aos utilizadores avançados.[15]

Usabilidade e produtividade[editar | editar código-fonte]

As funcionalidades do Vivaldi permitem agrupar separadores, tirar notas em páginas web e adicionar notas aos favoritos. Além disso, os utilizadores podem utilizar a speed dial para um acesso rápido, além de disporem dos comandos rápidos para diversas ações. O Vivaldi é construído com tecnologias web, como HTML5, Node.js, React, e vários módulos NPM.[16] A partir da Technical Preview 4, o Vivaldi passou a suportar a utilização de gestos do rato para ações como mudar de separador ou retroceder. A partir da versão 2.0, o Vivaldi incorporou um serviço chamado Sync, possibilitando que favoritos, históricos, preferências, notas, palavras-passe extensões sejam transferidas entre dois ou mais computadores. Ao longo da sua evolução, o Vivaldi tem vindo a acrescentar várias ferramentas de produtividade, para ajudar os seus utilizadores a conseguirem fazer mais sem sair do navegador. Alguns exemplos são a funcionalidade de comandos rápidos, com calculadora integrada, ou a possibilidade de definir cadeias de comandos para executar rapidamente ações frequentes.[17] A partir da versão 4.0 inclui (ainda em Beta) um cliente de correio eletrónico com suporte para IMAP e POP3, gestão de calendários, leitor de feeds RSS e Atom e gestão de contactos.[18] Também traduz páginas (ou excertos) sem necessidade de extensões, graças ao seu motor de tradução fornecido pela Lingvanex.[19]

Privacidade e segurança[editar | editar código-fonte]

O Vivaldi inclui bloqueio de anúncios, pop-ups e rastreios. Estas funcionalidades bloqueiam anúncios intrusivos, ajudam as páginas a carregar mais depressa e ajudam a proteger contra anúncios e rastreadores mal intencionados.[20] O Vivaldi desativa também várias funcionalidades do código fonte Chromium consideradas mais intrusivas e adopta uma política que põe a privacidade dos seus utilizadores em primeiro lugar.[21] Dispõe também da capacidade de sincronizar vários dados de navegação entre vários equipamentos.[22][23] Tal como a maioria dos navegadores mais populares, disponibiliza ainda um modo de navegação privada, que elimina todos os vestígios de navegação depois de fechar o separador.[24]

Extensões[editar | editar código-fonte]

O Vivaldi pode usar muitas das extensões de navegador desenvolvidas para Google Chrome e para Firefox (já que usam a API WebExtension[25]) e os utilizadores podem instalar extensões diretamente a partir da Chrome Web Store. A maior parte destas funcionam corretamente no Vivaldi, com exceção de algumas extensões que envolvem alterações à interface do navegador, devido ao elevado nível de personalizações do Vivaldi sobre o código fonte do Chromium.[26][27]

Funcionalidades[editar | editar código-fonte]

Gestão de guias[editar | editar código-fonte]

Funções únicas lhe dão controle total sobre a forma como você agrupa e exibe as guias.

Personalização[editar | editar código-fonte]

Modifique e configure cada parte do seu navegador para criar uma experiência única feita para você.

Interface de usuário[editar | editar código-fonte]

Uma interface que lhe deixa ajustar as posições, tamanhos e aparência da interface do navegador.

Navegação[editar | editar código-fonte]

Aceda o que você procura mais rápido com gestos de mouse, atalhos de teclado e um gestor de marcadores poderoso.

Mouse e teclado[editar | editar código-fonte]

Use atalhos de teclado e gestos de mouse personalizáveis ou execute comandos como na linha de comando pelos Comandos Rápidos. A escolha está em suas mãos.

Privacidade e segurança[editar | editar código-fonte]

O Vivaldi é desenvolvido com prioridade na privacidade, e lhe dá controle total de configurações essenciais para manter seus dados salvos.

Ferramentas[editar | editar código-fonte]

Um arsenal de ferramentas incluídas como Notas, Propriedades da Imagem e mais lhe dão funcionalidades avançadas sem sacrificar o desempenho.

Versão Android[editar | editar código-fonte]

Em 22 de abril de 2020 foi lançada a versão final do Vivaldi para Android. Recheado de funcionalidades e com uma interface característica. Tendo como destaque o bloqueador de anúncios, aumentando a privacidade.[28]

Referências

  1. Jon Stephenson von Tetzchner. «Vivaldi: Our Story» (em inglês). Vivaldi. Consultado em 3 de julho de 2017. Cópia arquivada em 2 de maio de 2015 
  2. Ruarí Ødegaard (15 de abril de 2022). «Minor update (6) for Vivaldi Desktop Browser 5.2». Vivaldi blog (em inglês). Consultado em 21 de abril de 2022 
  3. Ruarí Ødegaard (19 de abril de 2022). «Security fix – Vivaldi Browser snapshot 2649.3». Vivaldi Blog (em inglês). Consultado em 21 de abril de 2022 
  4. «Vivaldi browser: Interview with Jon Stephenson von Tetzchner». utappia.org (em inglês). 21 de setembro de 2016. Consultado em 3 de julho de 2017 
  5. «Baixar Vivaldi». Vivaldi. Consultado em 3 de julho de 2017 
  6. «Vivaldi End User License Agreement» (em inglês). Vivaldi. 18 de novembro de 2016. Consultado em 3 de julho de 2017 
  7. «Vivaldi: testamos o navegador de internet que tem personalização completa». www.tecmundo.com.br. Consultado em 16 de fevereiro de 2022 
  8. https://medium.com/@burek/jon-s-von-tetzchner-we-will-re-create-a-browser-you-love-123f766386c4
  9. Vivaldi, Team (9 de setembro de 2019). «Vivaldi goes mobile». Vivaldi Browser (em inglês). Consultado em 16 de fevereiro de 2022 
  10. «No que acreditamos». Vivaldi Browser. Consultado em 16 de fevereiro de 2022 
  11. «Vivaldi: testamos o navegador de internet que tem personalização completa». www.tecmundo.com.br. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  12. «Manjaro Linux Cinnamon switches from Firefox to Vivaldi for default web browser». BetaNews (em inglês). 9 de setembro de 2021. Consultado em 16 de fevereiro de 2022 
  13. «Vivaldi in Polestar: The first browser for Android Automotive OS». Vivaldi Browser (em inglês). 20 de janeiro de 2022. Consultado em 16 de fevereiro de 2022 
  14. «Vivaldi Is Quickly Becoming The Alternative Browser To Beat». TechCrunch (em inglês). Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  15. «Vivaldi Browser Gets New Customization Options, Mouse Gestures And Experimental Chrome Extension Support». TechCrunch (em inglês). Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  16. Williams, Owen (27 de janeiro de 2015). «Meet Vivaldi, A New Browser From the Former CEO of Opera». TNW | Apps (em inglês). Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  17. «How to Use Vivaldi Command Chains to Simplify Your Workflow». MUO (em inglês). 10 de agosto de 2021. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  18. «Funcionalidades do navegador Vivaldi | É tudo uma opção». Vivaldi Browser. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  19. «Tradução | Tradução privada no computador e Android | Vivaldi». Vivaldi Browser. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  20. «Bloqueador de anúncios – rápido e gratuito, sem necessidade de extensões». Vivaldi Browser. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  21. «Não o/a seguimos. Nada, zero, nicles.». Vivaldi Browser. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  22. «Keep your data safe across devices». Vivaldi Browser (em inglês). 17 de setembro de 2019. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  23. «How to Set Up Sync in Vivaldi and Synchronize Your Browsing Data». MUO (em inglês). 23 de agosto de 2018. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  24. «Private Windows». Vivaldi Browser Help (em inglês). 20 de março de 2018. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  25. «Browser Extensions - Mozilla | MDN». developer.mozilla.org (em inglês). Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  26. Williams, Owen (16 de julho de 2015). «Sick of Chrome? Vivaldi can now run your favorite extensions». TNW | Insider (em inglês). Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  27. «Using Extensions in Vivaldi». Vivaldi Browser Help (em inglês). 29 de janeiro de 2016. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  28. abril 22, Publicado em; visualizações, 2020-Por Jon von Tetzchner – 47515 (22 de abril de 2020). «One day. Two big Vivaldi browser releases» 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]