Manjaro Linux

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Manjaro
Manjaro 20.2
Desenvolvedor Manjaro GmbH & Co. KG
Família de
sistemas operacionais
Linux (tipo UNIX)
Estado de trabalho Atual (de ponta, lançamento contínuo)
Modelo do fonte de código aberto
Lançamento inicial 10 de julho de 2011; há 10 anos[1][2]
Último lançamento 21.1.6.2 (Pahvo)[3]/4 de novembro de 2021; há 7 meses
Repositório https://gitlab.manjaro.org/
Gerenciador
de pacotes
pacman, libalpm'" (back-end)
Platformas x86-64
i686 (não oficial)[a]
ARM[b]
Tipo de núcleo Monolítico (núcleo Linux)
Espaço de usuário GNU
Interface de usuário
padrão
Xfce, KDE Plasma 5, GNOME, Plasma mobile, Phosh[4]
Licença Licenças de software livre (principalmente GNU GPL)
Website oficial manjaro.org

O Manjaro é uma distribuição Linux livre e de código aberto baseada no sistema operacional Arch Linux. O Manjaro se concentra na facilidade de uso e acessibilidade, e o próprio sistema foi projetado para funcionar totalmente "direto da caixa" com sua variedade de softwares pré instalados. Ele apresenta um modelo de atualização de lançamento contínuo e usa o Pacman como seu gerenciador de pacotes.[5] O Manjaro é desenvolvido principalmente na Áustria, na França e na Alemanha.[6]

Edições oficiais[editar | editar código-fonte]

  • Manjaro edição Xfce: apresenta o próprio tema escuro do Manjaro, bem como a área de trabalho Xfce.[7]
  • Manjaro edição KDE: apresenta o próprio tema escuro Plasma do Manjaro, bem como o mais recente KDE Plasma 5, aplicativos e frameworks.[8]
  • Manjaro edição GNOME: se tornou a terceira versão oficial com o lançamento Gellivara e oferece a área de trabalho GNOME junto com uma versão do tema Manjaro.[9]

Embora não sejam lançamentos oficiais, as edições da comunidade do Manjaro são mantidas por membros da comunidade do Manjaro. Elas oferecem interfaces de usuário adicionais sobre os lançamentos oficiais, incluindo as interfaces Budgie, Cinnamon, Deepin,[10] i3, MATE e Sway.[11]

O Manjaro também tem edições para dispositivos com processadores ARM, como os computadores de placa única ou os notebooks Pinebook.[12]

Recursos[editar | editar código-fonte]

O Manjaro vem com uma interface de linha de comandos (CLI) e um instalador gráfico. O modelo de versão contínua significa que o usuário não precisa atualizar/reinstalar todo o sistema para o manter atualizado em linha com a versão mais recente.[13] O gerenciamento de pacotes é feito pelo Pacman via linha de comando (terminal) e ferramentas, de interface gráfica de usuário, de gerenciamento de pacote como o Pamac pré instalado. Ele pode ser configurado como um sistema estável (padrão) ou de ponta em linha com o Arch.[14]

Os repositórios são gerenciados com sua própria ferramenta, chamada BoxIt, que é projetada como o Git.[15]

O Manjaro inclui seu próprio gerenciador de configurações de interface gráfica de usuário, onde opções como idioma, controladores (drivers) e versões de núcleos (kernel) podem ser configuradas de forma simples.[16]

Certos utilitários do Arch comumente usados, como o sistema de construção do Arch (ABS), estão disponíveis, mas têm implementações alternativas no Manjaro.[17]

O arquiteto Manjaro (Manjaro architect) é um instalador de rede de interface de linha de comandos (CLI) que permite ao usuário escolher sua própria versão do núcleo (kernel), controladores (drivers) e ambiente de área de trabalho durante o processo de instalação. Os ambientes de área de trabalho das edições oficiais e da comunidade estão disponíveis para seleção.[18] Para instalações baseadas em interface gráfica de usuário (GUI), o Manjaro usa o instalador Calamares.[19]

Captura de tela do Manjaro 17.0 edição Cinnamon
Captura de tela do Manjaro 17.0 edição i3

Histórico de liberação[editar | editar código-fonte]

Os lançamentos da série 0.8.x foram as últimas versões do Manjaro a usar um número de versão. Os ambientes de área de trabalho oferecidos, bem como o número de programas agrupados em cada versão separada, variaram em versões diferentes.

Versão Data de lançamento Codinome Núcleo (kernel) Notas
Versão antiga, já não mantida: 0.1 10/07/2011
Versão antiga, já não mantida: 0.8.0[20][21] 20/08/2012 Askella 3.4.9 Apenas edições Xfce e KDE Plasma
Versão antiga, já não mantida: 0.8.1[22] 21/09/2012 3.4.x
Versão antiga, já não mantida: 0.8.2[23] 10/11/2012 3.4.x
Versão antiga, já não mantida: 0.8.3[24] 24/12/2012 3.4.x
Versão antiga, já não mantida: 0.8.4[25] 25/02/2013 3.7.x
Versão antiga, já não mantida: 0.8.5[26] 13/04/2013 3.8.5
Versão antiga, já não mantida: 0.8.6[27] 02/06/2013 3.9.x
Versão antiga, já não mantida: 0.8.7[28] 26/08/2013 3.4.59 com suporte de longo prazo (LTS)
Versão antiga, já não mantida: 0.8.8[29][30] 24/11/2013 3.10.20
Versão antiga, já não mantida: 0.8.9[31][32][33] 23/02/2014 3.10.30
Versão antiga, já não mantida: 0.8.10[34] 09/06/2014 3.12.20
Versão antiga, já não mantida: 0.8.11 01/12/2014
Versão antiga, já não mantida: 0.8.12 06/02/2015
Versão antiga, já não mantida: 0.8.13 14/06/2015
Versão antiga, já não mantida: 15.09[35] 27/09/2015 Bellatrix
Versão antiga, já não mantida: 15.12[36] 22/12/2015 Capella
Versão antiga, já não mantida: 16.06 2016-06-06 Daniella
Versão antiga, já não mantida: 16.06.1 11/06/2016
Versão antiga, já não mantida: 16.08[37] 31/08/2016 Ellada
Versão antiga, já não mantida: 16.10[38][39] 31/10/2016 Fringilla
Versão antiga, já não mantida: 17.0[7][8][40] 07/03/2017 Gellivara 4.9 com suporte de longo prazo (LTS) Primeira versão oficial com GNOME[9]
Versão antiga, já não mantida: 17.1[41][42] 31/12/2017 Hakoila 4.14 com suporte de longo prazo (LTS) Disponibilizado pela primeira vez pré instalado no Manjaro do notebook da Station X, o Spitfire.
Versão antiga, já não mantida: 18.0[43] 30/10/2018 Illyria[44] 4.19 com suporte de longo prazo (LTS)
Versão antiga, já não mantida: 18.1.0[45] 12/09/2019 Juhraya[46] 4.19 com suporte de longo prazo (LTS) Escolha entre o LibreOffice e o FreeOffice durante a instalação
Versão antiga, já não mantida: 19.0[47] 25/02/2020 Kyria 5.4 com suporte de longo prazo (LTS)
Versão antiga, já não mantida: 20.0[48] 26/04/2020 Lysia[48] 5.6.7
Versão antiga, já não mantida: 20.1[49] 11/09/2020 Mikah[49] 5.8
Versão antiga, já não mantida: 20.2[50] 03/12/2020 Nibia[50] 5.9[50]
Versão antiga, já não mantida: 21.0[51] 24/03/2021 Ornara 5.10 com suporte de longo prazo (LTS)
Versão estável atual: 21.1[3] 17/08/2021 Pahvo 5.13
Legenda:
Versão antiga
Versão mais antiga, ainda mantida
Versão mais recente
Versão de prévia mais recente
Lançamento futuro

Relação com Arch Linux[editar | editar código-fonte]

A principal diferença em relação ao Arch Linux são os repositórios.

O Manjaro usa três conjuntos de repositórios:[52]

  • Instável: contém os pacotes do Arch Linux mais atualizados. O instável está cerca de 3 dias atrás do Arch Linux.
  • Teste: contém pacotes dos repositórios instáveis após terem sido testados por usuários do instável.
  • Estável: contém apenas pacotes considerados estáveis pela equipe de desenvolvimento, o que pode significar um atraso de algumas semanas antes de obter atualizações importantes.[53]

Em janeiro de 2019, as atualizações de pacotes não relacionados à segurança derivadas da ramificação estável do Arch Linux para a ramificação estável do Manjaro normalmente tinham um atraso de algumas semanas.[54][Nota 1]

História[editar | editar código-fonte]

O Manjaro foi lançado pela primeira vez em 10 de julho de 2011.[1] Em meados de 2013, o Manjaro estava no estágio beta, embora os principais elementos do sistema final tivessem sido implementados, como:

  • um instalador com interface grafica de usuário (GUI) (uma, então, ramificação (fork) do instalador Antergos);
  • um gerenciador de pacotes (Pacman) com suas escolhas de front-ends
  • o Pamac (GTK) para o ambiente de área de trabalho Xfce e o Octopi (Qt) para sua edição Openbox
  • a detecção de hardware do Manjaro (MHWD) para detecção de controladores (drivers) de vídeo proprietários e livres
  • e o derenciador de configurações do Manjaro para configurações de todo o sistema, gerenciamento de usuários e instalação e gerenciamento de controladores (drivers) gráficos.[55]

O suporte ao GNOME Shell foi abandonado com o lançamento da versão 0.8.3. em 2012.[56] No entanto, esforços no Arch Linux tornaram possível reiniciar a edição Cinnamon/GNOME como uma edição da comunidade.[57] Um lançamento oficial oferecendo o ambiente de área de trabalho GNOME foi reinstaurado em março de 2017.[9]

Durante o desenvolvimento do Manjaro 0.9.0 no final de agosto de 2015, a equipe do Manjaro decidiu mudar para designações de ano e mês, em vez de números, para o esquema de versão do Manjaro. Isso se aplica tanto à série 0.8.x quanto à nova série 0.9.x, renomeando a 0.8.13, lançada em junho de 2015, como 15.06 e assim por diante.[58] O Manjaro 15.09, de codinome Bellatrix e anteriormente conhecido como 0.9.0, foi lançado em 27 de setembro de 2015 com o novo instalador Calamares e pacotes atualizados.[58]

Em setembro de 2017, o Manjaro anunciou que o suporte para a arquitetura i686 seria abandonado porque "a popularidade desta arquitetura estava diminuindo".[59] No entanto, em novembro de 2017, um projeto comunitário semi oficial (o "manjaro32"), baseado no archlinux32, continuou com o suporte para a arquitetura i686.[60]

Em setembro de 2019, a empresa Manjaro GmbH & Co. KG foi fundada. O site It's FOSS afirma que a empresa foi formada "... para efetivamente se envolver em acordos comerciais, formar parcerias e oferecer serviços profissionais".[61]

Derivados[editar | editar código-fonte]

  • O Netrunner Rolling, além do Netrunner da Blue Systems, que é baseado no Debian. A primeira versão do Netrunner Rolling foi a 2014.04, que foi baseada no Manjaro 0.8.9 edição KDE e lançada em 2014. A última versão lançada (derivada do Manjaro) foi o Netrunner Rolling 2019.04.[62]
  • O projeto Sonar GNU/Linux[63] que tinha como objetivo fornecer um Linux sem barreiras para pessoas que necessitavam de tecnologia assistiva para uso de computador, com suporte para área de trabalho GNOME e MATE. A primeira versão foi lançada em fevereiro de 2015, o lançamento mais recente foi em 2016.[64] Em 2017, o projeto Sonar foi descontinuado.[65]

Hardware[editar | editar código-fonte]

Manjaro no PinePhone

Embora o Manjaro possa ser instalado na maioria dos sistemas, alguns fornecedores vendem computadores com o Manjaro pré instalado. Os fornecedores de computadores pré instalados com o Manjaro incluem StarLabs Systems, Tuxedo Computers, manjarocomputer.eu[66] e Pine64.

O Manjaro é também o sistema operacional padrão oficial usado no PinePhone, um smartphone baseado na arquitetura ARM lançado pela Pine64.[67]

Recepção[editar | editar código-fonte]

O Manjaro Linux é conhecido como uma área de trabalho fácil de configurar e usar, adequado para iniciantes e usuários experientes.[68] É recomendado como uma maneira fácil e amigável de instalar, construir e manter uma distribuição derivada do Arch de ponta.[69] Alguns usuários acharão interessante a grande variedade de software contribuído disponível no repositório de usuários de Arch (AUR), que tem a reputação de ser mantido atualizado com recursos enviados (upstream).[69]

As primeiras versões do Manjaro tinham a reputação de travar e ter dificuldades de instalação,[70] mas foi relatado que isso melhorou com as versões posteriores,[71] e em 2014, de acordo com Jesse Smith do DistroWatch, "provou ser provavelmente o filho mais polido do Arch Linux que usei até hoje. A distribuição não é apenas fácil de configurar, mas tem uma sensação amigável, completa com um gerenciador gráfico de pacotes, instalador de sistema de qualidade e tela de boas vindas útil. O Manjaro vem com muitos softwares úteis e suporte de multimídia. "[72]

Smith fez uma revisão do Manjaro 17.0.2 edição Xfce em julho de 2017 e observou que ele fazia "muitas coisas bem".[69] Ele passou a exaltar algumas das características notáveis como parte de sua conclusão:

"Achei a edição Xfce do Manjaro muito rápida e incomumente leve na memória. A distribuição funcionou bem e funcionou bem com meu hardware físico e meu ambiente virtual. Também gostei do hábito do Manjaro de me dizer quando o novo software (particularmente as novas versões do núcleo (kernel) do Linux) estava disponível. Eu me atrapalhei um pouco com o painel de configurações do Manjaro e encontrei algumas configurações, mas no final fiquei satisfeito com a gama de configurações que consegui alcançar com a distribuição. Gosto especialmente que o Manjaro facilita o bloqueio de notificações e evita que as janelas roubem o foco. A distribuição pode ser feita para ficar agradavelmente fora do caminho."[69]

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. O número de lag não diferenciou as atualizações de pacote necessárias para corrigir vulnerabilidades de segurança
  1. o suporte i686 é mantido pelo projeto manjaro32.
  2. O suporte ARM é mantido pelo projeto Manjaro ARM

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b Singer, Roland (ying) (10 de julho de 2011). «Distribuição Manjaro Linux» (em inglês). Contribuições da comunidade, Fóruns do Arch Linux. Consultado em 12 de dezembro de 2015. Cópia arquivada em 26 de setembro de 2016. Olá a todos, estou trabalhando há muito tempo no meu live cd do Arch Linux. Ele é chamado de Manjaro linux e usa o ambiente de área de trabalho Xfce. Eu fiz upload de um primeiro live cd de teste que é muito experimental e muitos recursos ainda estão faltando. Eu ficaria muito grato por qualquer falha (bug) reportado, .... se alguém quiser ajudar e se juntar ao projeto é sempre bem vindo. 
  2. «[0.8.8] Lançado candidato a lançamento 4 (Xfce/Openbox) - Imagens finais». manjaro.org. Consultado em 8 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 17 de setembro de 2016 
  3. a b «Manjaro 21.1.0 Pahvo lançado!» (em inglês). 17 de agosto de 2021. Consultado em 17 de agosto de 2021 
  4. «Obtenha o Manjaro» (em inglês). Manjaro Linux. Consultado em 12 de setembro de 2019. Cópia arquivada em 12 de setembro de 2019 
  5. «Página "sobre" no Wiki do Manjaro» (em inglês). Consultado em 8 de janeiro de 2013. Cópia arquivada em 5 de janeiro de 2013 
  6. «Sobre o Manjaro». manjaro.org (em inglês). 21 de março de 2021. Consultado em 19 de setembro de 2021 
  7. a b Müller, Philip (7 de março de 2017). «Manjaro edição Xfce 17.0 lançado» (em inglês). Manjaro. Consultado em 8 de março de 2017. Arquivado do original em 9 de março de 2017 
  8. a b Müller, Philip (7 de março de 2017). «Manjaro edição KDE 17.0 lançado» (em inglês). Manjaro. Consultado em 8 de março de 2017. Arquivado do original em 9 de março de 2017 
  9. a b c Landauer, Bernhard (7 de março de 2017). «Manjaro edição GNOME 17.0 lançado» (em inglês). Manjaro. Consultado em 10 de março de 2017. Arquivado do original em 10 de julho de 2018 
  10. Nestor, Marius (28 de setembro de 2020). «Análise inicial do Manjaro edição Deepin: beleza profunda desenvolvida com o Arch Linux». 9to5Linux (em inglês). Consultado em 11 de outubro de 2020 
  11. «Manjaro - Downloads». Manjaro (em inglês). Consultado em 28 de abril de 2020 
  12. «O Manjaro ARM está criando uma distribuição Linux de lançamento contínuo para dispositivos ARM». Patreon (em inglês). Consultado em 24 de julho de 2021 
  13. «Distribuição Manjaro Linux». Revista Linux (Edição espanhola) (em inglês) (88). Além disso, o Manjaro é uma distribuição contínua, ou seja, pode ser atualizado continuamente sem a necessidade de instalação de uma nova versão. E por falar em instalação, apesar do aspecto primitivo do instalador baseado em texto, o processo da interface gráfica do usuário (GUI) é muito fácil e possui muitos assistentes para detectar e configurar seu hardware. 
  14. «Página Sobre no Wiki do Manjaro - recursos» (em inglês). Consultado em 8 de janeiro de 2013. Cópia arquivada em 5 de janeiro de 2013 
  15. Roland (1 de agosto de 2012). «O que está acontecendo atrás da cortina?» (em inglês). Consultado em 31 de outubro de 2016. Arquivado do original em 22 de setembro de 2017 
  16. «Manjaro Linux - aproveite a simplicidade». manjaro.github.io (em inglês). Consultado em 22 de setembro de 2017. Arquivado do original em 22 de setembro de 2017 
  17. «Onde está o ABS. Fórum do Manjaro Linux (em inglês). Consultado em 16 de maio de 2018. Cópia arquivada em 18 de maio de 2018 
  18. «Instale o Manjaro como quiser com o Architect». manjaro.org (em inglês). 27 de março de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2017. Arquivado do original em 28 de setembro de 2018 
  19. Instalando o Manjaro (em inglês), acessado em 31 de agosto de 2020
  20. Müller, Philip (20 de agosto de 2012). «Finalmente! O Manjaro edição XFCE é lançado» (em inglês). Manjaro. Consultado em 8 de março de 2017. Arquivado do original em 9 de março de 2017 
  21. Müller, Philip (20 de agosto de 2012). «Por último mas não menos importante! O Manjaro KDE (em inglês). Manjaro. Consultado em 8 de março de 2017. Arquivado do original em 8 de março de 2017 
  22. Müller, Philip (21 de setembro de 2012). «Manjaro 0.8.1 edição XFCE lançado» (em inglês). Manjaro. Consultado em 8 de março de 2017. Arquivado do original em 8 de março de 2017 
  23. Müller, Philip (10 de novembro de 2012). «O Manjaro 0.8.2 foi lançado!» (em inglês). Manjaro. Consultado em 8 de março de 2017. Arquivado do original em 9 de março de 2017 
  24. Müller, Philip (24 de dezembro de 2012). «O Manjaro 0.8.3 foi lançado!» (em inglês). Manjaro. Consultado em 8 de março de 2017. Arquivado do original em 8 de março de 2017 
  25. Müller, Philip (25 de fevereiro de 2013). «O Manjaro 0.8.4 foi lançado!» (em inglês). Manjaro. Consultado em 8 de março de 2017. Arquivado do original em 8 de março de 2017 
  26. Müller, Philip (13 de abril de 2013). «O Manjaro 0.8.5 lançado» (em inglês). Manjaro. Consultado em 8 de março de 2017. Arquivado do original em 8 de março de 2017 
  27. Müller, Philip (2 de junho de 2013). «O Manjaro 0.8.6 foi liberado!» (em inglês). Manjaro. Consultado em 8 de março de 2017. Arquivado do original em 9 de março de 2017 
  28. Müller, Philip (26 de agosto de 2013). «Manjaro 0.8.7 chega à selva (em inglês). Manjaro. Consultado em 8 de março de 2017. Arquivado do original em 8 de março de 2017 
  29. Müller, Philip (24 de novembro de 2013). «Manjaro 0.8.8 aterrissa em nossos servidores» (em inglês). Manjaro. Consultado em 8 de março de 2017. Arquivado do original em 13 de setembro de 2016 
  30. «Manjaro suaviza as bordas ásperas do Arch» (Avaliações) (em inglês). LinuxInsider. Consultado em 1 de julho de 2018. Cópia arquivada em 22 de junho de 2018 
  31. Müller, Philip (23 de fevereiro de 2014). «O Manjaro 0.8.9 chegou aos nossos servidores» (em inglês). Manjaro. Consultado em 8 de março de 2017. Arquivado do original em 18 de maio de 2017 
  32. «Análise do Manjaro 0.8.9 - Áreas de trabalho KDE e Xfce» (em inglês). LinuxBSDos.com. Consultado em 1 de julho de 2018. Cópia arquivada em 28 de junho de 2018 
  33. «Análise de Manjaro 0.8.9 edição KDE - Lindo e amigável para iniciantes, mas não responsivo sob estresse» (em inglês). Consultado em 1 de julho de 2018. Cópia arquivada em 21 de junho de 2018 
  34. Müller, Philip (9 de junho de 2014). «O Manjaro 0.8.10 está online (em inglês). Manjaro. Consultado em 8 de março de 2017. Arquivado do original em 18 de maio de 2017 
  35. «Prática com o Manjaro Linux 15.09: um novo favorito» (em inglês). ZDNet. Consultado em 1 de julho de 2018. Cópia arquivada em 25 de fevereiro de 2018 
  36. «Manjaro 15.12 edição Xfce - Começou todo poderoso, mas então». Dedoimedo (em inglês). Consultado em 1 de julho de 2018. Cópia arquivada em 20 de junho de 2018 
  37. Müller, Philip (31 de agosto de 2016). «Manjaro Ellada finalmente lançado» (em inglês). Manjaro. Consultado em 8 de março de 2017. Arquivado do original em 9 de março de 2017 
  38. Müller, Philip (31 de outubro de 2016). «Manjaro Fringilla finalmente lançado» (em inglês). Manjaro. Consultado em 8 de março de 2017. Arquivado do original em 9 de março de 2017 
  39. «Manjaro Linux 16.10 edição Xfce - Me surpreendeu, eu gosto». Dedoimedo (em inglês). Consultado em 1 de julho de 2018. Cópia arquivada em 20 de junho de 2018 
  40. «Manjaro 17.0.1 Gellivara (Che Guevara) - Bastante decente». Dedoimedo (em inglês). Consultado em 1 de julho de 2018. Cópia arquivada em 20 de junho de 2018 
  41. «Manjaro 17.1.6 Hakoila edição Plasma - Um rolo compressor do Tux». Dedoimedo (em inglês). Consultado em 1 de julho de 2018. Cópia arquivada em 20 de junho de 2018 
  42. «Manjaro 17.1.6 Hakoila edição Xfce - Para onde vais tu?». Dedoimedo (em inglês). Consultado em 1 de julho de 2018. Cópia arquivada em 20 de junho de 2018 
  43. «Manjaro v18.0 lançado!». Consultado em 1 de novembro de 2018. Cópia arquivada em 1 de novembro de 2018 
  44. «Manjaro Linux no Twitter» (em inglês). 8 de abril de 2018. Consultado em 26 de abril de 2018 – via Twitter 
  45. «Manjaro 18.1.0 - Juhraya finalmente lançado!» (em inglês). Consultado em 12 de setembro de 2019. Cópia arquivada em 12 de setembro de 2019 
  46. «Manjaro Linux no Twitter» (em inglês). 12 de setembro de 2019. Consultado em 12 de setembro de 2019 – via Twitter 
  47. «Manjaro 19.0 lançado (Gnome, KDE, Xfce, Architect. Fórum do Manjaro Linux (em inglês). 25 de fevereiro de 2020. Consultado em 28 de abril de 2020 
  48. a b Müller, Philip (18 de abril de 2020). «Manjaro 20.0 lançado (Gnome, KDE, Xfce, Architect. manjaro.org (em inglês). Consultado em 18 de abril de 2020 
  49. a b Müller, Philip (11 de setembro de 2020). «anjaro 20.1 lançado (Gnome, KDE, Xfce, Architect. manjaro.org (em inglês). Consultado em 11 de setembro de 2020 
  50. a b c «Manjaro 20.2 Nibia foi lançado» (em inglês). 3 de dezembro de 2020. Consultado em 3 de dezembro de 2020 
  51. «Manjaro 21.0 Ornara lançado!». Fórum do Manjaro Linux (em inglês). 23 de março de 2021. Consultado em 1 de abril de 2021 
  52. «Trocando ramificações - Manjaro Linux». wiki.manjaro.org (em inglês). Consultado em 19 de junho de 2020 
  53. «Trocando ramificações». Wiki do Manjaro (em inglês). Consultado em 6 de agosto de 2020 
  54. Verma, Adarsh (9 de janeiro de 2018). «9 melhores distribuições de Linux para programação e desenvolvedores (edição 2018)». Fossbytes (em inglês). 8. Manjaro Linux. Cópia arquivada em 23 de fevereiro de 2019 
  55. «Página Mhwd no Wiki do Manjaro» (em inglês). Consultado em 8 de janeiro de 2013. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2014 
  56. Carl (24 de dezembro de 2012). «O Manjaro 0.8.3 foi lançado!» (em inglês). Consultado em 24 de abril de 2013. Arquivado do original em 31 de maio de 2013 
  57. «Lançamentos do Manjaro 0.8.5.2 da comunidade (KDE, Cinnamon, MATE) liberados» (em inglês). 13 de maio de 2013. Consultado em 29 de maio de 2013. Arquivado do original em 3 de setembro de 2018 
  58. a b «Atualização do Manjaro em 27/09/2015 (estável)». manjaro.github.io. Manjaro Linux. Consultado em 27 de setembro de 2015. Arquivado do original em 28 de setembro de 2015 
  59. Müller, Philip (2 de setembro de 2017). «[Manutenção] 02/09/2017 - Eliminação do suporte para i686» (em inglês). Manjaro Linux. Arquivado do original em 17 de agosto de 2018 
  60. «[Atualização instável] [x32] 24-11-2017 - i686 vive!». Fórum do Manjaro Linux (em inglês). 24 de novembro de 2017. Consultado em 27 de março de 2019 
  61. Das, Ankush. «Manjaro Linux graduados de um projeto de passatempo para um projeto profissional - It's FOSS». It's FOSS (em inglês). Consultado em 2 de outubro de 2021 
  62. «Netrunner Rolling 2019.04 lançado» (em inglês). 20 de julho de 2019. Consultado em 21 de abril de 2019. Cópia arquivada em 8 de julho de 2019 
  63. «Sonar GNU/Linux» (em inglês). Consultado em 12 de março de 2017. Cópia arquivada em 12 de março de 2017 
  64. «Sonar 2016.03 lançado - um sistema operacional acessível focado em tecnologia assistiva» (em inglês). 6 de março de 2016. Consultado em 14 de março de 2017. Arquivado do original em 10 de julho de 2018 
  65. «Sonar GNU/Linux». DistroWatch (em inglês). 24 de março de 2018. Consultado em 10 de dezembro de 2017. Cópia arquivada em 23 de novembro de 2017 
  66. «manjarocomputer.eu» (em inglês). Consultado em 31 de agosto de 2020 
  67. «A PinePhones escolhe o Manjaro como sistema operacional padrão». Fórum do Manjaro Linux (em inglês). 24 de fevereiro de 2021. Consultado em 6 de junho de 2021 
  68. Antil, Pradeep (16 de novembro de 2018). «Manjaro Linux 18.0 - Análise e recursos». Linux Buzz (em inglês). Consultado em 25 de março de 2019 
  69. a b c d Smith, Jesse (3 de julho de 2017). «Manjaro Linux 17.0.2 edição "Xfce. DistroWatch semanal (em inglês) (719). Consultado em 9 de dezembro de 2017. Cópia arquivada em 4 de novembro de 2017 
  70. Smith, Jesse (14 de janeiro de 2013). «Retorno ao Manjaro Linux 0.8.3». DistroWatch (em inglês). Consultado em 20 de janeiro de 2013. Cópia arquivada em 15 de janeiro de 2013 
  71. Watson, JA (10 de março de 2017). «Chegou o Manjaro Linux 17.0: um excelente momento para o experimentar». ZDNet (em inglês). Consultado em 25 de março de 2019 
  72. Smith, Jesse (14 de julho de 2014). «EExplorando o Manjaro Linux 0.8.10 (edição Xfce)» (em inglês). DistroWatch. Consultado em 27 de outubro de 2014. Cópia arquivada em 29 de outubro de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]