Simon Blackburn

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Simon blackburn 2.png

Simon Blackburn (14 de julho de 1944) é um filósofo britânico conhecido pelos seus esforços em popularizar a filosofia. Ele estudou no Clifton College e recebeu seu bacharelado em Ciências Morais (isto é, filosofia) em 1965 no Trinity College, em Cambridge. Atualmente ele é Professor de Filosofia na Universidade de Cambridge, posição antes exercida por filósofos como Elizabeth Anscombe, G.H. Von Wright, Wittgenstein e G.E. Moore. Ele é bolsista do Trinity College de Cambridge, e já lecionou no Pembroke College, na Universidade de Oxford, e na Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill.

Na filosofia, ele é conhecido como o proponente do quasi-realismo na metaética, e como defensor das visões neohumeanas em vários tópicos.

Ele faz aparições ocasionais na midia Britânica - por exemplo, na BBC, na Rádio 4. Ao contrário de outros cidadãos populares da filosofia, Blackburn também é um acadêmico, conhecido como o principal proponente das tradições humeanas na filosofia moral, um antigo editor do jornal "Mind" e o inventor do quasi-realismo.

O professor Blackburn é um dos vice-presidentes da Associação Humanista Britânica.[1]

Livros (em inglês)[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Professor Simon Blackburn». Humanists UK (em inglês). Consultado em 23 de junho de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.