Socrate

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde abril de 2015).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Sócrates é um filme Espanhol, Italiano e Francês de 1971 dirigido por Roberto Rossellini.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Depois que os Atenienses caíram sobre o governo da Tirania dos Trinta, a vida dos cidadãos não era mais segura. O filósofo Sócrates, entretanto, continua a sua pregação filosófica, aglomerando mais e mais jovens discípulos. Dentre eles está Platão, que anotou os discursos de seu mestre, sem saber sobre o conflito e o que aparentemente parecia tão real para ser considerado um princípio. A juventude de Atenas gostava de Sócrates, embora os conservadores, como o comediante Aristófanes, o ridicularizavam, acreditando que ele era um dos sofistas.

Quando Sócrates afirmou ter recibido uma visão dos deuses no Oráculo de Delfos, os seus conspiradores o acusaram na corte, argumentando que as suas pregações eram malucas doutrinas para a juventude, e que ele não acreditava nos deuses, mas nos demônios. Sócrates deu uma explicação, mas os cidadãos estavam contra ele. Então, Sócrates foi sentenciado à morte, e foi mantido na prisão, aguardando pela execução. Seus discípulos estavam desesperados, e um deles, Crito, tentou ajudá-lo, encorajando-o a fugir. Sócrates rejeitou a ideia, falando que ele deveria obedecer os governantes da cidade. Ele então, decidiu morrer, e morreu o mais rápido que pôde, forçado a beber cicuta.

Quando o filósofo morre, o povo de Atenas ficou ciente do grave erro no tribunal.

Elenco[editar | editar código-fonte]

  • Jean Sylvère como Sócrates
  • Anne Caprile como Santippe
  • Giuseppe Mannajuolo como Apollodoro
  • Ricardo Palacios como Critone
  • Antonio Medina como Platão
  • Julio Morales como Antistene
  • Emilio Miguel Hernández como Meleto
  • Emilio Hernández Blanco como Ipperide
  • Manuel Angel Egea como Cebete
  • Jesús Fernández como Cristobolo
  • Eduardo Puceiro como Simmia
  • José Renovales como Fedo
  • Gonzalo Tejel como Anito
  • Antonio Requena como Ermete
  • Roberto Cruz como um vecchio
  • Francisco Sanz como um ator
  • Antonio Alfonso como Eutifrone
  • Juan Margallo como Crizia
  • Román Ariznavarreta como Calicle
  • Francisco Calalá como Lisia
  • Adolfo Thous como Ippio
  • Bernardo Ballester como Teofrasto
  • Jean-Dominique de La Rochefoucauld como Fedro
  • César Bonet como Prete
  • Jerzy Radlowsky como Giullare
  • Pedro Estecha como Focione
  • Rafael de la Rosa como Trasibulo
  • Simón Arriaga como Servitore della cicuta
  • Iván Almagro como Ermogene
  • Constant Rodriguez como Aristefo
  • Stefano Charelli como Efigene
  • Luis Alonso Gulias como Echino
  • Jesus A. Gordon como Lamprocle
  • José Luis Ortega como Giovane figlio di Socrate
  • Elio Seraffini como Prete

Links externos[editar | editar código-fonte]