Sphyrna tiburo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Como ler uma caixa taxonómicaTubarão-de-pala
Sphyrna tiburo

Sphyrna tiburo
Estado de conservação
Status none DD.svgDados insuficientes (IUCN3.1 =)
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Chondrichthyes
Subclasse: Elasmobranchii
Ordem: Carcharhiniformes
Família: Sphyrnidae
Género: Sphyrna
Espécie: S. tiburo
Nome binomial
'''Sphyrna tiburo'''
Distribuição geográfica
Distribuição mundial de Sphyrna tiburo
Distribuição mundial de Sphyrna tiburo
Sphyrna tiburo

O tubarão-de-pala (Sphyrna tiburo) é um pequeno tubarão-martelo da família Sphyrnidae. Atinge em média 1,5 m de comprimento e costuma habitar águas costeiras e estuários das zonas tropicais e temperadas.

Aspecto[editar | editar código-fonte]

Caracterizado por uma ampla cabeça em forma de pá,(diferente do seus grandes primos com cabeça em forma de martelo), o tubarão-de-pala têm o menor cefalofólio (cabeça de martelo) de todos os representantes do gênero Sphyrna. Possui uma cor marrom-acinzentado no dorso e um claro mais leve na parte de baixo. É considerado um tubarão tímido e praticamente inofensivo para o homem, ao contrário dos grandes tubarões-martelo que representam perigo real.

Tubarão-de-pala

Tamanho[editar | editar código-fonte]

Em média, os tubarões-de-pala atingem cerca de 0,91 a 1,52 m de comprimento, sendo uma das menores espécies de tubarão-martelo existentes.

Habitat[editar | editar código-fonte]

Esta espécie vive no Hemisfério Ocidental, onde a água é geralmente mais quente, passando de 21 ° C. Ele varia desde a Nova Inglaterra, onde é raro, para o Golfo do México e Brasil, e do sul da Califórnia ao Equador. Durante o verão é comum nas águas costeiras das Carolinas e Geórgia ; na primavera, verão e outono, encontra-se fora da Flórida e no Golfo do México. No inverno, o tubarão-de-pala encontra mais perto do Equador , onde a água é mais quente.

Comportamento[editar | editar código-fonte]

O tubarão-de-pala é tubarão tropical ativo que nada em pequenos grupos de 5 a 15 indivíduos. Curiosamente no entanto, têm sido relatados cardumes com centenas ou até mesmo milhares de tubarões em rota de migração. Tubarões-de-pala movem-se constantemente na sequência de alterações na temperatura da água e para manter a circulação de água nas guelras, permitindo que o peixe respire. O tubarão-de-pala afunda se não manter-se em movimento constante, pois os tubarões-martelo estão entre vertebrados marinhos com mais flutuação negativa, obrigando-os a nadar o tempo todo para não afundar . Como outros tubarões é capaz de detectar os campos elétricos das suas presas, o que ajuda a rastreá-las com precisão. Este sistema permite que o tubarão-de-pala posicione-se para morder a presa a poucos metros, onde os olhos são menos capazes de ajudar. Este tubarão não é perigoso para os seres humanos. Pode ser visto em aquários.

Tubarões-de-pala em aquário

Dieta[editar | editar código-fonte]

Alimenta-se principalmente de crustáceos, que inclui principalmente de caranguejos azuis , mas também camarões, moluscos e pequenos peixes. Seu comportamento alimentar consiste em nadar pelo fundo do mar, movendo a cabeça em padrões de arco, como um detector de metal, procurando pequenas pertubações eletromagnéticas produzidas por caranguejos e outras criaturas que se escondem no fundo arenoso. Após a descoberta, eles nitidamente viram e mordem o sedimento, onde foi detectado a pertubação. Se um caranguejo é capturado, o tubarão-de-pala utiliza os seus dentes para moer a sua carapaça e depois usa sucção para engolir a presa.

Para acomodar os muitos tipos de animais dos quais se alimenta, o tubarão-de-pala tem dentes pequenos e afiados na frente da boca (para pegar a presa suavemente) e molares planos e largos na parte de trás (para esmagar presas de carapaça dura).

Reprodução[editar | editar código-fonte]

O tubarão-de-pala é vivíparo , o que significa que as fêmeas produzem ovos que são retidos e nutridas no sistema reprodutivo até que o filhote se torne maduro o suficiente para ser lançado para o exterior. As fêmeas atingem a maturidade sexual em cerca de 32 cm, enquanto os machos atingem a maturidade em cerca de 24 cm. De quatro a doze filhotes nascem no final do verão e início do outono, medindo de 12 a 13 cm (330 mm).

Pesquisadores da Universidade de Belfast da Rainha e a Southeastern University (Florida) , têm mostrado recentemente que uma femea de tubarão-de-pala produziu um filhote por partenogênese em 2001. O nascimento ocorreu no zoológico Henry Doorly em Nebraska e análise de DNA feita posteriormente mostrou uma combinação perfeita entre a mãe e filhote.

O dimorfismo sexual[editar | editar código-fonte]

Tubarões-de-pala são os únicos tubarões conhecidos que apresentam dimorfismo sexual ; ou seja, adultos do sexo masculino e feminino são diferentes um do outro. Na morfologia, adultos tubarão-de-pala do sexo feminino têm uma cabeça amplamente arredondada, enquanto os machos possuem uma protuberância distinta ao longo da margem anterior do cefalofólio. Esta protuberância é formada por alongamento da cartilagem rostral dos machos no início da maturidade sexual e corresponde temporalmente com o alongamento do clásper, o órgão reprodutor dos machos de tubarões.

Objetivo da cabeça de martelo[editar | editar código-fonte]

As razões para cefalofólio (cabeça de martelo) causou debate científico por mais de uma década. Seja qual for o objetivo final, uma cabeça em forma de martelo permite a esses tubarões de nadar em um plano horizontal e foi pensado para dar-lhes a capacidade de executar curvas fechadas. No entanto, a pesquisa mostra que são as vértebras que ajudam-os a executar curvas fechadas [ carece de fontes ] . O cefalofólio é responsável pela melhor eletrorrecepção (usando ampolas de Lorenzini ) e aumentaram o senso olfativo do tubarão. [ carece de fontes]

As nadadeiras peitorais e natação[editar | editar código-fonte]

As nadadeiras peitorais em maior controle peixe, lançando (movimento para cima e para baixo do corpo), derivando (o movimento de lado a lado) e girando. A maioria dos tubarões-martelo não usam ativamente as nadadeiras peitorais ao nadar, sendo guidas pelo seu cefalofólio. Se o cefalofólio de um tubarão-de-pala é pequeno demais ele não é tão bem sucedido ao nadar e , portanto, tem que contar com a combinação de seu cefalofólio e com suas grandes nadadeiras peitorais para a maioria de sua mobilidade. Comparado a outros martelo, tubarão-de-pala têm nadadeiras peitorais maiores e mais desenvolvidas e são as únicas espécies de tubarão-martelo que usam ativamente nadadeiras peitorais para nadar.

Evolução[editar | editar código-fonte]

Usando dados de análise em DNA, cientistas descobriram que a evolução de tubarões-martelo provavelmente se iniciou com um grupo taxonômico que tinha um cefalofólio altamente pronunciado (mais provável que semelhante ao tubarão winghead , Eusphyrna blochii ), e depois foi modificado através de pressões seletivas. E, portanto, assumiu hoje que, a julgar pelo seu cefalofólio menor, os tubarões-de-pala são os desenvolvimentos mais recentes de um processo evolutivo de 25.000.000 anos

Referências[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Sphyrna tiburo