Eragrostis tef

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Teff)
Ir para: navegação, pesquisa


Como ler uma caixa taxonómicaEragrostis tef
teff, taff
Eragrostis

Eragrostis
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Liliopsida
Ordem: Poales
Família: Poaceae
Subfamília: Chloridoideae
Género: Eragrostis
Espécie: E. teff
Nome binomial
Eragrostis tef
Sinónimos
  • Eragrostis abyssinica (Jacq.) Link

Eragrostis tef (Zucc.) Trotter, conhecida pelos nomes comuns de teff (amárico: ጤፍ ṭēff; tigrino: ጣፍ ṭaff) ou xaafii (em oromo), é uma planta anual nativa das terras altas do Etiópia e Eritreia no Corno de África.[1] É um cereal comum na Etiópia e na Eritreia, mas pouco conhecido em outras partes do mundo, constituindo a base da injera, o prato nacional etíope. A etimologia popular liga a palavra "teff" à raiz etio-semítica "ṭff", que significa "perdido" (aparentemente devido ao pequeno tamanho do grão).

Origens[editar | editar código-fonte]

Acredita-se que seu cultivo teve início na Etiópia entre 4000 e 1000 a.C.. Estudos genéticos apontam a espécie Eragrostis pilosa como o seu antepassado selvagem mais provável.

No século XIX foram identificadas sementes de Teff em um sítio arqueológico egípcio. Hoje tal identificação é considerada duvidosa. As sementes em questão já não estão disponíveis para estudo e provavelmente seriam de uma gramínea selvagem comum no Egito.

Características[editar | editar código-fonte]

É resistente a climas rigorosos quentes e secos. Também é cultivado em solos alagados.

Apresenta maior produtividade em altitudes de 1800 a 2000 metros com 450 a 550 milímetros de chuva e temperaturas entre 10 e 27 °C.

É uma semente pequena com colorações variadas (do branco passando pelo vermelho até o marrom escuro). Os tipos mais claros possuem um sabor mais suave mas todos são igualmente nutritivos.

Graças a seu pequeno tamanho (cerca de 1 milímetro de diâmetro) e sua facilidade de cultivo favoreceu um estilo de vida semi-nômade.

Valor Nutricional[editar | editar código-fonte]

O grão tem uma concentração elevada e variada de nutrientes: cálcio, ferro, cobre, alumínio, bário, fósforo e tiamina. É rico em carboidratos

O ferro contido no Teff é facilmente absorvido pelo organismo.

Possui elevado teor de proteína. Acredita-se que tenha uma composição de aminoácidos excelente (todos os 8 aminoácidos essenciais para os seres humanos). Tem níveis de lisina mais elevados do que o trigo ou a cevada

Estimula a flora intestinal. Não contém glúten, pelo que é apropriado para aqueles com intolerância do glúten ou que sofram de doença celíaca.

Cultivo[editar | editar código-fonte]

O Teff é mais intensamente cultivado nos planaltos da Etiópia que é o maior produtor mundial (o Teff é responsável por aproximadamente um quarto da produção total de cereais deste país) e também na Eritreia, Índia e Austrália.

Consumo[editar | editar código-fonte]

Tradicionalmente, o Teff é usado na culinária da Etiópia e da Eritreia para a preparação de um tipo de pão, o injera.[2] [3]

Notas

  1. Lewis Aptekar (2013) In the Lion's Mouth, XLibris LLC, ISBN 978-1-4836-9519-8.
  2. (em inglês) Ethiopianrestaurant - Injera. Página acessada em 23 de Outubro de 2010.
  3. (em português) Coisinhasdabarbara - Receita de Injera. Acessado em 23 de Outubro de 2010.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • National Academy of Sciences. Lost crops of Africa. Volume I: Grains. Washington, D.C.: National Academies Press, 1996. ISBN 0-309-04990-3
Ícone de esboço Este artigo sobre plantas é um esboço relacionado ao Projeto Plantas. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.