Tegula viridula

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaTegula viridula
Três exemplares de T. viridula em desenho de 1889, publicado no Manual of Conchology XI, Academy of Natural Sciences, Philadelphia; pl. 29 # 54, 55, 56, de George W. Tryon.

Três exemplares de T. viridula em desenho de 1889, publicado no Manual of Conchology XI, Academy of Natural Sciences, Philadelphia; pl. 29 # 54, 55, 56, de George W. Tryon.
Classificação científica
Reino: Animalia
Clado: Vetigastropoda
Filo: Mollusca
Classe: Gastropoda
Superfamília: Trochoidea
Família: Tegulidae
Género: Tegula
Lesson, 1832[1]
Espécie: T. viridula
Nome binomial
Tegula viridula
(Gmelin, 1791)[1]
Sinónimos
Trochus viridulus Gmelin, 1791[1]
Tegula brasiliana Menke, 1830[2]

Tegula viridula é uma espécie de molusco gastrópode marinho pertencente à família Tegulidae[1] (antes entre os Trochidae).[2][3] Foi classificada por Gmelin, com o nome de Trochus viridulus, em 1791. É nativa da costa oeste do oceano Atlântico.[1][2]

Descrição da concha e hábitos[editar | editar código-fonte]

Concha globosa de até pouco mais de 2 centímetros, com forma de turbante e com umbílico profundo; com até 5 voltas completas, esculpidas com cordas espirais nodulosas, 7 em sua última volta e 6 em sua base, tornando sua superfície fortemente estriada. Coloração em creme ou verde pálidos, raramente amarela, coberta por estrias ou manchas escuras de coloração marrom avermelhada.[1] Columela arqueada e com 3 a 4 pequenos calos. Lábio externo circular, oblíquo.[2] Interior fortemente nacarado. Opérculo córneo, marrom, dotado de círculos concêntricos como relevo.[4][5]

É encontrada em águas rasas, com abundância em alguns locais, na zona entremarés e sobre rochas, principalmente em áreas com algas, pois é espécie herbívora.[2][6]

Distribuição geográfica[editar | editar código-fonte]

Tegula viridula ocorre do leste da Costa Rica[7] e do Panamá[4], nordeste da Colômbia, no Mar do Caribe[7], Venezuela e Suriname ao Brasil (do Ceará até Santa Catarina).[2][4][5] No Brasil, é espécie comestível e recebe o nome de "Rosquinha".[2]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e «Tegula viridula» (em inglês). World Register of Marine Species. 1 páginas. Consultado em 8 de maio de 2016 
  2. a b c d e f g RIOS, Eliézer (1994). Seashells of Brazil (em inglês) 2ª ed. Rio Grande, RS. Brazil: FURG. p. 32. 492 páginas. ISBN 85-85042-36-2 
  3. ABBOTT, R. Tucker; DANCE, S. Peter (1982). Compendium of Seashells. A color Guide to More than 4.200 of the World's Marine Shells (em inglês). New York: E. P. Dutton. p. 42. 412 páginas. ISBN 0-525-93269-0 
  4. a b c «Tegula viridula» (em inglês). Gastropods. 1 páginas. Consultado em 8 de maio de 2016 
  5. a b «Tegula viridula» (em inglês). Conquiliologistas do Brasil. 1 páginas. Consultado em 8 de maio de 2016 
  6. Turra, A.; Denadai, M. R. (fevereiro de 2006). «Microhabitat use by two rocky shore gastropods in an intertidal sandy substrate with rocky fragments» (em inglês). Scientific Electronic Library Online. 1 páginas. Consultado em 8 de maio de 2016 
  7. a b «Tegula viridula» (em inglês). Global Biodiversity Information Facility. 1 páginas. Consultado em 8 de maio de 2016