Televisão em Cuba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde novembro de 2016). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A Televisão em Cuba consiste em TV Aberta e quase todos os canais tem sua programação controladas pelo Governo, com exceção de alguns canais internacionais.

São exibidos programas de entretenimento, culturais e educativos para diversas idades, transmissões de sessões políticas e eventos esportivos. Também está aberto espaço para filmes, além de séries e novelas cubanas ou internacionais. Uma ordem no país só permite atrações do exterior quando são adquiridas e aprovadas pelo governo.

Em 2016 algumas redes começaram a inciar testes no Sinal Digital.

Os canais são divididos nos seguintes abaixo:

Canais Internacionais[editar | editar código-fonte]

Em todo areá de Cuba é impedido que canais que não sejam cubanos transmitam seu sinal, exceto os canais TeleSUR da Venezuela e a TV Marti, sediado em Miami, nos Estados Unidos. Estes dois conseguiram expandir seu sinal no território após um acordo com o governo.

Sinal Pirata[editar | editar código-fonte]

Milhares de antenas clandestinas vindas dos Estados Unidos levam aos cubanos filmes, novelas, séries e programas de esportes produzidos no exterior. Os donos das antenas conectam suas televisões as dos vizinhos, que, por sua vez distribuem o acesso. O serviço clandestino custa U$ 10 mensais.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre televisão é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.