Teorema da bola cabeluda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Uma tentativa fracassada de pentear uma esfera, deixando um tufo em cada polo.

Dá sim

Uma rosca cabeluda (2-Toro), por outro lado, é facilmente penteável.

Consequências em meteorologia[editar | editar código-fonte]

Uma aplicação curiosa deste teorema em meteorologia consiste em considerar a distribuição de ventos como um campo de vetores sobre a superfície de um planeta com atmosfera. Mediante esta idealização, então a cada momento, ou não existe vento em parte alguma do planeta, o que é desconsiderado por questões físicas; ou existe pelo menos um ponto onde a velocidade é zero e há um ciclone em seu entorno. [1]

Referências

  1. Stewart, Ian. Concepts of Modern Mathematics (em inglês). 3 ed. [S.l.]: Courier Dover Publications, 1995. p. 158. ISBN 0486284247
 5 Acker, Felipe "Análise Vetorial Clássica", cap.17, pág. 285