Termosfera

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde março de 2018). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Estação espacial orbitando na termosfera

A termosfera é a camada da atmosfera terrestre localizada acima da mesopausa, uma camada que separa a termosfera da mesosfera. Seu limite superior é a exosfera, a última camada atmosférica. É a camada onde ocorrem as auroras e onde orbita a estação espacial, o ônibus espacial e vários satélites. Como todas as outras camadas atmosféricas, sua total extensão varia conforme a latitude e fatores translacionais. Estende de aproximadamente 90 km até mais de 500 km. Por ser uma camada localizada acima de onde atua a camada de ozônio (estratosfera) , sofre grandes efeitos dos raios x, radiação ultravioleta e raios gama, sendo responsável também por parte de sua absorção.

Temperatura[editar | editar código-fonte]

A temperatura na termosfera é mensurada através de uma expressão matemática, criada a partir de dados coletados de satélites que orbitam nessa região. Essa expressão leva em consideração diversos fatores, dentre eles a atividade solar. [1] Em suma, a temperatura se eleva rapidamente na camada inferior da termosfera (entre 200 e 300 km), depois permanece com o aumento estável com o acréscimo da altitude. A atividade solar influencia enormemente na temperatura da termosfera, fazendo haver uma temperatura da ordem de 200ºC mais quente durante o dia do que de noite, e em torno de 500º C mais quente quando o Sol é ainda mais ativo. A temperatura na camada superior da termosfera pode variar de 500ºC até 2.000ºC ou mais.

Transmissão de calor[editar | editar código-fonte]

Apesar de a termosfera ser extremamente quente, possui uma baixa densidade, fazendo com que não consiga converter essa energia para objetos se movendo nessa camada. O calor é intenso mas em baixa quantidade. Um termômetro de mercúrio na termosfera iria ler uma temperatura abaixo do ponto de congelamento, já que a perda de calor iria exceder qualquer energia que as partículas transmitiriam ao termômetro. Esse conceito é similar ao do calor gerado por uma vela, que é extremamente quente em alguns pontos dentro da chama, mas é incapaz de aquecer objetos mais do que alguns centímetros de distância. Produz uma temperatura alta mas com baixa quantidade de calor. A baixa quantidade de calor médio da termosfera impede de serem afetados pelas altas temperaturas os satélites, astronautas e naves espaciais que lá orbitam. [2]

Ionosfera[editar | editar código-fonte]

A camada inferior da termosfera é denominada Ionosfera. Se estende de 80 a 550 km. Nitrogênio, oxigênio e outras partículas na Ionosfera absorvem a radiação do Sol e se tornam eletricamente carregadas (íons). Os átomos isolados de oxigênio e nitrogênio reagem devida radiação ultravioleta, raios-x e radiação gama e dissociam-se nos íons, formando essas camadas ionizadas que variam conforme a hora do dia, época do ano, vento solar, entre outros. Esses íons são importantes para as rádio comunicações pois refletem as ondas de volta para a terra , impedindo com que se dissipem para o espaço e permitindo que sejam enviadas para além do horizonte.[3] . Na parte superior da termosfera existe a exosfera, região onde as moléculas movem-se em trajetórias balísticas e raramente colidem entre si. Alguns autores afirmam que, pela sua natureza o significado gás não tem mais sentido.

Referências

  1. «Thermosphäre». Wikipedia (em alemão). 21 de fevereiro de 2018 
  2. «What Causes the Thermosphere to Be So Hot?». Sciencing (em inglês). Consultado em 30 de março de 2018. 
  3. «The Thermosphere». members.tripod.com. Consultado em 30 de março de 2018.