The Elder Scrolls III: Tribunal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde agosto de 2010).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
The Elder Scrolls III: Tribunal
Produtora(s) Bethesda Game Studios
Editora(s) Bethesda Softworks
Designer(s) Todd Howard (lider do projeto)
Ken Rolston (lider de designer)
Compositor(es) Jeremy Soule
Motor Gamebryo
Plataforma(s) PC, Xbox
Data(s) de lançamento 6 de novembro de 2002
Gênero(s) RPG
Modos de jogo Single-player

The Elder Scrolls III: Tribunal é a primeira expansão para o terceiro jogo da saga de RPG The Elder Scrolls III: Morrowind. Foi anunciado em 2 de setembro de 2002 e estava programado para ser lançado apenas para PC. Ele finalmente foi lançado, com pouco entusiasmo dos fãs da série, em 06 de novembro de 2002.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Tribunal coloca o jogador na cidade cercada de Mournhold, um enclave na capital da província de Morrowind Almalexia. Essa nova cidade não está ligada à massa de terra de Morrowind, Vvardenfell, e o jogador deve teleportar-se para ela. A história continua a trama das divindades do Tribunal.

Novidades[editar | editar código-fonte]

Interface Melhorada (especificamente, uma revisão das aventuras diárias de Morrowind) estão entre as principais novidades do lançamento do Tribunal. A nova ordem permite que o jogador realize individualmente tarefas diárias, reduzindo assim a confusão causada por ter que pesquisar cada missão no jornal em um fluxo único ordenado cronologicamente. Os analistas que testaram as mudanças do jogo o receberam bem, apesar de algumas críticas à execução incompleta do sistema, e outros disseram que o sistema continua a ser "um pouco difícil de utilizar".

A expansão também inclui uma nova cidade, Mournhold, que só é acessível por teletransporte. Além disso, o jogo apresenta novas armas, armaduras, itens, NPCs, animais de estimação, inimigos e a possibilidade de contratar mercenários para ajudar em batalha.

A principal motivação para produzir uma expansão do jogo original foi o lançamento bem sucedido de Morrowind e um sentimento geral de que os jogos da série The Elder Scrolls são experiências contínuas, que merecem novas coisas para manter seus jogadores cativados. O desenvolvimento começou imediatamente após o ingresso de Morrowind no mercado, dando aos desenvolvedores apenas cinco meses para desenvolver a expansão do jogo, uma série de evolução muito rápida como jamais vista na indústria. A existência prévia do TES Construction Set, no entanto, contribuiu para a rapidez do desenvolvimento pois a equipe "já tinha as ferramentas para adicionar conteúdos e funcionalidades muito rapidamente."

Recepção[editar | editar código-fonte]

A análise de Tribunal foi positiva, embora em menor grau do que no caso de Morrowind. Sites como Metacritic e Game Rankings deram avaliações favoráveis para a expansão: Metacritic, uma pontuação de 80/100, Game Rankings, uma pontuação de 82/100.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]