Thomas Eisner

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Thomas Eisner
Nascimento 25 de junho de 1929
Berlim, Alemanha
Morte 25 de março de 2011 (81 anos)
Ithaca
Alma mater Harvard University

Thomas Eisner (25 de junho de 1929 – 25 de Março de 2011) foi um entomologista e ecologista estadunidense de origem alemã, conhecido como o "pai da ecologia química."[1] Ele foi um Jacob Gould Schurman Professor de ecologia química na Universidade Cornell e diretor do Instituto Cornell para Pesquisa em Ecologia Química (em inglês: Cornell Institute for Research in Chemical Ecology - CIRCE). Eisner foi considerado uma autoridade mundial sobre comportamento animal, ecologia, e evolução, tornando-se, junto com seu colega Jerrold Meinwald, um dos pioneiros da ecologia química, disciplina que lida com as interações químicas de organismos. Foi também coautor de cerca de 400 artigos científicos e sete livros.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Thomas Eisner nasceu em 25 de junho de 1929 em Berlim, Alemanha. Seu pai, Hans Eisner, foi um químico de origem judaica e colega de Fritz Haber no Instituto Kaiser Wilhelm de Eletroquímica em Berlim. Sua mãe, Margarete Heil-Eisner, era artista. Escapando do regime nazista, a família mudou-se para Barcelona e, após a Guerra Civil Espanhola, para o Uruguai. Em 1947, foram para os Estados Unidos.[2]

Thomas Eisner naturalizou-se como cidadão estadunidense e se candidatou para graduação na Universidade Cornell, sendo porém rejeitado. Recebeu seu B.S. e o PhD da Universidade Harvard e entrou para a faculdade de entomologia de Cornell em 1957. Casou-se com Maria Eisner, que era membro de seu laboratório. Em 1964, ajudou a fundar o Departamento de Neurobiologia e Comportamento, onde trabalhou até sua morte.

Além de seu trabalho acadêmico, ele foi um apaixonado fotógrafo de natureza e cinegrafista.[3] Seu filme Secret Weapons, ganhou o Grande Prêmio no Festival de Nova Iorque e foi eleito o Melhor Filme de Ciência pela Associação Britânica para o Avanço da Ciência. Ele também foi um ávido pianista e regente ocasional. Eisner morreu no dia 25 de março de 2011, de doença de Parkinson.[3]

Ele era ateu.[4]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Tom Eisner, 'father of chemical ecology' and renowned Cornell biologist, dies at 81 Cornell Chronicle». Cornell Chronicle. 27 de maio de 2011. Consultado em 25 de dezembro de 2016 
  2. Chang, Kenneth (30 de março de 2011). «Thomas Eisner, Father of Chemical Ecology, Dies at 81». The New York Times. ISSN 0362-4331 
  3. a b Gorman, James (10 de outubro de 2006). «Eye-Catching Images of Nature, Made With a Common Machine». The New York Times. ISSN 0362-4331 
  4. Natalie Angier (April 4, 2011). "Paths of Discovery, Lighted by a Bug Man's Insights". The New York Times.