Tomás I de Saboia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Tomás I, Conde de Saboia)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Tomás I de Saboia
Conde de Saboia
Reinado 1148 - 1189
Predecessor Humberto III
Sucessor Amadeu IV
Cônjuge Margarida de Genebra
Casa Real Casa de Saboia
Pai Humberto III de Saboia
Mãe Beatriz de Viennois
Nascimento 23 de maio de 1176 (839 anos)
Castelo de Carbonara
Morte 1 de março de 1233 (56 anos)
Moncalieri, Aoste
Brasão

Tomás I de Saboia (Castelo de Carbonara, 23 de maio de 1176 - Moncalieri, Aoste, Itália, 1 de março de 1233) foi Conde de Saboia desde 1189 até 1233.

Biografia[editar | editar código-fonte]

O seu nascimento foi considerado um milagre, dado que seu pai, monge, estava desesperado por um herdeiro varão. Já tinha sido casado com três esposas e de nenhuma delas tinha tido um filho homem. O conde Humberto III de Saboia procurou conselhos junto de Santo Anselmo que o benzeu por três vezes e predisse uma profecia que foi verdade.

Quando Tomás nasceu, pouco depois morreu seu pai, no dia 26 de Junho de 1178.

Terá tido o seu nome em honra de Santo Tomás de Becket, que tinha morrido pouco antes, e que São Anselmo devia ser grande admirador e conhecedor da sua história enquanto arcebispo de Cantuária tal como ele.

Tomás de Saboia era de menor idade quando o seu pai faleceu em 4 de Março de 1189. Por esse facto foi estabelecido um concelho de regência, concelho esse composto por sua mãe, o primo do pai, Bonifácio I de Montferrato, e o Bispo de Saint-Jean-de-Maurienne. Tomás chegou à idade adulta em Agosto de 1191. Tomás possuía as capacidades, a energia e o brilho que seu pai não possuía, e por esse facto o Condado de Saboia gozou uma idade de ouro sobe à sua direcção, mandou construir o Castello di Moncalieri para sua residência, tendo a partir dele controlado os seus domínios. Apesar da sua juventude começou por angariar a Noroeste novos territórios. No mesmo ano concedeu ao Vale de Aosta a “Carta delle Franchigie" em que lhe reconhece o direito de autonomia administrativa e política. Este direito manteve-se até à Revolução Francesa. Mais tarde Tomás conquistou o Cantão de Vaud, Bugey e Carignano. Deu apoio aos Hohenstaufen e foi apelidado e conhecido como “Tomás o Gibelino, devido à sua carreira como vigário imperial da Lombardia.

Relações familiares[editar | editar código-fonte]

Filho de Humberto III de Saboia e de Beatriz de Viennois é irmão de Humberto II de Saboia, Conde de Maurienne.Em 1195 Tomás efectuou uma emboscada à caravana do Conde Guilherme I de Genebra, que escoltava a sua filha, Margarida, a França para se casar com o rei Filipe II de França.

Descendentes[editar | editar código-fonte]

Tomás casou-se com Margarida de Genebra em Maio de 1195, e do casamento tiveram os seguintes filhos [1]  :

  1. Amadeu IV de Saboia (1197 - 1253), o seu sucessor imediato. Foi casado por duas vezes, a primeira com Ana ou Margarida da Borgonha, antes de 1221 (1200 - 1254) e a segunda com Cecília des Baux entre 1228/30 (1200 - 1275).
  2. Humberto de Saboia, (1198 - faleceu na Hungria entre Março e Novembro de 1223).
  3. Aymon de Saboia, nasceu cerca de 1200 e morreu em 30 de Agosto de 1237, Senhor de Chablais de Chillon e Villeneuve.
  4. Guilherme de Saboia (?1201 - morto por envenenamento em 1239), Bispo Hautecombe, de Liège, Valência e Decano de Viena.
  5. Tomás II de Saboia, (1202 - 7 de Fevereiro de 1259). Senhor e conde de Piemonte, de Saboia e de Mauriana. Foi fundador de uma linhagem que se converteu na Casa de Saboya-Achaea. Casou por duas vezes, a primeira com Joana de Hainaut e Flandres (1188 - 1244) e a segunda com Beatriz de Fieschi. Em 1253 toma o nome de Tomás II de Saboia, como regente do sobrinho Bonifácio.
  6. Pedro II de Saboia, (1203 -?) conde de Richmond, que residiu durante algum tempo em Inglaterra. Foi Conde de Richmond e em 1263 foi feito Conde de Saboia a morte de Bonifácio. Casou com Inês de Faucigny.
  7. Beatriz de Saboia, (Chambéry, Saboia, 1205 - Dezembro 1266 ou Janeiro de 1267, casou-se em Dezembro de 1219 com Raimundo Berengário IV da Provença (1198 - 19 de Agosto de 1245). O casamento de Eleonora - filha de Amadeu IV e da 2da mulher Cicília de Baux - com Henrique III da Inglaterra em 1236 assinala o estabelecimento de ligações estreitas entre a corte Inglesa e a Casa de Saboia. Foi mãe de quatro rainhas consortes.
  8. Bonifácio de Saboia, nasceu no Castelo de Sainte-Hélène du Lac em 1206 e morreu no Castelo de Sainte-Hélène-des-Millières a 14 de Julho de 1270. Foi Arcebispo de Canterbury, Primaz de Inglaterra e sucedeu ao seu irmão Amadeu IV de Saboia.
  9. Filipe I de Saboia, nasceu em 1207 e morreu no Castelo de Rossilhão a 16 Ago 1285. arcebispo de Hautecombe Lyon. Com o seu casamento foi Conde Palatino de Borgonha e em 1268 foi Conde de Saboia ao suceder ao seu irmão Pedro II.
  10. Há referências à morte de uma filha cerca de 1254
  11. Alice de Saboia, (??-1277 Abadessa de Hautecombe não está mencionada no testamento de 11 Out 1264 do seu suposto irmão Bonifácio Arcebispo de Canterbury]
  12. Ágata de Saboia, (??- depois 1279) tal como sua irmã foi abadessa do Mosteiro de San Pierre de Leão.
  13. Margarida de Saboia, (1212 - 1270 ou 73]) e casou em 1218 com Hartmann de Kyrburg, conde de Kyrburg.

Tomás I ainda teve quatro filhos ilegítimos.


Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Precedido por
Humberto III
Tomás I, Conde de Saboia
Coat of arms of the House of Savoy (early).svg
Conde de Saboia
1148 - 1189
Sucedido por
Amadeu IV