Universidade Nacional Timor Lorosa'e

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Universidade Nacional Timor Lorosa'e
UNTL
Lema Sapientia et veritas
"Sabedoria e verdade"
Fundação 15 de maio de 1965 (51 anos) (EHPECR)
17 de novembro de 2000 (16 anos) (Universidade)
Tipo de instituição Pública
Mantenedora Coat of arms of East Timor.svg Ministério da Educação
Localização Dili, Timor-Leste
Funcionários 348 (2014)[1]
Docentes 630 (2014)[1]
Reitor(a) Francisco Miguel Martins[2]
Total de estudantes 10.024 (2014)[1]
Campus Central
Balide
Caicoli
Escola Engº Canto Resende
Liceu Dr. Francisco Machado
Hera
Afiliações Associação das Universidades de Língua Portuguesa
Página oficial www.untl.edu.tl

A Universidade Nacional Timor Lorosa'e (único nome oficial, em português; em tétum seria Universidade Nasionál Timór Lorosa'e), UNTL, é uma universidade pública de Timor-Leste, única do tipo no país.

Fundada em 2000, em sequência da independência da nação, sua história pode ser remontada, através da Faculdade de Educação, ao período colonial português, quando surgiram as primeiras escolas superiores públicas preparatórias de professores.

Com seis campus, nove faculdades e sete centros de pesquisa, é a maior universidade timorense no que se refere ao número de alunos, docentes e orçamento. Formadora da elite intelectual do país, é também referência nacional no ensino, pesquisa e extensão, os tripés do ensino superior.

É um universidade multilíngue, sendo o maior centro de pesquisas do tétum, a outra língua oficial de Timor, porém, tendo suas aulas ministradas em língua portuguesa por padrão. Tem sua sede na cidade de Díli, a capital nacional.

História[editar | editar código-fonte]

Universidade Nacional Timor Lorosa'e

O percurso ensino superior no país iniciou-se ainda no tempo do Timor Português, quando em 15 de maio de 1965, por meio da portaria nº 3616[nt 1][3], do Governador Alberty Correia, foi criada a Escola de Habilitação de Professores Engº Canto Resende (EHPECR; também chamada Escola de Posto Escolar de Dili)[4], que deveria se preocupar com a formação de docentes do ensino primário, com especialização para língua portuguesa e cálculos básicos[5]. Em 24 de maio de 1975 a Escola Engº Canto Resende foi extinta, dando lugar ao Curso Geral de Magistério e Formação de Professores do Ensino Preparatório[nt 2]; quando da invasão indonésia, em 7 de dezembro de 1975, foi fechado o Curso Geral e interrompida a formação de professores no território timorense.[6]

Com a extinção da única escola superior de Timor, a ilha ficou sem formação de quadros docentes mínimos, inclusive para ensino do indonésio (único idioma oficial e permitido após a ocupação), fato que levou o governo da Indonésia a recriar, em 1979, o Curso Geral na sua antiga estrutura, sob o nome Curso Educacional para Professores[4]; a instituição foi integralmente repassada à UnTim quando esta foi criada, constituindo a Faculdade de Educação.[4]

Em 1 de outubro de 1986, em plena época de ocupação indonésia, por iniciativa do então governador Mário Carrascalão, foi fundada a Universitas Timor Timur (UnTim). Esta instituição privada estava vocacionada para a formação de gestores intermédios, técnicos agrícolas e professores do ensino secundário para "Timor Timur". Não tinha cursos como arquitectura, direito ou medicina, nem desenvolvia investigação, e os contactos internacionais eram rigorosamente controlados[7]. Em 1998/99 a UnTim chegou a ter 4 mil estudantes e 73 professores. No entanto, as autoridades indonésias acabariam por mandar encerrar a universidade em Abril de 1999, na sequência das manifestações em prol da realização do referendo pela independência.[7]

Em Setembro de 1999, os militares indonésios e as milícias que apoiavam a integração iniciaram um processo de destruição sistemática das infra-estruturas vitais do país, do qual resultou a destruição de 95% dos estabelecimentos de ensino básico, secundário e superior. As instalações da universidade, bem como todo o seu recheio, foram completamente destruídos.[7]

Assembleia da Associação de Solidariedade dos Universitários e da Juventude Estudantil de Timor-Leste (DSMTT), definindo as pautas de protesto durante a greve estudantil contra a violência e pela Independência de Timor, no campus da UnTim, em novembro de 1998.

Apesar de não contar com orçamento inicial da UNTAET, graças ao esforço de professores e alunos de origem timorense,[8] a Universidade Nacional Timor Lorosa'e (UNTL) pôde começar a leccionar para 5 mil alunos logo em 17 de Novembro de 2000, sob a liderança do reitor Armindo Maia. Haviam poucos professores timorenses quando da criação da universidade, visto que a maior parte dos docentes de ensino superior da jovem nação eram de origem indonésia, e deixaram o país após a independência de Timor.[7]

Com o apoio internacional, a nova UNTL fixou-se nas instalações restauradas do antigo Liceu Dr. Francisco Machado, da antiga Escola Técnica Dr. Silva Cunha, na antiga Escola Engº Canto Resende e, mais tarde, também no espaço do antigo Politécnico de Hera e no edifício que antes tinha albergado a UnTim.[7] Isto apesar da maioria das salas de aula estarem, nos primeiros anos, praticamente despojadas do material essencial ao ensino, incluindo mobília. Para além disso, muitas das pessoas tecnicamente mais habilitadas para o ensino superior acabaram por ser atraídas para lugares no governo ou na administração pública do jovem país.[9]

Entre 2000 e 2002 a UNTL passou por uma grande reforma administrativa que coincidiu com a criação de cinco faculdades, constituídas por 13 Departamentos:[7]

  • Agricultura, com os cursos de Agropecuária, Agronomia e Agronegócio;
  • Ciências Políticas e Sociais, com os cursos de Ciências Governamentais e Administração Pública;
  • Ciências de Educação, com os cursos de Biologia, Matemática, Língua Inglesa e Língua Indonésia;
  • Economia, com os cursos de Contabilidade e Gestão;
  • Engenharia, com os cursos de Engenharia Civil, Mecânica, e Eletrotécnica.

Em 2001 foram criados o Centro Nacional de Investigação Científica (CNIC) e o Instituto Nacional de Linguística (INL)[7]; a partir de 2004, com apoio da Fundação das Universidades Portuguesas e de instituições brasileiras foram realizadas outras reformas, coincidindo na criação de mais faculdades, sendo que em 2016 a instituição já abrigava nove destas; neste período quem liderou a instituição foram os reitores Benjamim Côrte-Real e Aurélio Guterres (primeiro reitor eleito pela comunidade)[7].

A partir de 2007 foram oferecidos os primeiros cursos de Pós-Graduação lato sensu em Timor-Leste na Faculdade de Ciências da Educação, por iniciativa da UNTL e da Cooperação Brasileira, no âmbito do "Programa de Capacitação de Docentes e Ensino da Língua Portuguesa"[7]. Em 2009, foi criado um programa de Pós-Graduação - Mestrado na Área de Avaliação, na Faculdade de Ciências da Educação, e um outro no domínio de Ciências e Tecnologia na Faculdade de Engenharia, ambos stricto sensu[7].

Em 2016 a comunidade universitária pode escolher pela segunda vez o seu reitor, elegendo o professor Francisco Martins[7].

Estrutura[editar | editar código-fonte]

Em 2016 existiam 37 cursos superiores, organizados em nove faculdades:[1]

Faculdade de Agricultura[editar | editar código-fonte]

Sediada no Campus Central, oferta os seguintes cursos:[10]

  • Licenciatura em Agro Sócio-Economia
  • Licenciatura em Agro-Pecuária
  • Licenciatura em Agronomia
  • Bacharelato em Saúde Animal

Faculdade de Ciências Exatas[editar | editar código-fonte]

Sediada no Campus Balide, oferta o seguinte curso:[11]

  • Licenciatura em Ciências Exatas - Habilitação em Matemática, Física ou Química

Faculdade de Ciências Sociais[editar | editar código-fonte]

Sediada no Campus Caicoli, oferta os seguintes cursos:[12]

  • Licenciatura em Administração Pública
  • Licenciatura em Ciências Políticas
  • Licenciatura em Comunicação Social
  • Licenciatura em Desenvolvimento Comunitário
  • Licenciatura em Políticas Públicas
  • Licenciatura em Relações Internacionais

Faculdade de Direito[editar | editar código-fonte]

Sediada no Campus Central, oferta o seguinte curso:[13]

  • Licenciatura em Direito Geral

Faculdade de Economia e Gestão[editar | editar código-fonte]

Sediada no Campus Escola Engº Canto Resende, oferta os seguintes cursos:[14]

  • Licenciatura em Ciências Económicas e Estudo do Desenvolvimento
  • Licenciatura em Contabilidade
  • Licenciatura em Gestão
  • Licenciatura em Turismo

Faculdade de Educação, Artes e Humanidades[editar | editar código-fonte]

Considerada herdeira da Escola de Habilitação de Professores Engº Canto Resende (portanto a instituição orgânica mais antiga desta universidade), é sediada no Campus Liceu Dr. Francisco Machado; oferta os seguintes cursos:[15]

  • Licenciatura em Educação - Ensino da Língua Inglesa
  • Licenciatura em Educação - Ensino da Língua Portuguesa
  • Licenciatura em Educação - Ensino da Língua Tétum
  • Licenciatura em Educação - Ensino de Biologia
  • Licenciatura em Educação - Ensino de Educação Física e Desporto
  • Licenciatura em Educação - Ensino de Física
  • Licenciatura em Educação - Ensino de Matemática
  • Licenciatura em Educação - Ensino de Química
  • Licenciatura em Educação - Formação de Professores do Ensino Básico

Há também três órgãos ligados a esta faculdade, sendo eles:

Faculdade de Engenharia, Ciências e Tecnologia[editar | editar código-fonte]

Rod Moore, Capitão da Marinha dos Estados Unidos, ministrando aula de inglês a estudantes de engenharia da UNTL.

Sediada no Campus de Hera, oferta os seguintes cursos:[18]

  • Licenciatura em Engenharia Civil
  • Licenciatura em Engenharia Eletrotécnica e Eletrónica
  • Licenciatura em Engenharia Informática
  • Licenciatura em Engenharia Mecânica
  • Licenciatura em Geologia e Petróleo

Faculdade de Filosofia[editar | editar código-fonte]

Substituta da Escola Superior de Filosofia, está sediada no Campus Central; oferta os seguintes cursos:[19]

  • Licenciatura em Filosofia

Faculdade de Medicina e Ciências da Saúde[editar | editar código-fonte]

Sediada no Campus Caicoli, oferta os seguintes cursos:[20]

  • Bacharelato em Ciências Biomédicas e Laboratoriais
  • Licenciatura em Enfermagem
  • Bacharelato em Farmácia
  • Licenciatura em Medicina Geral
  • Bacharelato em Nutrição e Dietética
  • Licenciatura em Parteira

Centros de investigação[editar | editar código-fonte]

Junto a estrutura da universidade há ainda quatro centros de investigação:[1]

Convênios[editar | editar código-fonte]

A UNTL preserva uma forte cooperação com as universidades brasileiras, principalmente com a Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), instituição que absorve a maior parte dos bolsistas de ensino e pesquisa vindos de Timor. A UNILAB também coopera em questões de experiência administrativa e técnica[1]

Reitores[editar | editar código-fonte]

Nome Mandato Filiação Forma de eleição
Armindo Maia[21] 17 de Novembro de 2000 a 19 de setembro de 2001 Faculdade de Ciências Sociais Indicação presidencial
Benjamim de Araújo e Côrte-Real[22] 19 de setembro de 2001 a 1 de dezembro de 2010 Instituto Nacional de Linguística Indicação presidencial
Aurélio Sérgio Cristóvão Guterres[23] 1º de dezembro de 2010 a 13 de janeiro de 2016 Centro Nacional de Investigação Científica Eleição via Conselho Geral da UNTL
Francisco Miguel Martins[24] 13 de janeiro de 2016 a atualidade Faculdade de Educação, Artes e Humanidades Eleição via Conselho Geral da UNTL[2]

Pessoas notáveis[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Que obedecia o Decreto-Lei n. 45.908, de 10 de setembro de 1964, de regulamentação do ensino escolar nas colônias.
  2. Pelo Despacho n.º 44, de 24 de Maio de 1975, o Governador aprovou na generalidade as propostas elaboradas pelo Grupo Coordenador Para a Reformulação do Ensino em Timor (GCRET), após ouvidas a Comissão de Descolonização de Timor e as Associações Políticas de Timor. Neste Despacho foram estabelecidas as prioridades a concretizar no ensino de transição, separando-o oficialmente em: ensino primário, ciclo preparatório e o ensino politécnico. A Escola de Habilitação de Professores Engº Canto Resende é extinta, passando a denominar-se Curso Geral de Magistério e Formação de Professores do Ensino Preparatório, assumindo de fato a forma de uma escola superior.

Referências

  1. a b c d e f FERREIRA Junior, Fernando (2014). «1ª Reunião Técnica Internacional da Rede de Instituições Públicas de Educação Superior (RIPES)» (PDF). Fortaleza: Portal RIPES/UNILAB 
  2. a b «Francisco Martins eleito Reitor da Universidade Nacional Timor Lorosa'e». Sapo Notícias. 2015 
  3. Jerónimo, Agapito da Costa. (2011). «Formação contínua de professores do ensino não superior em Timor-Leste.» (PDF). Aveiro: Universidade de Aveiro. p. 36 
  4. a b c Meneses, Duarte Nuno de Castro. (2008). «Timor: De Colónia a País nos Fins do Século XX. Um Sistema Educativo em Re-Estruturação (Um Estudo Documental).». Dissertação de Mestrado em Administração e Planificação da Educação. Porto: Universidade Portucalense Infante D. Henrique 
  5. Soares, Lúcia Maria Moreira Caniço Vidal Pereira. (2014). «Línguas em Timor-Leste: que gestão escolar do plurilinguismo?» (PDF). Aveiro: Universidade de Aveiro. p. 122-123 
  6. Freitas, Idalina Maria da Costa. (2014). «Políticas e Práticas de organização Curricular na Formação Contínua de Professores: um estudo no Instituto Nacional de Formação de Docentes e Profissionais da Educação (Infordepe) em Timor Leste.» (PDF). Dissertação de Mestrado em Ciências de Educação - Área de Especialização: Desenvolvimento Curricular e Inovação Educativa. Minho: Universidade do Minho. p. 42 
  7. a b c d e f g h i j k «História». Portal da Universidade Nacional Timor Lorosa'e. Consultado em 5 de janeiro de 2017 
  8. «Visão Geral». Portal da Universidade Nacional Timor Lorosa'e. Consultado em 5 de janeiro de 2017 
  9. «Eleição do Reitor da UNTL». Portal do Governo de Timor-Leste. Consultado em 5 de janeiro de 2017 
  10. «Oferta Acadêmica da Faculdade de Agricultura». Portal da Universidade Nacional Timor Lorosa'e. Consultado em 5 de janeiro de 2017 
  11. «Oferta Acadêmica da Faculdade de Ciências Exatas». Portal da Universidade Nacional Timor Lorosa'e. Consultado em 5 de janeiro de 2017 
  12. «Oferta Acadêmica da Faculdade de Ciências Sociais». Portal da Universidade Nacional Timor Lorosa'e. Consultado em 5 de janeiro de 2017 
  13. «Oferta Acadêmica da Faculdade de Direito». Portal da Universidade Nacional Timor Lorosa'e. Consultado em 5 de janeiro de 2017 
  14. «Oferta Acadêmica da Faculdade de Economia e Gestão». Portal da Universidade Nacional Timor Lorosa'e. Consultado em 5 de janeiro de 2017 
  15. «Oferta Acadêmica da Faculdade de Educação, Artes e Humanidades». Portal da Universidade Nacional Timor Lorosa'e. Consultado em 5 de janeiro de 2017 
  16. Gramática da Língua Tétum. LisboaLidel, 2005. ISBN 978-972-757-287-8
  17. SOARES, M. G. (2014). «Timor vai ter Instituto da Língua Portuguesa». Expresso.pt 
  18. «Oferta Acadêmica da Faculdade de Engenharia, Ciências e Tecnologia». Portal da Universidade Nacional Timor Lorosa'e. Consultado em 5 de janeiro de 2017 
  19. «Oferta Acadêmica da Faculdade de Filosofia». Portal da Universidade Nacional Timor Lorosa'e. Consultado em 5 de janeiro de 2017 
  20. «Oferta Acadêmica da Faculdade de Medicina e Ciências da Saúde». Portal da Universidade Nacional Timor Lorosa'e. Consultado em 5 de janeiro de 2017 
  21. «I UNTAET Transitional Government: Sworn into office on September 20th 2001». Government of Timor-Leste. 30 de abril de 2002 
  22. «AULP comemora 30 anos em Timor-Leste, com o XXVI Encontro da AULP». Associação das Universidades de Língua Portuguesa. 25 de junho de 2016 
  23. Gusmão, Kay Rala Xanana. (15 de Dezembro de 2010). «Nomeação do Reitor da Universidade Nacional Timor Lorosa'e.» (PDF). Série I, N.° 47. Jornal da República de Timor-Leste. 
  24. «Governo timorense nomeia novo reitor da Universidade Nacional Timor Lorosa'e (UNTL)». Sapo Notícias. 2016 
  25. Malato, Maria Luísa (4 de setembro de 2013). «Espaço Associados: Postais de Dili». Livraria Unicepe 
  26. «Timor». Breviário de um repúblico. Consultado em 4 de fevereiro de 2017 
  27. «Orelhas de Seno Gumira Ajidarma» (PDF). (n.t.) Revista Literária em Tradução. Consultado em 4 de fevereiro de 2017 
  28. «Lúcia Lobato». Memim Encyclopedia. Consultado em 4 de fevereiro de 2017 
  29. «2ª Conferência Internacional PCCL» (PDF). Faculdade de Educação, Artes e Humanidades da UNTL. 2016. p. 5 
  30. «Biografia do Comandante Nino Konis Santana.». Blog Ita Nian. 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]