Veluma

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Veluma
Nome completo Vera Lúcia Maria[1]
Data de nascimento 13 de junho de 1953 (64 anos)
Local de nascimento São Paulo, SP
Nacionalidade brasileira
Etnia Afro-brasileira[2]
Cor do cabelo negros
Cor dos olhos castanhos

Veluma, nome artístico de Vera Lúcia Maria (São Paulo, 13 de junho de 1953),[2] é uma atriz e ex-modelo brasileira.[3] Começou na carreira de modelo em 1970, aos dezessete anos, e foi uma das primeiras negras nas passarelas brasileiras.[4][2] Paralelamente, foi atriz de teatro, cinema e televisão, atuando em várias produções de destaque no país.[4]

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Veluma nasceu em 1953 no interior de São Paulo. Sua mãe era cozinheira de uma família da alta sociedade paulistana e por isso a futura modelo teria acesso à boa educação e a um cotidiano em ambientes socialmente refinados.[1] Alta e magra, escutava constantemente que tinha porte de manequim.[1] Ela iniciou seus trabalhos de modelo na cidade de São Paulo, mas uma gravidez viria a interromper temporariamente sua carreira.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Veluma engravida aos dezessete anos e, em virtude do puritanismo de sua família, resolve sair de casa e ir para o Rio de Janeiro.[1] Casualmente, encontra a então também modelo Elke Maravilha e esta a introduz no mundo da moda, tornando-a modelo de Zuzu Angel.[1] Em 1976 sua carreira deslancha e torna-se uma modelo de renome no país.[1]

Veluma foi a primeira modelo brasileira a assumir a beleza do cabelo black power e adereços da cultura afro-brasileira, ainda na década de 1970.[1] Em entrevista, revelou a origem do apelido profissional «Veluma»:

«O ano é 1970, estou com dezessete anos, grávida e solteira. Preciso fugir da minha mãe, de São Paulo, dessa sociedade puritana e careta da época. Aí, chego ao Rio de Janeiro, um lugar maravilhoso, onde posso passar o dia todo de biquíni. E Vera não combina mais comigo, por isso invento o Veluma. O nome soa mais forte, tem mais a ver com minha negritude.»[1]

No teatro atuou em O Homem e o Cavalo (1991) e no cinema contracenou em O Testamento do Senhor Nepomuceno (1997).[2] Na televisão participou de Sem Lenço, sem Documento (1977), Ti Ti Ti (1985), Helena (1987) Gente Fina (1990) Caras & Bocas (2009).[2] Participou ainda da produção Gabriela, Cravo e Canela, da TV Tupi, com a direção de Maurício Sherman.

Referências

  1. a b c d e f g h i BIANCO, Giovanni. O Brasil na moda: backstage. [S.l.]: Editora Caras. 1.278 páginas 
  2. a b c d e LOPES, Nei (2004). Diáspora africana. [S.l.]: Selo Negro. 715 páginas. ISBN : 9788587478214 Verifique |isbn= (ajuda) 
  3. Adm. do sítio web (2008). «Filme: Aguenta Coração». Cinemateca Brasileira. Consultado em 10 de julho de 2015 
  4. a b SCHUMACHER, Schuma; e VITAL BRAZIL, Erico (2006). Mulheres negras do Brasil. [S.l.]: Senac. 496 páginas. ISBN : 9788574582252 Verifique |isbn= (ajuda) 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.