Via Domícia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Trajeto da Via Domícia

A Via Domícia (em latim: Via Domitia) foi a primeira estrada romana construída na Gália para ligar a península Itálica à Hispânia através da Gália Narbonense, atravessando a região que é hoje o sul da França (Provença).

História[editar | editar código-fonte]

A rota que os romanos aproveitaram e pavimentaram era um antigo caminho que eles descobriram quando partiram para planejá-la, tão antigo que suas origens remontam à mítica rota utilizada por Hércules[1]. Aníbal utilizou-a em sua marcha para a Itália durante a Segunda Guerra Púnica.

O território atravessado pela estrada foi doada por Massília em troca da proteção romana. A via foi construída em 118 a.C. pelo procônsul Cneu Domício Enobarbo, cujo nome ela recebeu. A estrada é contemporânea à criação da primeira colônia romana na Gália, em Narbo Márcio (moderna Narbona).

A Via Domícia atravessava os Alpes pela passagem mais fácil, o Passo de Montgenèvre (1850 m). Ela seguia o vale do rio Durance, cruzava o Ródano em Beaucaire passando por Nemauso e depois seguia a planície costeira ao longo do golfo de Leão. Em Narbona, a Via Domícia encontrava a Via Aquitânia (que levava até o oceano Atlântico atravessando Tolosa e Bordéus. Por causa disto, Narbona era um cruzamento estratégico crucial da Via Domícia e da Via Aquitânia e era um acessível, mas bem defensável, porto da época.

Este ponto fronteiriço da expansão ocidental e das resultantes vantagens em comunicação, logística e defesa era um ativo muito importante e Narbona era tratada como tal pelos romanos. Entre as cidades que ela ligava, a Via Domícia recebeu uma sequência de mansões, espaçadas à distância de um dia de viagem para uma carroça carregada, nas quais abrigo, provisões e cavalos descansados podiam ser obtidos para viajantes em missões oficiais.

A rota percorrida na Antiguidade Tardia está representada de forma esquemática na Tabula Peutingeriana.

Pontes romanas[editar | editar código-fonte]

Há ruínas de diversas pontes romanas ao longo da estrada, incluindo a ponte romana em Saint-Thibéry, a ponte de Ambrósio em Ambrusso, a ponte de Juliano e a ponte de Selino.

Referências

  1. F. Benoît, "La légende d'Héraclès et la colonisation grecque dans le delta du Rhône", L'Humanité 8 (1949:104-48), anotado por Fred S. Kleiner, "Gallia Graeca, Gallia Romana and the Introduction of Classical Sculpture in Gaul" American Journal of Archaeology 77.4 (October 1973:379-390) p. 381, nota 20.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Raymond Chevalier, Les Voies Romaines, Picard, Paris, 1997. ISBN 2-7084-0526-8 (em francês)
  • Pierre A. Clement and Alain Peyre, La Voie Domitienne: De la Via Domitia aux routes de l'an 2000, Presses du Languedoc/Max Chaleil Editeur, 1992. ISBN 2-85998-097-0 (em francês)
  • Pierre A. Clement, La Via Domitia: Des Pyrénées aux Alpes, Editions Ouest-France, Rennes, 2005. ISBN 2-7373-3508-6 (em francês)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Via Domícia