Vilão afeminado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
O personagem de Úrsula em A Pequena Sereia inspirou-se na drag queen Divine.[1]

Vilão afeminado (em inglês, sissy villain) é um personagem malvado na ficção que se representa com características, comportamentos ou gestos que poderiam ser percebidos como LGBTI.[2][3]

Esta forma de representação da diversidade sexual impôs-se nos EUA através do Código Hays, que censuraba a representação da homossexualidade de maneira positiva. Desta maneira, nas ficções, os únicos personagens permitidos que podiam ser percebidos como homossexuais deviam ter papéis malvados e ser castigados ao longo da obra.[4]

Exemplos[editar | editar código-fonte]

Foram descritos exemplos deste tipo de personagens em numerosos filmes. No entanto, nos últimos anos chamaram especialmente a atenção os personagens de Disney devido a que estes filmes ainda mantêm uma alta popularidade entre a infância de todo mundo:[5][6][7]

  • Jafar em Aladdin, tem gestos amanerados, é asustadizo, é o único personagem masculino que não usa calça e usa maquiagem.
  • Hades em Hércules, com gestos amanerados e um corpo claramente mais débil que o de seu irmão Zeus.
  • Governador Ratcliffe em Pocahontas, é o único personagem masculino com maquiagem, peinado com tranças e laços, além de vestir de rosa.
  • Úrsula em A Pequena Sereia, inspirada na drag queen Divine.
  • Scar em O Rei Leão, com gestos amanerados e bem mais delgado que seu irmão.
  • Capitão Gancho em Peter Pan.
  • Ele em The Powerpuff Girls, vestido com um tutu e sapatos de salto alto.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «From Mouse to Mermaid: The Politics of Film, Gender, and Culture» (em inglês). Indiana University Press. 1995 
  2. «O vilão desviante: Uma leitura sociocultural pela perspectiva de gênero de Scar em O Rei Leão». Revista de Educação e Letras. 2014 
  3. «La problemática del villano afeminado». Gaymer (em espanhol). 13 de outubro de 2018 
  4. «From Sissies to Secrecy: The Evolution of the Hays Code Queer». Filmic Magazine (em inglês). 1 de agosto de 2015 
  5. «Wait a second, are all Disney villains gay?». The Tempest (em inglês). 4 de junho de 2020 
  6. «10 Queer-Coded, Gay Villains from Our Childhood». Pride (em inglês). 5 de fevereiro de 2020 
  7. «Los villanos de Disney salen del armario». El País (em espanhol). 28 de maio de 2021 
Ícone de esboço Este artigo sobre LGBT é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.