Drag queen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde dezembro de 2009)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Silvetty Montilla, Salete Campari e outras drag queens brasileiras em 2009.
As drag queens Foxxy, Jason Ott e Phil Joseph.

Drag queens ou Drag kings são personagens criados por artistas performáticos que se travestem, fantasiando-se cômica ou exageradamente com o intuito geralmente profissional artístico. No mais das vezes, apresentam-se em boates e bares LGBT, embora haja drags que façam eventos para público misto e heterossexuais, como animação em festas de casamento, debutantes, formaturas etc. Muitas fazem também correio elegante ou correio animado, levando mensagens de amor ou felicitações com performances características. Chama-se drag queen a pessoa que se veste com roupas exageradas femininas estilizadas, e drag king a pessoa que se veste como homem. A transformação em drag queen (ou king) geralmente envolve, por parte do artista, a criação de um personagem caracteristicamente cômico e/ou exagerado, que por traz carrega um discurso critico-politico-transformador.

Tanto drag queens como drag kings podem ter qualquer gênero e orientação sexual, e sê-lo não é indicativo de se ser homossexual, bissexual ou heterossexual.

Cinema e Televisão[editar | editar código-fonte]

Os filmes Priscilla a Rainha do Deserto e Para Wong Foo, Obrigado por Tudo! popularizaram esse estilo. Nos Estados Unidos e Austrália, apresentadores de televisão como RuPaul são nacionalmente conhecidos.

Algumas drag queens ficam tão conhecidas que viram semicelebridades cuja presença é constante em programas de televisão e eventos sociais. Alguns exemplos são Brigitte Beaulieu, Dellakrox Andrógino e Betty Boo (PR), Paulette Pink, Dimmy Kieer (SP) e Selma Light (SC). Léo Áquilla e Salete Campari foram ambos candidatos a deputado estadual no Estado de São Paulo[1] , em 2006, pelo PSC e PDT, respectivamente. Dimmy Kier, com seu nome verdadeiro Dicesar, participou do Big Brother Brasil 10.[2]

Hino[editar | editar código-fonte]

A canção I will survive, da cantora estadunidense Gloria Gaynor é considerada hino das drag queens.

Termos relacionados[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Drags da noite de São Paulo perdem eleições www1.folha.uol.com.br (1 de outubro de 2006). Visitado em 14 de Março de 2010.
  2. EGO - NOTÍCIAS - BBB 10 tem participante drag queen: Dicesar Ferreira Globo.com Ego.globo.com. Visitado em 14 de Março de 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Drag queen
Ícone de esboço Este artigo sobre LGBT é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.