Simpatizante LGBT

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Simpatizante LGBT (em inglês: gay-friendly) é um termo usado para referir-se a lugares, políticas, pessoas ou instituições que procuram ativamente a criação de um ambiente confortável para as pessoas LGBTI.[1]

Este termo é o produto da implementação de direitos LGBTI e da aceitação de políticas de igualdade em lugares de trabalho e escolas, assim como também da identificação do coletivo LGBTI como um grupo distintivo de consumidores nos negócios.

Lugares[editar | editar código-fonte]

Entre as cidades que são conhecidas em todo o mundo como sendo gay-friendly estão São Francisco, Seattle, Tel Aviv, Nova York, Sydney, Rio de Janeiro,[2] Melbourne, Paris, Puerto Vallarta, Chicago, Brighton, Amsterdã, Buenos Aires, Montería, Londres, Copenhague, Berlim, entre outros.[3][4]

A The Advocate publica uma lista periódica das cidades mais simpatizantes LGBT nos Estados Unidos que inclui cidades como Minneapolis, Albuquerque, San Diego, Austin e várias outras com base na aprovação de leis de casamento igualitário, o número de casais do mesmo sexo, entre outros qualificadores.[5]

Negócios[editar | editar código-fonte]

Muitas empresas já se identificam como gay-friendly, permitindo uma base de funcionários e clientes mais diversificada. A Human Rights Campaign trabalha para conseguir a igualdade para pessoas LGBT e publica uma lista das empresas em relação a questões relativas ao tema. Entre as empresas que se destacam por ambientes de trabalho gay-friendly estão a Dell e a The Coca-Cola Company. Empresas como a R Family Vacations, Manspray, Volkswagen, Ginch Gonch e Egotour, além de inúmeras outras, oferecem produtos e serviços específicos para o nicho de clientes LGBT.[6] Outras, como a LOT Polish Airlines envia a mensagem aos usuários gays e oferece viagens para os principais destinos gays com uma bandeira arco-íris.[7] Estudos têm demonstrado que as comunidades LGBT tendem a favorecer empresas gay-friendly, mesmo que o custo de um determinado produto ou serviço seja superior.[8]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Gay-friendly – O que é? LGBT.
  2. G1, ed. (9 de outubro de 2016). «G1 lista dicas para público LGBT aproveitar o Rio de Janeiro». Consultado em 16 de abril de 2019 
  3. Lonely Planet (8 de agosto de 2012). «Top gay-friendly destinations». Lonely Planet. Consultado em 22 de agosto de 2015 
  4. The Five Most Improved Places For Gay Tolerance
  5. Gayest Cities in America
  6. egotour - user reviews, gay travel portal
  7. «Wyborcza.pl». Consultado em 22 de agosto de 2015 
  8. «Gay Consumers See Themselves as Tastemakers, Prefer Gay-Friendly Companies, Says Study». EDGE Media Network. Consultado em 22 de agosto de 2015 
Ícone de esboço Este artigo sobre LGBT é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.