Cultura LGBT

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A bandeira arco-íris é um símbolo da cultura LGBT

A Cultura LGBT é a cultura comum e partilhada por lésbicas, gays, bissexuais e transgéneros. É por vezes também chamada de cultura queer.[1]

A cultura LGBT varia, naturalmente, de acordo com o espaço geográfico e a identidade do indivíduo em questão, no entanto, há certos elementos que são encontrados na maioria das comunidades LGBT. A cultura LGBT será ainda mais específica e característica quando nos debruçamos nas suas subculturas. Assim poderemos encontrar:

  • Cultura gay (masculina)
  • Cultura lésbica
  • Cultura bissexual
  • Cultura transgénero
  • Outras

Há, de qualquer forma, diversos elementos que são comummente encontrados em todas estas subculturas, como por exemplo, a identificação dos indivíduos com a arte, artistas e personalidades LGBT, e a presença de figuras e elementos como: bairros gay, drag queens e a bandeira arco-íris.

Actualmente alguns movimentos LGBT têm vindo a criticar a comercialização de uma identidade gay e os auto-impostos guetos das culturas LGBT.[2]

Ícones[editar | editar código-fonte]

Um ícone gay ou ícone LGBT é uma figura histórica, uma celebridade ou uma personalidade pública que, em determinados enquadramentos, serve como referência às comunidades lésbica, gay, transexual e transgénero.[3] As qualidades distintivas dos ícones gay incluem geralmente beleza, elegância e "glamour", força frente à adversidade, androgenia, um exagero de poses e atitudes e, no caso dos artistas, a participação em obras de referência para a cultura gay.

São exemplos de ícones do mundo contemporâneo homossexual feminino, k. d. lang (masculina), Ellen DeGeneres (andrógena)e Portia de Rossi (feminina). No campo masculino, e ao contrário do que acontece com a cultura lésbica, os ícones masculinos são em grande parte mulheres; destacam-se figuras como Diana Ross, Madonna e Cher.

Artes[editar | editar código-fonte]

A cultura LGBT tem vindo a ser introduzida de forma lenta no mundo das artes em geral, principalmente através da televisão. É cada vez mais comum surgirem personagens homossexuais em séries de televisão ou telenovelas, mas as artes que abordam a temática homossexual ainda são habitualmente produzidas para e por agentes LGBT.

Referências