Vila Joaniza

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde agosto de 2011).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.

Vila Joaniza, é um bairro situado na Zona Sul, da cidade de São Paulo, especificamente no distrito de Cidade Ademar.

Sua principal via de acesso, trata-se da Avenida Yervant Kissajikian (que começa no cruzamento com a Avenida Interlagos e termina cruzando com a Avenida Santo Afonso.

Apesar dos seus cerca de setenta anos de ocupação, trata-se de uma região extremamente dependente de outras da cidade, tanto em nível de infra-estrutura geral, como também de necessidades básicas, como Saúde, Transporte, Segurança Pública e acima de tudo, Educação.

O bairro em meados dos anos 80 (já) era conhecido por sua violência. Quadro esse que não foi significativamente alterado neste século, mesmo após a instalação de uma base policial, além de já possuir uma delegacia de polícia: o 80ª DP, em operação desde 1990. Ultimamente, a praça central da região, entre as ruas Francisco de Baldim, Pedro Rodrigues Beja e João Benito, e o ponto de ônibus na Avenida Yervant Kissajikian, tem sido frequentada e utilizada como abrigo por diversos moradores de rua, aumentando ainda mais a sensação de insegurança no local, mais notada e especialmente à noite, além da característica e inconfundível sujeira, trazida por esses moradores.

Possui diversas escolas, tais como as já tradicionais, EMEF Alferes Tiradentes e EE México (ambas da década de 1970), e as mais recentes EMEF Prof Elza Maia Costa Freire (c. 1992) e EMEF Prestes Maia (c. 1995), além da recentemente inaugurada EMEF Maria Lucia dos Santos (Estampa Esportiva, c. 2011). Isso mostra o descaso de anos e anos do Governo do Estado de São Paulo com a região, impossibilitando a grande maioria dos estudantes egressos do ensino fundamental de continuar estudando próximos a seus lares, ao ascenderem suas atividades acadêmicas em nível de ensino médio, visto a época de inauguração da única escola com este nível educacional acadêmico. Além disso não existe nas proximidades das redondezas uma Escola Técnica Estadual (Etec), inviabilizando também, a melhoria dos estudantes em nível profissional, e concorrer aos melhores postos no mercado de trabalho, tanto local como também, na cidade.

Um Posto de saúde: U.B.S./A.M.A João Yunes. Mais um enorme descaso do Governo Estadual, já que não existe nem um projeto para um Hospital na região.

No comércio é possível encontrar lojas conhecidas, tais como as, Casas Bahia e as Lojas Marabraz; a rede de fast-food Habib's; agências bancárias como Caixa Econômica Federal, Bradesco, Itaú e Santander; supermercados como GêPires, Dia% e Ricoy; posto de gasolina Shell; além de uma enorme variedade de lojas de roupas, salões de cabeleireiros, vidraçarias, pizzarias, açougues, bares, mecânicas, ferros velhos, depósitos, bazares, academias, restaurantes, padarias, igrejas e centros de fé e, etc; e, também, a tradicional feira de domingo na rua Estanislau Moniusko.

A região é conhecida por ser um centro de resistência da cultura afro-brasileira, graças aos inúmeros terreiros de umbanda e de candomblé que mantém viva a religião dos ancestrais dos afro-brasileiros.

Em nível de lazer, existe um imenso clube instalado no bairro: o APCEF da Caixa Econômica Federal (porém é limitado apenas a associados da empresa, impossibilitando a acessibilidade aos moradores da região). Tem um casa de shows: Top Shows e Danças (anteriormente denominado Adocica), com atrações musicais populares (forró, samba, pagode, axé e funk). Vale frisar que há também um gigantesco terreno abandonado com cerca de 26 mil metros quadrados, situado à rua Bemaventurança, que serve de lixão aos moradores que não tem coleta seletiva adequada com as suas necessidades, nem sequer uma cooperativa de reciclagem, além de hoje ser um ponto de ocupação de moradores de rua e também de depósito de focos de mosquito da dengue (Aedes aegypti). Por isso a região é um ponto epidêmico da doença no Município.

Possui alguns conhecidos times de futebol de várzea como: G.R. Marcenaria, Gangster F.S., E. C. Explosão (Rua Matão), Leões da Celeste (Zaíra/Fachinna), Juventus, Assim Somos Nós, Loucos por $$$, Quebra Tudo F.S. e outros. Devido ao bairro não possuir sequer um campo de futebol, esses times se deslocam para jogos em outros locais, principalmente no campo do Jardim Niterói (bairro vizinho). Possui atletas consagrados na cidade paulistana como Adriano, Passe Kolou, Jairo, Waguinho, Chacrinha, Japão, Viola, Carioca, Tigrão, Valderrama, Cadito, Alemão, Ricardinho, Val, Luiz Fernando, Vô, Nem, Gugu, Leandro, ente outros.

Foi berço para grandes nomes do Pagode como grupo Pixote, Toke Divinal (Refla), Nossa Arte e Só Querer.

O transporte não é acessível para ligação com todas as regiões, mas existem linhas de ônibus que dão acesso ao Terminal Santo Amaro, Santo Amaro (distrito de São Paulo), Praça da Sé, Terminal Bandeira, Praça Princesa Isabel, Moema, Metrô Conceição, Metrô Jabaquara, Metrô Santa Cruz e Morumbi Shopping.

Atualmente o trânsito na Avenida Yervant Kissajikian está demasiadamente sobrecarregado, especialmente no trecho entre a Base da Polícia Militar (altura do número 2100) e a agência do Bradesco (altura do número 1500), mais notadamente nos horários de pico da manhã e da tarde, devido à falta de obras em infra-estrutura e de saídas para as avenidas e ruas onde as condições de fluxo de tráfego sejam mais abertas, visto que esta é uma via estreita.

Também existem inúmeras favelas ao longo dessa avenida bem como bares clandestinos que atrapalham o sono dos moradores da região todas as noites, além de inúmeros veículos em som alto, no período noturno e às madrugadas, fazendo alusão aos inúmeros e desagradáveis pancadões de funk locais.


Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de São Paulo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.