Vittor Santos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo.
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Editor: considere colocar o mês e o ano da marcação. Isso pode ser feito automaticamente, substituindo esta predefinição por {{subst:rec}}
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada.
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Editor: considere colocar o Mês e o Ano da marcação. Isso pode ser feito automaticamente, substituindo essa predefinição por {{subst:wkf}}
Vittor Santos
Informação geral
Nome completo Vítor Sebastião Silva Santos
Nascimento 25 de janeiro de 1965 (53 anos)
Local de nascimento Petrópolis, Rio de Janeiro
 Brasil
Nacionalidade brasileiro
Gênero(s) MPB
Ocupação(ões) trombonista, arranjador, maestro, compositor e produtor musical
Gravadora(s) Chantecler, BMG Ariola, Independente, PolyGram, Sony Music, EMI Odeon, BMG Brasil
Página oficial vittorsantos.com

Vítor Sebastião Silva Santos ou simplesmente Vittor Santos (Petrópolis, 25 de janeiro de 1965) é um trombonista, arranjador, maestro, compositor e produtor musical brasileiro.

Instrumentista autodidata, aos 14 anos já tocava em bailes e aos 16 teve sua primeira experiência como arranjador em Estúdio de gravação, de onde não saiu mais, atuando ora como instrumentista, solista, arranjador ou produtor, cooperando com diversos artistas do cenário musical brasileiro. Tem em Ian Guest a figura do grande professor, com quem, informalmente, aprendeu meandros da Harmonia Funcional.

Esteve a frente de três Big Bands: Orquestra de Vittor Santos, In Concert e Vittor Santos Orquesta que participou do Free Jazz Festival em 1999.

 Lançou em 1986 seu primeiro disco Aquelas Brasileiras, pela Chantecler.[1] Em 1987 Um Toque Tropical. Em 1994 lançou Trombone, primeiro disco individual pela Leblon Records” e, em 1997, pela mesma gravadora, o Sem Compromisso, de quinteto fixo, ao lado de alguns dos ex-integrantes da Orquestra In Concert. Juntamente com o grupo “Conexão Rio”, lançaram o CD Você só dança com ele,pelo selo “MP,B”, no qual visitam 12 canções do compositor Chico Buarque. Já em 2006, o CD Renovando as Considerações, em parceria com os selos “Biscoito Fino” e “Brasilianos” no Brasil e, nos Estados Unidos, com o título Renewed Impressions, com o selo “Adventure Music”. Em 2014, publica o CD Co(n)vivências, no qual prioriza composições próprias e de compositores de convívios diversos,contando, também, com um quinteto fixo em oito das nove faixas. Em parceria com Simon Khoury Reflexos no mesmo ano.

 Atua como professor em cursos sazonais pelo país, como o CIVEBRA.

Arranjador em diversos projetos como o “Alegria” da Orquestra do Estado de Mato Grosso, que teve como solista Hamilton de Hollanda. Presidiu a Comissão do Juri, que contou, entre outros, com Márcio Bahia e Chico Pinheiro, do XV Festival BDMG Cultural em maio de 2015.

Referências

  1. «Vittor Santos». Cravo Albin da MPB. Consultado em 1 de dezembro de 2014. 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008. 2ª ed. Esteio Editora, 2010. 3ª ed. EAS Editora, 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre músico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.