Walter Kaufmann (físico)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Walter Kaufmann
Conhecido(a) por Prova de que a massa depende da velocidade
Nascimento 5 de junho de 1871
Elberfeld
Morte 1 de janeiro de 1947 (75 anos)
Freiburg im Breisgau
Nacionalidade Alemanha Alemão
Campo(s) Física
Tese 1894: Über die Bewegung geschlagener Saiten

Walter Kaufmann (Elberfeld, 5 de junho de 1871Freiburg im Breisgau, 1 de janeiro de 1947) foi um físico alemão.

É conhecido por sua primeira comprovação experimental da dependência da massa em função de sua velocidade, que foi uma contribuição fundamental para o desenvolvimento da física moderna, incluindo a relatividade restrita.

Vida[editar | editar código-fonte]

Em 1890/1891 estudou engenharia mecânica nas universidades técnicas de Berlim e Munique, e desde 1892 estudou física nas universidades de Berlim e Munique, obtendo o doutorado em 1894. A partir de 1896 trabalhou como assistente nos institutos de física das universidades de Berlim e Göttingen. Kaufmann habilitou-se em 1899 e tornou-se professor extraordinário de física da Universidade de Bonn. Após nova atividade no instituto de física da Universidade de Berlim, foi eleito professor ordinário de física experimental e chefe do instituto de física da Universidade de Königsberg, onde permaneceu até aposentar-se, em 1935. Foi depois professor visitante da Universidade de Freiburg.[1]

Medições da massa em função da velocidade[editar | editar código-fonte]

Seu trabalho inicial (1901-1903) confirmou pela primeira vez que a massa eletromagnética depende da velocidade do elétron (posteriormente denominada massa relativística. Contudo, suas medições não foram precisas o suficiente para distinguir entre a teoria do éter de Lorentz e a teoria de Max Abraham.

No final de 1905 realizou experimentos com maior precisão, sendo o primeiro a discutir a teoria da relatividade restrita de Albert Einstein e argumentou que embora a teoria de Einstein seja baseada em condições completamente diferentes e seja logacamente mais acewitável, a mesma é observacionalmente equivalente à teoria de Lorentz, referindo-se a ela como a teoria de "Lorentz-Einstein". É notável o fato de Kaufmann ter interpretado os resultados de suas experimentos como uma confirmação da teoria de Abraham, e uma refutação do princípio da relatividade de Lorentz-Einstein, que por alguns anos determinou a grande contrariedade às teorias de Lorentz e Einstein. Contudo, os resultados de Kaufmann foram criticados por Max Planck e Adolf Bestelmeyer em 1906. Assim, físicos tais como Alfred Bucherer (1908), Günther Neumann (1914) e outros, repetiram aqueles seus experimentos e chegaram a resultados que aparentemente corfirmavam a teoria de "Lorentz Einstein" e desaprovavam a teoria de Abraham. Contudo, foi posteriormente ressaltado que os experimentos de Kaufmann-Bucherer-Neumann após 1904 também não eram precisos o suficiente para distinguir as duas teorias.[2] [3] [4] [5]

No entanto, este problema ocorreu somente para este tipo de experimentos. As investigações da estrutura fina das linhas de hidrogênio em 1917 forneceram uma confirmação clara da fórmula de Lorentz-Einstein, e a refutação da teoria de Abraham.[6].

Referências

  1. Biografia (em alemão)
  2. Zahn, C. T. and Spees, A. A. (1938), «A Critical Analysis of the Classical Experiments on the Variation of Electron Mass» 7 ed. , Physical Review, 53: 511–521, Bibcode:1938PhRv...53..511Z, doi:10.1103/PhysRev.53.511 
  3. Rogers; M. M.; et al. (1940), «A Determination of the Masses and Velocities of Three Radium B Beta-Particles» 5 ed. , Physical Review, 57: 379–383, Bibcode:1940PhRv...57..379R, doi:10.1103/PhysRev.57.379 
  4. Miller, A.I. (1981), Albert Einstein's special theory of relativity. Emergence (1905) and early interpretation (1905–1911), ISBN 0-201-04679-2, Reading: Addison–Wesley 
  5. Janssen, M., Mecklenburg, M. (2007), V. F. Hendricks; et al., eds., «From classical to relativistic mechanics: Electromagnetic models of the electron», Dordrecht: Springer, Interactions: Mathematics, Physics and Philosophy: 65–134 
  6. Pauli, Wolfgang (1921), «Die Relativitätstheorie» 2 ed. , Encyclopädie der mathematischen Wissenschaften, 5: 539–776 

Publicações[editar | editar código-fonte]

  • Kaufmann, W. (1901), «[[wikilivres:Die Entwicklung des Elektronenbegriffs|Die Entwicklung des Elektronenbegriffs]]» 1 ed. , Physikalische Zeitschrift, 3: 9–15 
  • Kaufmann, W. (1901), «[[wikilivres:Die magnetische und elektrische Ablenkbarkeit der Bequerelstrahlen|Die magnetische und elektrische Ablenkbarkeit der Bequerelstrahlen und die scheinbare Masse der Elektronen]]» 2 ed. , Göttinger Nachrichten: 143–168 
  • Kaufmann, W. (1902), «Über die elektromagnetische Masse des Elektrons» 5 ed. , Göttinger Nachrichten: 291–296 
  • Kaufmann, W. (1902), «[[wikilivres:Die elektromagnetische Masse des Elektrons|Die elektromagnetische Masse des Elektrons]]» 1b ed. , Physikalische Zeitschrift, 4: 54–56 
  • Kaufmann, W. (1903), «{{Internet Archive|nachrichten00klasgoog|Über die "Elektromagnetische Masse" der Elektronen}}», Göttinger Nachrichten (3): 90–103 
  • Kaufmann, W. (1905), «[[wikilivres:Über die Konstitution des Elektrons (1905)|Über die Konstitution des Elektrons]]» 45 ed. , Sitzungsberichte der Königlich Preussischen Akademie der Wissenschaften: 949–956 
  • Kaufmann, W. (1906), «[[wikilivres:Über die Konstitution des Elektrons (1906)|Über die Konstitution des Elektrons]]», Annalen der Physik, 19: 487–553 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) físico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.