Welwitschea dos Santos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Welwitschea dos Santos
Nome completo Welwitschea José dos Santos
Outros nomes Tchizé
Nascimento 1978
Luanda
Nacionalidade  Angola

Portugal Portugal

Welwitschea José dos Santos (Luanda, 1978), mais conhecida como Tchizé dos Santos, é uma comunicadora social, empresária e política angolana e portuguesa.[1][2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

É filha do ex-presidente angolano José Eduardo dos Santos com Maria Luísa Perdigão Abrantes. Licenciada em comunicação social pela Universidade Londres Regent’s, no Reino Unido. Fala cinco idiomas, sendo: português, inglês, francês, italiano e espanhol. Desde cedo Tchizé dos Santos se destacou em várias áreas de actuação, com destaque para cultura e media production. Foi co-produtora de conteúdos para a brasileira TV Record, que atingiram recordes de audiência naquele país e para a TV Globo Internacional, uma das maiores estações de televisão do mundo.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Fundadora da versão Angolana da Revista internacional "CARAS", publicada igualmente em Portugal, na Argentina e no Brasil, e técnica responsável pela concepção e lançamento da TPA Internacional, o único canal internacional de TV angolano.[3] É conhecida por ter o MIDAS touch das audiências quer na TV, quer na imprensa escrita, quer nas redes sociais, sendo a mais seguida e poderosa figura da sociedade civil nas redes sociais.

No sector desportivo, chegou ao topo do dirigismo desportivo, quando foi a primeira mulher a ser eleita presidente de um clube desportivo da primeira divisão (Benfica de Luanda), levando o mesmo pela primeira vez ao terceiro lugar do Campeonato Nacional Girabola e consequentemente recebido o mais conceituado prémio de desporto de Angola, como melhor dirigente Desportivo do país no ano de 2009 (Gala Rádio 5).

É figura também da filantropia, tendo sido Vice-Presidente do Comité Paralímpico de Angola, do LIDE Mulher, da ONG internacional FOCOA, sediada em Washington, DC nos EUA, e mentora e fundadora da TEA CLUB, uma associação civil constituída por jovens.[4]

No sector empresarial, destacou-se na área da produção, comunicação e entretenimento, sendo co-fundadora de empresas que produziram 2 novelas nomeadas ao Emmy Internacional e exibidas em países de 3 continentes (África, Europa e Americas), bem como documentários e filmes nomeados e premiados em festivais internacionais da especialidade.

Na política, foi eleita pelas bases do partido Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) em diversas votações, até chegar a estruturas de direção de organizações de base estratégicas, como o Comité Nacional da Organização da Mulher Angolana (OMA), a Comissão Executiva do Comité Provincial de Luanda e tendo sido eleita pela primeira vez deputada à Assembleia Nacional aos 28 anos de idade, re-eleita em 2012, e pela terceira vez em 2017 para um mandato que vai até 2022.

Em 2017, dos Santos foi a mais nova deputada a ser eleita em plenário da Assembleia Nacional, por unanimidade, para o cargo de primeira vice-presidente do Grupo de Mulheres Parlamentares de Angola, do qual são membros todas as deputadas de todos os partidos políticos e coligação com assento no parlamento.

Referências