William Bainbridge

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
William Bainbridge
Estados Unidos
Nascimento 7 de maio de 1774
Princeton, Nova Jersey
Morte 27 de julho de 1833 (59 anos)
Filadélfia, Pensilvânia
Nacionalidade norte-americano
Cargo Capitão dos navios de guerra
Serviço militar
Patente Comodoro da Marinha dos Estados Unidos

William Bainbridge (Princeton, 7 de maio de 1774 - Filadélfia, 27 de julho de 1833) foi um militar norte-americano que serviu a Marinha dos Estados Unidos.[1] [2]

Início de vida[editar | editar código-fonte]

William Bainbridge aprendeu a arte de marinharia como tripulante em barcos no rio Delaware e aos 15 anos de idade, foi para o mar a serviço da marinha mercante em uma escuna usada no comércio entre os Estados Unidos e Holanda. Em sua quarta viagem enfrentou e debelou um motim juntamente com o capitão do navio. Graças a sua coragem e habilidade como marinheiro foi feito comandante do navio mercante com a idade de 19 anos.[3] [4]

Os navios comerciais norte-americanos da época eram impedidos de negociar diretamente com países que compunham a British West Indies (Ilhas do Caribe que faziam parte do Império Britânico), como consequência Bainbridge se envolveu com o contrabando para a região.[5]

Marinha dos Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

Pré guerra[editar | editar código-fonte]

Foi o tenente comandante da escuna USS Retaliation em 1798 quando da organização da Marinha dos Estados Unidos em 1798. O navio foi capturado por duas fragatas Le Volontier e L' Insurgente de bandeira francesa sem luta, pois Bainbridge confundiu os navios com veleiros ingleses. Apesar do fato recebeu um novo comando como mestre comandante a frente do brigue USS Norfolk que dispunha de 18 canhões, com ordens de promover ataques corsários contra os franceses.[6]

Guerra de Trípoli[editar | editar código-fonte]

A fragata Philadelphia queimando no porto de Trípolin.

Em 1800, meses antes do início da Guerra de Trípoli (1801–1805), Bainbridge foi designado para pagar o tributo que os Estados Unidos negociou com o paxá de Argel como proteção contra captura de navios mercantes norte-americanos no Mar Mediterrâneo. A missão foi executada a frente do USS George Washington.[7]

Thomas Jefferson terceiro presidente dos Estados Unidos (1801-1809) descobriu que subornar os piratas da região não trouxe resultados, e decidiu usar a força. Em 21 de maio de 1803, Bainbridge foi colocado no comando do USS Philadelphia, com a missão de impor um bloqueio naval a cidade de Tripoli. O veleiro encalhou em um recife desconhecido em 21 de outubro de 1803 e todos os esforços para desencalhar o navio foram infrutíferos. Sob fogo de tiros de canhão de canhoneiras inimigas e baterias de costa por mais de cinco horas, William Bainbridge se rendeu e o navio foi capturado. A tripulaçao ficou aprisionado por dezenove meses. O Philadelphia foi destruído por um incêndio em 16 de fevereiro de 1804, provocado pelo USS Intrepid ação comandada por Stephen Decatur e tinha como objetivo interromper a utilização do navio norte-americano em operações de pirataria. Em 3 de junho de 1806 Bainbridge foi libertado e retornou aos Estados Unidos. Em 1809 assumiu o comando da fragata USS President com a missão de patrulhar ao largo da costa do Atlântico. Em junho de 1810 deixou o navio tendo sido transferido para atividades em terra.[8] [9]

Guerra de 1812[editar | editar código-fonte]

Diagrama da batalha entre o USS Constitution e o HMS Java.

A Guerra anglo-americana (1812-1815) iniciada em 15 de setembro de 1812 entre o Reino Unido e Estados Unidos, foi motivada por ataques contra a frota mercante americana por parte dos britânicos, que também armavam nativos indígenas da região dos Grandes Lagos, para atacarem comunidades e grupos de colonos americanos que viajavam em direção ao oeste.

Bainbridge foi nomeado para comandar fragata de 1 533 t USS Constitution que estava armado com 44 canhões.[10] Em patrulha no Atlântico Sul ao largo da costa do Brasil, travou combate e capturou o HMS Java importante navio da frota de guerra da Marinha Real Britânica.[11] [12]

Guerra Argelina[editar | editar código-fonte]

A ultima atuação do Comodoro William Bainbridge foi a preparação em Boston de uma frota de navios de guerra para combater a pirataria na região da Argélia, tarefa que não concluiu a tempo por ter sido superado por Stephen Decatur (1779 – 1820) que partiu do porto de Nova York. Stephen Decatur capturou os navios argelinos Meshuda e Estedio, que foram trocados por prisioneiros norte-americanos e europeus capturados por atos de pirataria.[5]

Entre 1824 e 1827 ficou a frente de um órgão administrativo responsável pelos suprimentos da Marinha do Estados Unidos.[13]

Faleceu em 1833 em consequência de uma pneumonia.[5]

Reconhecimento[editar | editar código-fonte]

O primeiro contratorpedeiro da Marinha norte americana USS Bainbridge (DD-1) (1903),[14] o primeiro cruzador com propulsão nuclear USS Bainbridge (CGN-25) (1962)[15] e o USS Bainbridge (DDG-96) (2005)[16] foram nomeados em homenagem a William Bainbridge. Assim como as cidade norte-americanas de Bainbridge Island no estado de Washington,[17] Bainbridge no estado de Indiana,[18] Bainbridge no estado da Geórgia[19] e Bainbridge no estado de Nova Iorque.[20]

Referências

  1. Bainbridge, William (em inglês). 1911 Encyclopædia Britannica. Página visitada em 5 de agosto de 2012.
  2. Comodor William Bainbridge (em inglês). Town of Bainbridge. Página visitada em 5 de agosto de 2012.
  3. Barnes, 1896 pp.73-74
  4. Harris, 1837 p.19
  5. a b c Thomas Jewett. William Bainbridge: America's Unlucky Sea Captain (em inglês). Early America Review. Página visitada em 5 de agosto de 2012.
  6. Cooper, 1846 pp.15-17
  7. Boot, Max. The Savage Wars of Peace. New York: Basic Books. 2003. p12
  8. Barnes, 1896 p.79
  9. Barnes, 1896 p.80
  10. Cooper, 1846 p.59
  11. Harris, 1837 p.147
  12. Barnes, 1896 p.85
  13. Cooper, 1846 p.69
  14. Data for USS Bainbridge (DD-1) as of 1912 (em inglês). The National Association of Destroyer Veterans. Página visitada em 5 de agosto de 2012.
  15. USS Bainbridge (CGN-25) (em inglês). NavSource Online. Página visitada em 5 de agosto de 2012.
  16. USS Bainbridge (DDG-96) (em inglês). navysite. Página visitada em 5 de agosto de 2012.
  17. The City of Bainbridge Island (em inglês). Página visitada em 5 de agosto de 2012.
  18. Town of Bainbridge (em inglês). Página visitada em 5 de agosto de 2012.
  19. Raymond L. Chambers. Bainbridge (em inglês). Bainbridge College. Página visitada em 5 de agosto de 2012.
  20. History of Bainbridge, New York (em inglês). New York History. Página visitada em 5 de agosto de 2012.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Barnes, James. Naval actions of the War of 1812. [S.l.]: 
    Harper & Brothers, New York, 1896. 263 p.
    Url
  • Harris, Gardner W.. The life and services of Commodore William Bainbridge, United States navy. [S.l.]: 
    Carey Lea & Blanchard, Philadelphia, 1837. 254 p. ISBN 0945726589
    Url1 Url2
  • Cooper, James Fenimore. Lives of distinguished American naval officers. [S.l.]: 
    Carey and Hart, Philadelphia., 1846. 436 p. OCLC 620356
    Url
  • Cooper, James Fenimore. Old Ironsides. [S.l.]: G.P. Putnam, 1853, 1853. 49 p. Url
  • Roosevelt, Theodore. The naval war of 1812: .... [S.l.]: 
    G.P. Putnam's sons, New York, 1883. 541 p.
    Url
  • Roosevelt, Theodore. The naval operations of the war between Great Britain and the United States, 1812-1815. [S.l.]: 
    Little, Brown, and Company, Boston, 1901. 290 p.
    Url1 Url2 Url3

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre William Bainbridge
Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos navais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.