William Foxwell Albright

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Túmulo 2, escavado por W.F. Albright em 1923. Sua trincheira de escavação é visível acima da estrutura.

William Foxwell Albright (24 de Maio de 1891 a 20 de Setembro de 1971) foi um destacado orientador americano, pioneiro da arqueologia, linguista e especialista em cerâmica. Desde principio do século XX (20) até sua morte, W. F. Albright foi o decano dos arqueólogos e o pai mundial da Arqueologia bíblica. Seu aluno mais destacado, George Ernest Wright , seguiu seus passos como líder do movimento arqueológico. Entre outros de seus alunos notáveis se encontram Frank Moore Cross e David Noel Freedman, que chegaram a ser líderes internacionais em estudo arqueológico dos lugares e eventos descritos na Bíblia e do antigo Oriente Próximo, incluindo epigrafia, semítica e Paleografia. Seu contexto religioso foi o protestantismo metodista. Nasceu em Coquimbo, Chile, numa família missionaria metodista. Seus pais Wilbur Finley y Zephine Viola Foxwell Albright, tiveram seis filhos, sendo William o primogênito. Casou-se com a doutora Ruth Norton em 1921 em Jerusalém e de seu casamento nasceram dois filhos.

Trabalho académico[editar | editar código-fonte]

Albright recebeu o Doutorado em 1913 na Johns Hopkins University, onde trabalhou como acadêmico de 1929 a 1959 e diretor da Escola Americana de Investigação Oriental na mesma universidade. Um de seus maiores legados foi confirmar a autenticidade dos Manuscritos do Mar Morto depois de seu descobrimento em 1947

Albright defendeu teoricamente que Abraão, Isaque e Jacó não foram apenas personagens bíblicos, mas também históricos, e as incursões de Josué também foram eventos históricos. Insistiu que «como um todo, a imagem de Genêsis é histórica e não há razões para se duvidar da precisão dos detalhes biográficos».

Em 1923 realizou a primeira escavação arqueológica significativa dos túmulos na região de Jerusalém (possivelmente onde um antigo rei da Judeia teria sido honrado). Outro importante aporte que realizou aos estudos bíblicos e à arqueologia bíblica, foi seu estudo do selo LMLK e o impacto que este teve para outros estudos entre 1925 e 1960[1] .

Também escavou um pequeno monte chamado Tell Beit Mirsim ao redor de Hebron entre 1926 e 1932. Identificou tanto o sitio como a cidade cananeia de Debir, mencionada muitíssimas vezes nas Escrituras Hebraicas, ainda que sua identificação tenha sido refutada por outros arqueólogos. Junto a outros achados, pareceu confirmar que a conquista de Canaã pelos israelitas teria sido um evento histórico. Ainda que atualmente muitos académicos rebatem a sua conclusão, muitos outros biblistas e arqueólogos prosseguem nas mesmas conclusões de Albright.

Alem disso, editou vários livros da tradução bíblica Anchor Bible Series: Livro de Jeremias, Mateus e Apocalipse.

Entre seus livros mais conhecidos estão:

Além de ter sido um arqueólogo bíblico, Albright fez também contribuições para a arqueologia de Egipto: No documento BASOR 130 (1953) intitulado Novas luzes do Egipto na cronologia e historia de Israel e Judeia, o estudioso estabeleceu que Shoshenq I mencionado na Bíblia como o rei egípcio Sisaque, governou efectivamente entre 945 a.C. e 940 a.C..

O Instituto de Arqueologia W. F. Albright, é um ramo das Escolas Americanas de Estudos orientais que se encontra localizada em Jerusalém.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. *Grena, G.M.; «LMLK, A Mystery Belonging to the King» Volume 1; publicado por 4000 Years of Writing History; Redondo Beach, Califórnia, Estados Unidos; 2004, pp. 149-78. ISBN 0-9748786-0-X
  • Davis, Thomas W. (2004). Shifting Sands: the Rise and Fall of Biblical Archaeology (New York: Oxford University Press). ISBN 0-19-516710-4. 
  • Elliott, Mark (2002). Biblical Interpretation Using Archeological Evidence, 1900-1930 (Lewiston, N.Y.: E. Mellen Press). ISBN 0-7734-7146-4. 
  • Feinman, Peter D. (2004). William Foxwell Albright and the Origins of Biblical Archaeology (Berrien Springs, Mich.: Andrews University Press). ISBN 1-883925-40-1. 
  • Finkelstein, Israel and Silberman, Neil Asher (2001). The Bible Unearthed: Archaeology's New Vision of Ancient Israel and the Origin of its Sacred Texts The Free Press, a division of Simon and Schuster [S.l.] ISBN 0-684-86912-8. 
  • Freedman, David Noel; MacDonald, Robert B.; Mattson, Daniel L. (1975). The Published Works of William Foxwell Albright: A Comprehensive Bibliography (Cambridge, Mass.: American Schools of Oriental Research). ISBN None. 
  • Grena, G.M. (2004). LMLK--A Mystery Belonging to the King vol. 1 (Redondo Beach, Calif.: 4000 Years of Writing History). ISBN 0-9748786-0-X. 
  • Long, Burke O. (1997). Planting and Reaping Albright: Politics, Ideology, and Interpreting the Bible (University Park, Pa.: Pennsylvania State University Press). ISBN 0-271-01576-4. 
  • Running, Leona G., and Freedman, David Noel (1991, c1975). William Foxwell Albright: A Twentieth-Century Genius (Berrien Springs, Mich.: Andrews University Press). ISBN 0-8467-0071-9. 
  • Van Beek, Gus W. (1989). The Scholarship of William Foxwell Albright: An Appraisal (Atlanta, Ga.: Scholars Press). ISBN 1-55540-314-X. 

Veja também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]