William Whiston

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
William Whiston
Nascimento 9 de dezembro de 1667
Norton-juxta-Twycross, Leicestershire, Inglaterra
Morte 22 de agosto de 1752 (84 anos)
Lyndon (Rutland), Inglaterra
Residência Reino da Grã-Bretanha
Nacionalidade inglês
Alma mater Clare College, Universidade de Cambridge
Assinatura
WilliamWhiston sig.jpg
Orientado(a)(s) James Jurin
Instituições Universidade de Cambridge
Campo(s) matemática, teologia

William Whiston (Norton-juxta-Twycross, 9 de dezembro de 166722 de agosto de 1752) foi um teólogo, historiador e matemático inglês.

Ele agora é provavelmente mais conhecido por ajudar a instigar a Lei da Longitude em 1714 (e suas tentativas de ganhar as recompensas que ela prometia) e suas importantes traduções das Antiguidades Judaicas e outras obras de Josefo (que ainda estão sendo publicadas). Ele foi um expoente proeminente do arianismo e escreveu A New Theory of the Earth.[1]

Vida e carreira[editar | editar código-fonte]

Filho de Josiah Whiston e Katherine Rosse, nasceu em Norton-juxta-Twycross, em Leicestershire, vila da qual seu pai era administrador. Teve educação privada, em parte devido à sua saúde delicada, e também porque ele podia atuar como amanuense para seu pai, que havia perdido a visão. Estudou na Queen Elizabeth Grammar School, Tamworth. Após a morte de seu pai entrou como sizar no Clare College, Cambridge, em 30 de junho de 1686, onde dedicou-se a estudar matemática, obtendo o grau de Bachelor of Arts (1690) e Masters of Arts (1693), e foi eleito fellow em 1691 e sênior probatório em 1693.[2]

Whiston sucedeu seu mentor Isaac Newton como professor lucasiano de Mathematica na Universidade de Cambridge. Em 1710, ele perdeu o cargo de professor e foi expulso da universidade por causa de suas opiniões religiosas pouco ortodoxas. Porque Whiston reconheceu a Bíblia como um livro de verdade espiritual, ele rejeitou a noção de tormento eterno no fogo do inferno. Ele considerou isso absurdo e cruel, bem como um insulto a Deus. O que o opôs especialmente às autoridades da Igreja foi sua negação da Trindade, depois que uma extensa pesquisa o convenceu da origem pagã da doutrina da Trindade.[1]

Longitude[editar | editar código-fonte]

Em 1714, ele foi fundamental para a aprovação da Lei da Longitude, que estabeleceu o Conselho da Longitude. Em colaboração com Humphrey Ditton, ele publicou Um novo método para descobrir a longitude, tanto no mar quanto na terra,[3] que foi amplamente referenciado e discutido. Pelos próximos quarenta anos, ele continuou a propor uma série de métodos para obter a recompensa da longitude. Em 1734, ele propôs usar os eclipses dos satélites de Júpiter.[4]

Referências

  1. a b One or more of the preceding sentences incorporates text from a publication now in the public domain: Chisholm, Hugh, ed. (1911). "Whiston, William". Encyclopædia Britannica. 28 (11th ed.). Cambridge University Press. p. 597
  2. «Biografia resumida» (em inglês) 
  3. «A new method for discovering the longitude both at sea and land: humbly proposed to the consideration of the publick. By William Whiston, ... and Humphry Ditton, ... | Great Writers Inspire». writersinspire.podcasts.ox.ac.uk. Consultado em 12 de outubro de 2021 
  4. «National Maritime Museum Manuscripts : Mr Whiston's Project for finding the Longitude». Cambridge Digital Library. Consultado em 12 de outubro de 2021 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) matemático(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.