Zhou Youguang

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Zhou Youguang
周有光
Zhou na década de 1920
Nascimento 13 de janeiro de 1906
Changzhou, Jiangsu
Morte 14 de janeiro de 2017 (111 anos)
Residência Pequim
Nacionalidade chinês
Cônjuge Zhang Yunhe (de 1933 a 2002)
Filho(s) Zhou Xiaoping (1934–2015)[1]
Zhou Xiaohe (1935–1941)
Ocupação Linguista
Sinologista

Zhou Youguang (chinês: 周有光; nascido Zhou Yaoping; Changzhou, 13 de janeiro de 1906Pequim, 14 de janeiro de 2017) foi um linguista, sinologista e supercentenário chinês, creditado como o "pai do (Hanyu) Pinyin",[2][3] a romanização oficial do mandarim na República Popular da China.

Início e formação[editar | editar código-fonte]

Zhou nasceu em Changzhou, na província de Jiangsu, em 13 de janeiro de 1906.[2][4] Ele matriculou-se na St. John's University, em Xangai em 1923, onde se graduou em economia e realizou um curso suplementar em linguística.[4] Ele deixou a instituição quando estourou o Movimento de 13 de maio de 1925, transferindo-se para a Guanghua University, onde completou sua formação em 1927.[4] Zhou passou algum tempo como estudante de intercâmbio no Japão,[4] e o início de sua carreira profissional se deu trabalhando em bancos como economista, principalmente em Nova Iorque, retornando a Xangai em 1949, quando a República Popular da China foi criada.[2][3]

A criação do Pinyin[editar | editar código-fonte]

Em 1955, o governo ofereceu a Zhou a liderança de um comitê para reformar a língua chinesa, de modo a aumentar o índice de alfabetização da população. Enquanto outros comitês tiveram incumbências como a de decretar o mandarim como a língua nacional e de criar os caracteres hoje usados no chinês simplificado, o comitê presidido por Zhou teve a incumbência de desenvolver um sistema de romanização para representar a pronúncia dos caracteres chineses.[2] Zhou disse que sua tarefa levou por volta de três anos, em um trabalho de tempo integral.[2] O pinyin foi tornado o sistema de romanização oficial em 1958, ainda que então - e ainda hoje - como guia de pronúncia, não como um sistema de escrita substitutivo.[5]

Atividades posteriores[editar | editar código-fonte]

Durante a Revolução Cultural Zhou foi mandado ao interior do país para ser "reeducado", como muitos intelectuais da época.[2][3] Ele passou dois anos num campo de trabalho.[6]

Depois de 1980, Zhou trabalhou com Liu Zunqi e Chien Wei-zang na tradução da Encyclopædia Britannica para o chinês, o que lhe deu o apelido de "Enciclopédia Zhou".[4] Zhou continuou a escrever a publicar trabalhos após a criação do Pinyin; por exemplo, seu livro Zhongguo Yuwen de Shidai Yanjin 中國語文的時代演進, vertido para o inglês por Zhang Liqing, foi publicado em 2003 como A evolução histórica das línguas e escritas chinesas.[7] No total, ele escreveu 10 livros desde 2000, alguns dos quais foram censurados e banidos pelo governo chinês. Já idoso, Zhou tornou-se um defensor da reforma política e criticou os ataques do Partido Comunista Chinês à tradicional cultura do país desde a tomada do poder.[6]

Zhou tornou-se um supercentenário em 13 de janeiro de 2016, ao atingir a idade de 110 anos.[8]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Zhou Youguang escrevendo em sua casa (Pequim, 2012)

Zhou foi casado com Zhang Yunhe de 30 de abril de 1933 até a morte dela em 14 de agosto de 2002; o casamento durou 69 anos e 106 dias e gerou dois filhos: Zhou Xiaohe, nascida em 1935 e morta em 1941 aos 6 anos, e Zhou Xiaoping, nascido em 1934,[2] que morreu aos 80 anos em 26 de janeiro de 2015.[1]

No início de 2013, Zhou e seu filho foram entrevistados pela doutora Adeline Yen Mah na residência dos dois em Pequim. A doutora Mah documentou a visita em vídeo e apresentou a Zhou um jogo com a romanização Pinyin que ela criara para o iPad.[9]

Zhou morreu em 14 de janeiro de 2017 em sua casa em Pequim, um dia após ter completado seu 111º aniversário.[10][11][12]

Conteúdo adicional[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b 偉坤, 牛; 宋宇晟 (26 de janeiro de 2015). 周有光之子、氣象學家周曉平遺體告別式舉行 (em Chinese). China: Beijing Evening News. Consultado em 23 de fevereiro de 2015 
  2. a b c d e f g «Father of pinyin». China Daily. 26 de março de 2009. Consultado em 12 de julho de 2009  Reprinted in part as Simon, Alan (27 de janeiro de 2011). «Father of Pinyin». China Daily Asia Weekly. Hong Kong. Xinhua. p. 20 
  3. a b c Branigan, Tania (21 de fevereiro de 2008). «Sound Principles». The Guardian. UK. Consultado em 12 de julho de 2009 
  4. a b c d e 李怀宇 (Li Huaining) (8 de dezembro de 2005). 周有光:与时俱进文章里 百年风云笑谈中 (em Chinese). 南方网 (Southcn.com). Consultado em 12 de julho de 2009 
  5. Ramsey, S. Robert (1989). The Languages of China. [S.l.]: Princeton University Press. p. 145. ISBN 978-0-691-01468-5 
  6. a b Lim, Louisa (19 de outubro de 2011). «At 105, Chinese Linguist Now A Government Critic». National Public Radio. Consultado em 19 de outubro de 2011 
  7. Zhou Youguang 周有光. The Historical Evolution of Chinese Languages and Scripts; 中國語文的時代演進, translated by Zhang Liqing 張立青. Ohio State University National East Asian Language Resource Center. 2003.
  8. Lai, Kitty (15 de janeiro de 2016). «Zhu ni shengri kuaile! Father of Pinyin turns 110 years old, celebrates with a strawberry-topped cake». Shanghaiist. Consultado em 16 de janeiro de 2016 
  9. «Dr. Adeline Yen Mah meets the founder of Pin Yin Zhou Youguang». chinesecharacteraday.com. 2013. Consultado em 2013  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  10. «"汉语拼音之父"周有光去世 享年112岁». sina.com.cn (em Chinese). 14 de janeiro de 2017. Consultado em 14 de janeiro de 2017 
  11. Associated Press (14 de janeiro de 2017). «Zhou Youguang, Father of Chinese Romanization System, Dies». ABC News. American Broadcasting Company. Consultado em 14 de janeiro de 2017 
  12. Zhang Dong (14 de janeiro de 2017). «"汉语拼音之父"周有光去世 享年112岁» (em chinese). sina.com. Consultado em 14 de janeiro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]