Aceldama

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Aceldama
Aceldama PA180088.JPG

Aceldama ou Akeldama (Aramaic:חקל דמא; campo de sangue) é o nome aramaico para um lugar em Jerusalém comprado por Judas Iscariotes, o traidor, um dos discípulos de Jesus. Em aramaico hagel dema significa "campo de sangue". O nome é escrito em grego Akeldamá, também conhecido como Akeldamách.

A terra nesta área é rica em argila (barro), e antigamente utilizada por oleiros. Por esta razão, foi antigamente conhecida como "campo do oleiro" ou, em inglês, "Potter's Field". A argila da região tem uma coloração forte vermelha, provavelmente pode ser atribuída ao atual nome do local. Mais recentemente o campo foi utilizado como cemitério para os não-judeus, mais exatamente nos primeiros anos do século XIX.

Narrativa bíblica[editar | editar código-fonte]

A tradição cristã o liga à morte de Judas, que supostamente teria comprado com as trinta moedas de prata da traição que ele fizera entregando Cristo para os sacerdotes e os anciãos (Atos 1:19). Segundo o texto verso 18, Judas "se partiu", provavelmente tenha se ferido na barriga, ou mesmo "rebentou pelo meio", derramando seu intestino para fora do corpo e assim morrendo. Este nome "campo de sangue", implica também que se refere ao sangue de Judas. Segundo o Evangelho de Mateus:

«Então Judas, que o traiu, vendo que Jesus fora condenado, tocado de remorso, tornou a levar as trinta moedas de prata aos principais sacerdotes e aos anciãos,

e disse: Pequei, traindo sangue inocente. Mas eles responderam: Que nos importa? isso é lá contigo. Judas, depois de arremessar as moedas de prata no santuário, retirou-se e foi enforcar-se. Os principais sacerdotes, tomando as moedas, disseram: Não é lícito deitá-las no tesouro sagrado, porque é preço de sangue. Depois de deliberarem em conselho, compraram com elas o Campo do Oleiro, a fim de servir de cemitério para os forasteiros. Por isso aquele campo tem sido chamado até o dia de hoje Campo de sangue .Assim se cumpriu o que foi dito pelo profeta Jeremias: E tomaram as trinta moedas de prata, preço daquele que foi avaliado, a quem alguns dos filhos de Israel apreçaram; e deram-nas pelo Campo do Oleiro, assim como me ordenou o Senhor.» (Mateus 27:3-10)

Segundo o texto acima, o campo teria sido comprado pelos sacerdotes, pois não queriam o dinheiro devolvido por Judas, retornando como oferta no templo.

Situação atual[editar | editar código-fonte]

O Akeldama (Hakl-ed-damm) hoje tem a aparência de um largo e quadrado sepulcro, e visto de cima a metade do lado sul foi escavada na pedra e no restante do campo foi construído um monastério. No centro tem uma enorme coluna. Muto do barro foi retirado por Helena de Constantinopla e outros proeminentes cristãos, tanto para a construção da cidade quanto para os sepulcros. Tem um terraço que em seu lado sul fica o vale de Hinnom.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Aceldama