Antíoco VI Teos Epifânio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde setembro de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Moeda de Antíoco VI Dionísio

.

Antíoco VI Dionísio (em grego: Άντίοχος Διόνυσος), (147 a.C—140 a.C.) foi um rei da Dinastia Selêucida. Era filho de Alexandre Balas e da rainha Cleópatra Téia (filha do rei Ptolomeu VI Filométor do Egito). Reinou de 144 a.C. a 142 a.C.

Em 145 a.C. seu pai foi destronado por Demétrio II Nicator, mas sua vida foi salva por Trífon, um general que tinha sido do partido de Alexandre. O menino foi entregue a tutela de um árabe chamado Jâmlico, que residia em Cálcis, onde o jovem Antíoco foi coroado. [1]

Reino[editar | editar código-fonte]

O jovem monarca foi coroado ainda em tenra idade, e a ele se uniram as tropas que tinham sido licenciadas por Demétrio II, pois Trífon aproveitou o ódio que eles sentiam dele e os recrutou. Vindo da Arábia para a Síria eles conseguiram derrotar o rei que foi obrigado a fugir para a Cilícia, enquanto isso, Trífon capturou os elefantes e apoderou-se de Antioquia.

Os judeus no princípio ficaram com Demétrio II, seu rival ao trono; mas com uma nova visão do traiçoeiro caráter dele, eles julgaram aconselhável se submeterem a Antíoco VI. Como seu pai ele foi favorável aos judeus. Enviou a Jônatas Macabeu uma carta onde lhe confirmava o sumo sacerdócio, entregava aos judeus os quatro distritos: Samaria, Galiléia, Galaade e Acrabata, e o colocava entre os "amigos do rei". Mandou-lhe vasos de ouro e assessórios de mesa de ouro, e mandou que se vestisse de púrpura e usasse a fivela de ouro. Ele também nomeou Jônatas como estratego da Celessíria e seu irmão Simão como estratego da faixa marítima que se estendia de Tiro até a fronteira com o Egito. Todos os favores dos reis selêucidas demonstram que os asmoneus eram uma potência considerável. A confiança de Antíoco nestes irmãos não foi em vão; Jônatas derrotou o chefe militar de Demétrio na planície de Ḥazor, enquanto Simão capturou a fortaleza de Betsur, que tinha se declarado por Demétrio.

Morte[editar | editar código-fonte]

O crescimento do poder militar dos judeus, porém, alarmou Trífon, o guardião de Antíoco, pois ele pretendia subir ao trono.Um ano mais tarde, Trífon lança fora sua máscara, mata Antíoco VI, e se senta no trono.

Referências

  1. I Mc XI, 54. Bíblia de Jerusalém, editora Paulus.


Precedido por
Demétrio II
'Rei Selêucida'
144 a.C142 a.C.
Sucedido por
Trífon


Ícone de esboço Este artigo sobre reis é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.