Aprovisionamento

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Aprovisionamento (ocasionalmente também referido pelo termo em Inglês, procurement) é um processo que abrange vários aspectos na relação entre fornecedores e empresa, constituindo um conjunto de atos de administração e negociação do abastecimento da empresa logística. Tal abastecimento envolve matérias-primas, componentes de produção sobressalentes, módulos, produtos acabados e semiacabados, transporte, linhas de montagem e armazéns.[1] [2]

Em suma, o aprovisionamento gere todo o ciclo logístico entre empresa e fornecedores e os produtos a adquirir, desde a entrada até ao momento da produção das mercadorias). Como o cliente procura o melhor fornecedor, o aprovisionamento procura o melhor processo de negociação com os fornecedores.

Conceitos[editar | editar código-fonte]

Aprovisionamento e aquisição[editar | editar código-fonte]

O caminhão tem papel fundamental no aprovisionamento das empresas

Alguns consideram aprovisionamento e aquisição como conceitos diferentes, entendendo a aquisição como todo o acto de adquirir (avaliação, transporte, pagamento, etc.), enquanto que o aprovisionamento incluiria também a estratégia e as escolhas de fornecimento, sendo um processo integrado que prevê um novo modelo de relação com os fornecedores.[3]

No Brasil, porém, o termo aquisição é amplamente adotado na literatura técnica com uma acepção bastante abrangente, que também envolve aspectos estratégicos.

Procurement[editar | editar código-fonte]

Grande parte da literatura e dos conceitos utilizados na área de administração é traduzida do inglês. Na origem, muitos desses conceitos faziam parte da terminologia adotada pelas Forças Armadas dos Estados Unidos, notadamente no que diz respeito à logística.

Em inglês, o termo procurement (do latim procurare, que significa «tratar com cuidado de negócios alheios, administrar, governar») é definido no Glossary of Defense Acquisition Acronyms & Terms do Departamento de Defesa americano como «o ato de comprar bens e serviços para o governo».[4]

Já o termo acquisition envolve, segundo o referido dicionário, «conceituação, início, projeto, desenvolvimento, teste, contratação, produção, implementação, apoio logístico, modificação e descarte de armas e outros sistemas, suprimentos ou serviços (incluindo construção) para satisfazer as necessidades do Departamento de Defesa, tanto para o uso direto em missões militares quanto para o apoio a essas missões».[4]

e-Procurement[editar | editar código-fonte]

O termo e-procurement é comumente utilizado como referência ao uso de sistemas online para a automatização de processos de compras.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Constantino, Francesco; Di Gravio, Giulio; Tronci, Massimo. Supply chain management e network logistici: Dalla gestione della partnership al risk management (em italiano). Milão: Ulrico Hoepli, 2007. 214 pp. ISBN 9788820339333 e ISBN 8820339331.
  2. Carvalho, José. Logística. 3. ed. [S.l.]: Sílabo, 2002. 321 pp. ISBN 9789726182795 e ISBN 9726182794.
  3. Dias, João. Logística global e macrologística. [S.l.]: Sílabo, 2005. 584 pp. ISBN 9789726183693 e ISBN 9726183693.
  4. a b Defense Acquisition University. Glossary of Defense Acquisition Acronyms & Terms (em inglês). Formato PDF. 12. ed. Virginia (EUA): Defense Acquisition University Press, 2005. 222 pp. Visitado em 8 de janeiro de 2015.