Bicuda asiática

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaBicuda asiática
Xenentodon cancila (Wroclaw zoo)-1.JPG

Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Actinopterygii
Ordem: Beloniformes
Família: Belonidae
Género: Xenentodon
Espécie: X. cancila
Nome binomial
Xenentodon cancila
(Hamilton, 1822)
Sinónimos
Belone cancila Hamilton, 1882
Esox cancila Hamilton, 1882

A Bicuda asiática, Xenentodon cancila é a única espécie classificada neste gênero. É um peixe que pode viver tanto em água doce[1] como salobra e salgada.[1] É mais comum em rios, mas também pode ser encontrado em córregos, canais, e outros habitats de água doce.[1]

Nomes populares[editar | editar código-fonte]

Como é um peixe de aquário razoavelmente comum, Xenentodon cancila, foi traduzido sob uma variedade de nomes populares, incluindo Peixe-agulha,[2] Bicuda prateada,[3] Bicuda de água doce,[2] meio-beque bicudo,[4] Gar de água doce,[4] e muitos outros. Enquanto pertencente à mesma família da bicuda marinha, Belone belone,[5] estes peixes naturalmente são parentes muito mais distantes de outros peixes denominados bicudas, como os norte americanos Lepisosteidae e os sul americanos Ctenoluciidae).[4]

Distribuição[editar | editar código-fonte]

A bicuda de água doce é comum no sul e sudeste asiático da Índia e Sri Lanka até a Malásia.[3]

Morfologia[editar | editar código-fonte]

Como outras bicudas, a espécie é alongada e sua mandíbula pontuda possui muitos dentes.[5] As nadadeiras dorsal e anal estão posicionadas na parte de trás do corpo.[5] O corpo é verde prateado, havendo uma listra escura nos flancos.[1] O dimorfismo sexual existe, os machos possuem as nadadeiras dorsais e anais com um pouco de preto.[3] [5]

Dieta[editar | editar código-fonte]

Apesar dos manuais geralmente descreverem este peixe como um predador que se alimenta de peixes e sapos,[3] sua dieta natural parece consistir quase que inteiramente de crustáceos.[3]

Reprodução[editar | editar código-fonte]

A espécie é ovípara. Em aquários a desova ocorre pela manhã, quando pequeno número de ovas são depositadas entre as plantas.[3] As ovas medem 3,5mm de diâmetro e fixam-se às plantas por meio de tecidos viscosos de cerca de 2 cm de comprimento.[3] Os ovos eclodem em aproximadamente dez dias, os peixinhos recém nascidos medem cerca de 12 mm de comprimento.[3] Nesta idade alimentam-se de pequenos organismos preferencialmente filhotes de até uma semana de idade de outras espécies ornamentais.[3]

Importância[editar | editar código-fonte]

A bicuda asiática pode ser criada em pesqueiros pequenos e também é vendida como peixe ornamental.[1]

A bicuda asiática é uma das várias espécies de peixes-agulha mantidas em aquários públicos e privados.[5] É criada por aquaristas europeus desde 1910,[5] e reproduziu-se em cativeiro pela primeira vez na Estação Biológica Wilhelminenberg, Áustria em 1963.[3] O Xenentodon cancila geralmente é considerado uma espécie difícil de manter devido ao seu grande tamanho, comportamento nervoso e preferência por alimentos vivos.[2] Além dos enganos a respeito de sua dieta natural,[6] existem também dúvidas sobre as condições da água requeridas pela espécie e a adição de sal à água tem sido frequentemente recomendada.[4] Na realidade estes peixes vivem muito bem em aquários de água-doce.[6]

Dizem que o Xenentodon cancila é capaz de lançar-se para fora d'água com tanta força que pode matar um ser humano, no entanto alguns ictiologistas afirmam que isto é improvável.[1] Certamente são capazes de morder.[1]

Referências

  1. a b c d e f g Froese, R. and D. Pauly. Editors.. Species Summary for Xenentodon cancila FishBase. Página visitada em 2006-11-29.
  2. a b c Monks N: Straight to the point: the Beloniformes. Practical Fishkeeping, October 2005
  3. a b c d e f g h i j Riehl, R; Baensch, H. Aquarium Atlas (vol. 1). [S.l.]: Voyageur Press, 1996. ISBN 3-88244-050-3
  4. a b c d Monks, Neale (editor). Brackish Water Fishes. [S.l.: s.n.], 2006. ISBN 0-7938-0564-3
  5. a b c d e f Sterba, G. Freshwater Fishes of the World. [S.l.]: Vista Books, 1962. p. 609pp.
  6. a b Monks N: Pocket-sized Pikes. Tropical Fish Hobbyist, April 2007